Siga o OTD

Ítalo Ferreira - Caio Ibelli - Surf Ranch

Surfe

Ítalo Ferreira e Ibelli fazem dobradinha em bateria e avançam no Surf Ranch

Campeã mundial, Ítalo vence bateria e assume sexta colocação geral. Caio Ibelli fica em segundo e também avança ao round 2

(IF15 Sports)

Ítalo Ferreira e Ibelli fazem dobradinha em bateria e avançam no Surf Ranch

No segundo de etapa do Surf Ranch do Circuito Mundial, foi a vez do atual campeão mundial fazer a sua estreia na piscina de ondas dos Estados Unidos. E ele não decepcionou. Neste sábado (19), Ítalo Ferreira não teve um ótimo desempenho, mas confirmou o favoritismo, liderou a quinta bateria e avançou para o round 2, assim como Caio Ibelli, que ficou em segundo na bateria e garantiu a classificação.

Na sua primeira onda para direita, Ítalo Ferreira foi muito bem, obtendo 7,27, que poderia ter passado dos oito se não tivesse caído na finalização. Já na primeira onda para esquerda, o campeão mundial poderia ter ido melhor e conseguiu 6.27. Na sequência, na segunda tentativa à direita, ele melhorou a nota, obtendo 7.43, mas na última, não foi bem, conseguindo apenas 1.73. Assim, Ítalo venceu a bateria e assumiu a sexta colocação geral da competição.

+Assista ao vivo à etapa do Surf Ranch

Já Caio Ibelli teve um ótimo desempenho neste segundo dia do Surf Ranch. Na primeira onda, ele obteve 6.10 e reclamou bastante da nota depois de sair da água. Já na segunda, conseguiu 5.30 e assumiu a vice-liderança da quinta bateria. Na segunda tentativa à direita, ele vinha muito bem, mas sofreu a queda no fim, descartando o 4.93. E por fim, na última onda para esquerda, ele errou a finalização e ficou com 4.77. Assim, Caio Ibelli somou 11.40, garantindo a classificação para o round 2 e ficando em 15º geral.

Além de Ítalo e Caio, outros três brasileiros estiveram na bateria e não avançaram. Alex Ribeiro ficou em quarto, com 9.57, seguido de Lucas Vicente, com 8.97.

Classificação geral

Após as cinco primeiras baterias, a liderança segue do brasileiro Filipe Toledo, que brilhou. Ele tem 17.80, a frente do segundo colocado, o japonês Kanoa Igarashi, com 15.33. Yago Dora ocupa o terceiro lugar, com 14.37, enquanto Adriano de Souza, o Mineirinho, é o quinto colocado, com 13.80. Por fim, Ítalo Ferreira ocupa o sexto posto, com 13.70 e Miguel Pupo ainda está classificado para o segundo round, mas é apenas o nono colocado.

Vale lembrar que os dois primeiros de cada bateria avançam para o round 2 e terão mais uma chance de aumentar suas notas numa terceira entrada na piscina. Junto com eles, os doze que conseguirem as maiores somatórias nas duas primeiras voltas. Destes 24, somente os oito melhores do Qualifying se classificam para a rodada semifinal.

A disputa do Surf Ranch

Diferente das etapas do Circuito Mundial disputadas em praias, a Surf Ranch acontece em um sistema diferente. Como as ondas produzidas artificialmente, todas elas são iguais. Com isso, na primeira fase da competição, cada surfista tem direito a seis ondas, três para a direita e três para a esquerda. Após isso, os atletas são qualificados de acordo com sua somatória para as fases seguintes.

A etapa do Surf Ranch acontece no Circuito Mundial de surfe desde 2018. Apesar de ser extremamente recente, a disputa de ondas artificiais na piscina de ondas é muito positiva para o Brasil. O bicampeão mundial Gabriel Medina conquistou o título das duas etapas disputadas até o momento, tendo feito a decisão com Filipe Toledo nos dois anos. Na chave feminina, Carissa Moore foi campeã em 2018 e Lakey Peterson ficou com o título em 2019. Não houve Circuito Mundial de surfe em 2020 por conta da pandemia.

Brasileiros bem na classificação para o WSL Finals

Em 2021 a WSL mudou o formato de disputa do Circuito Mundial de surfe. A partir deste ano, depois de oito etapas classificatórias, os cinco melhores de cada naipe se garantem na disputa do WSL Finals, de onde sairá o campeão da temporada.

Neste momento, o Brasil teria quatro representantes na decisão da temporada. No Masculino, Gabriel Medina lidera a temporada e é seguido por Ítalo Ferreira, que conquistou o título do circuito em 2019. Além da dupla, que representará o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Filipe Toledo aparece na quarta posição. Se as etapas de classificação terminassem hoje, Jordy Smith, da África do Sul, e Morgan Cibilic, da Austrália, estariam garantidos na disputa do título no masculino. Contudo, um resultado ruim de um dos cinco primeiros colocados na etapa do Surf Ranch pode mudar tudo.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Na chave feminina, neste momento, o Brasil seria representado por Tatiana Weston-Webb. Única brasileira na elite do surfe mundial, Tatiana ocupa a terceira colocação geral, Além da brasileira, a haviana Carissa Moore, e as australianas Sally Fitzgibbons e Tyler Wright também estariam na última e decisiva etapa. Como, neste momento, a francesa Johanne Defay e a australiana Stephanie Gilmore estão empatadas na quinta colocação, se o Circuito Mundial de surfe terminasse assim, as duas atletas teriam que disputar uma bateria extra eliminatória entre si para definir quem seria a quinta colocada.

Mais em Surfe