Siga o OTD

Pequim 2022

Prévia Pequim-2022 – Bobsled

Confira uma prévia da chamada Fórmula 1 do gelo, modalidade que reunirá o maior número de brasileiros nos Jogos de Inverno

Conhecido como a Fórmula 1 do gelo, o bobsled é o esporte de trenó mais popular e o que mais chama a atenção do público. Ele fez a sua estreia na 1ª Olimpíada de Inverno, em Chamonix-1924, com a disputa do trenó para 4 atletas. Em Lake Placid-1932 foi incluída a prova de duplas masculinas, em Salt Lake City-2002 as mulheres estrearam com o trenó de duplas e, em Pequim teremos a estreia do monobob feminino, que já foi disputado nos Jogos Olímpicos da Juventude. A Alemanha é a maior vencedora da história, com 13 ouros, além dos 5 da Alemanha Oriental e 1 da Ocidental, somando 19 vitórias e 44 pódios em 49 provas na história olímpica. O bobsled só não foi disputado em Squaw Valley-1960, por conta dos altos custos para se construir uma pista.

O alemão André Lange é o único piloto a vencer 4 ouros olímpicos: ele foi bicampeão nos quartetos em 2002 e 2006 e também nas duplas em 2006 e 2010, além da prata no quarteto em 2010. Kevin Kuske, que esteve nestes 5 trenós dirigidos por Lange, soma ainda uma prata em 2018 nos quartetos. No feminino, as canadenses Kaillie Humphries e Heather Moyse foram bicampeãs em 2010 e 2014. Humphries teve problemas com a federação canadense e agora defende os Estados Unidos e chega como favorita ao tricampeonato. Curiosamente apenas em 6 oportunidades o mesmo piloto venceu nas duplas e nos quartetos em 20 Olimpíadas.

Como funciona

O bobsled, assim como o luge e o skeleton, será disputado na pista de Yanqing, que tem 1.615m de comprimento e 16 curvas. Todas as provas tem 4 descidas programadas, mas apenas os 20 melhores trenós avançam para a 4ª e última descida. Os tempos de todas as etapas são somados e vence quem tiver o menor tempo geral.

Os atletas largam empurrando o trenó em altíssima velocidade e explosão e entram no mesmo numa ordem muito bem coreografada e ensaiada, para que não haja nenhum problema. Após a largada, apenas o piloto trabalha dirigindo o trenó, enquanto os outros atletas ficam agachados esperando o fim da descida.

Duplas Masculinas

Pódio PyeongChang-2018: Ouro – Justin Kripps/Alexander Kopacz (CAN) e Francesco Friedrich/Thorsten Margis (GER); Prata – sem medalha; Bronze – Oskars Melbardis/Janis Strenga (LAT)

Pódio último mundial (2021): Ouro – Francesco Friedrich/Alexander Schüller (GER); Prata – Johannes Lochner/Eric Franke (GER); Bronze – Hans-Peter Hannighofer/Christian Röder (GER)

Suíça e Alemanha tem cada uma 5 vitórias olímpicas em 20 disputas das duplas, sendo ao todo 16 pódios suíços 9 alemães. Já nas Copas do Mundo, são 17 vitórias alemãs em 40 temporadas, domínio absoluto. Em Mundiais, são 18 ouros da Alemanha unificada, incluindo os últimos 7, todos vencidos por Francesco Friedrich.

Friedrich, aliás, é o maior nome do bobsled atual e favorito absoluto, principalmente nas duplas. Atual campeão olímpico (ele empatou em 2018 no ouro com o canadense Justin Kripps), o alemão tem 5 títulos gerais de Copa do Mundo e 44 vitórias. Ele vinha de uma sequência de 11 vitórias seguidas, quando um desastre o fez ficar apernas em 12º na pista de Sigulda, algo inimaginável. No dia seguinte, em mais uma etapa, ele voltou a vencer. Os números de Friedrich são incontestáveis e ele não deve perder o ouro em Pequim. O também alemão Johannes Lochner tem grandes chances de pódio. Ele obteve 5 pódios na temporada nas duplas e tem 28 pódios na carreira, além de 4 pratas e 1 bronze em Mundiais.

