Siga o OTD

Tóquio 2020

Christian Gabriel e Fábio Bordignon fazem índices no 2ª dia de seletiva

Christian Gabriel faz seu segundo índice, agora nos 200m, e Fábio Bordignon bate marca exigida nos 100m

Christian Gabriel - Fábio Bordignon - Seletiva Paralímpica de atletismo
(Ale Cabral/CPB)

No segundo dia da Seletiva Paralímpica de atletismo para Tóquio 2020, dois brasileiros fizeram o índice necessário para representar o país nos Jogos. Nesta quarta-feira (9), no Centro Paralímpico, em São Paulo, Christian Gabriel conseguiu bater seu segundo índice, enquanto Fábio Bordignon também bateu a marca exigida. Agora, eles aguardam o fim da Seletiva, no próximo dia 19, para confirmarem as vagas. 

Christian Gabriel bem brilhando na Seletiva Paralímpica de atletismo até aqui. No primeiro dia, ele já havia conquistado o índice nos 100m da classe T37, completando a prova em 11s29. O índice A é 11s34. E neste segundo dia, ele bateu o índice dos 200m (23s31), ao terminar a prova em 23s19.

Já Fábio Bordignon fez seu primeiro índice nesta quarta-feira. Ele completou os 100m na classe T35 em 12s40 e bateu a marca exigida da sua classe, que é de 12s46. Além disso, ele ainda bateu o recorde das Américas, que pertencia a ele mesmo.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

“É muito gratificante voltar a correr e alcançar o índice para Tóquio. Com toda certeza, para mim, é uma superação de tudo que aconteceu, pandemia, estou voltando de lesão, tive coronavírus. Voltei a treinar recentemente e agradeço ao meu clube Andef, o professor Amaury [técnico chefe do atletismo] por todo suporte”.

Mais resultados

Ainda nesta quarta, apesar de não bater o índice de 10s68 na sua prova dos 100m, o velocista Alan Fonteles bateu o recorde das Américas pela classe T62 (amputados de membros inferiores com prótese). O atleta do Pará completou a distância em 11s25 e baixou a marca continental anterior que era de 11s42. 

Outros atletas da classe T37, Mateus Evangelista e Ricardo Gomes ficaram próximos do índice de 11s34 nos 100m. O primeiro completou a prova em 11s79, enquanto o segundo fez em 11s59.  E por fim, entre as mulheres, a velocista Gabriela Mendonça ficou a 34 centésimos do índice de 12s20 na prova dos 100m feminino pela classe T13 (atletas com deficiência visual).

No primeiro dia, da Seletiva Paralímpica de atletismo, Thomas, da classe T47 (amputados de braço), correu os 400m em 48s74 e também bateu a marca da categoria (49s). Além deles, o astro Petrúcio Ferreira também participa do evento, mesmo estando garantido em Tóquio por ter sido campeão mundial em 2019. E na estreia, ele fez 10s42 nos 100m da classe T47, ficando, assim, a três centésimos de quebrar o próprio recorde mundial.

O atletismo brasileiro pode ter até 54 representantes em Tóquio 2020. Além de Petrúcio, outros 12 atletas já estão com vaga assegurada graças ao título mundial há dois anos. Por fim, vale lembrar que a Seletiva Paralímpica de atletismo vai até o dia 19. Até sábado (12), ela é voltada aos velocistas. E A partir da próxima terça (15), será a vez, então, dos atletas de provas longas e de campo, além do salto em distância.

Mais em Tóquio 2020