Campeão olímpico em 2018 empatado com Friedrich, o canadense Justin Kripps ficou em 2º lugar geral na temporada, com 4 pódios, já foi campeão geral na temporada 2017-18 e tem duas pratas em Mundiais nas duplas. O russo Rostislav Gaitiukevich foi campeão mundial júnior em 2020 no 4-man e, em sua 3ª temporada sênior, terminou na 3ª posição geral nas duplas, vencendo a única etapa que Friedrich errou. De olho também no britânico Brad Hall e no letão Oskar Kibermanis, bronze no Mundial de 2020.

Minha aposta: Ouro – Francesco Friedrich (GER); Prata – Johannes Lochner (GER); Bronze – Justin Kripps (CAN)

Quartetos Masculinos

Francesco Friedrich (GER)

Pódio PyeongChang-2018: Ouro – Francesco Friedrich (GER); Prata – Nico Walther (GER) e Won Yun-jong (KOR); Bronze – sem medalha

Pódio último mundial (2021): Ouro – Francesco Friedrich (GER); Prata – Benjamin Maier (AUT); Bronze – Johannes Lochner (GER)

Prova mais aguardada do bobsled, o 4-man é disputado desde a primeira edição de inverno em Chamonix-1924, só ficando de fora de Squaw Valley-1960, quando o bobsled não foi incluído no programa olímpico devido aos altos custos de fazer uma nova pista. Em 22 disputas olímpicas, foram 9 ouros alemães, sendo 3 para a Alemanha Oriental e 6 pra Alemanha unificada. Apenas 7 atletas na história conseguiram o bicampeonato olímpico, sendo apenas 3 pilotos: o americano William Fiske (1928 e 1932), o alemão oriental Meinhard Nehmer (1976 e 1980) e o alemão André Lange (2002 e 2006).

Francesco Friedrich tem tudo para se tornar mais um piloto bicampeão no 4-man. Ele já é considerado um dos maiores pilotos da história, com 4 títulos gerais da Copa do Mundo nesta prova, 22 vitórias e 40 pódios em etapas, 4 títulos mundiais e 1 olímpico. Nesta temporada, ele venceu 7 das 8 etapas, não levando apenas a última em St. Moritz, na Suíça, onde ficou em 2º lugar. Favorito absoluto nas duplas, Friedrich deve levar os dois ouros no bobsled com tranquilidade. Seu compatriota Johannes Lochner já foi campeão geral da Copa do Mundo em 2017-18 e campeão mundial em 2017, e segue em busca de sua 1ª medalha olímpica.

O letão Oskars Kibermanis levou a única etapa não vencida por Friedrich. Ele não vencia uma prova do 4-man desde 2017, quando também triunfou na etapa de St. Moritz. Prata no Mundial de 2019, vem da boa escola letã de trenós e está na briga por pódio. O canadense Justin Kripps já venceu 4 etapas como piloto e soma 22 pódios na carreira, além do bronze no Mundial de 2019. O britânico Brad Hall, o russo Rostislav Gaitiukevich, campeão mundial júnior em 2020, o suíço Michael Vogt e o austríaco Benjamin Maier também tem chances de medalha.

Minha aposta: Ouro – Francesco Friedrich (GER); Prata – Justin Kripps (CAN); Bronze – Brad Hall (GBR)

Monobob feminino

Pódio PyeongChang-2018: não foi disputada

Pódio último mundial (2021): Ouro – Kaillie Humphries (USA); Prata – Stephanie Schneider (GER); Bronze – Laura Nolte (GER)

O monobob fará sua estreia olímpica em Pequim com 20 mulheres na disputa, sendo que a grande maioria também irá disputar a prova de duplas. A modalidade começou a despontar nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2016 e foi incluída no Mundial de 2021, vencido por Kaillie Humphries.

Humphries é bicampeã olímpica nas duplas, tendo vencido em 2010 e 2014, quando competia pelo Canadá. Após problemas com a federação local, ela se mudou para os Estados Unidos e agora defende o país. Na Série Mundial (equivalente à Copa do Mundo), Humphries venceu 2 provas de nível forte, terminando em 2º lugar no geral. A campeã da temporada foi a também americana Elana Meyers Taylor, que esteve nos três últimos pódios olímpicos nas duplas. As canadenses Cynthia Appiah e Christine de Bruin, a alemã Laura Nolte e a australiana Breeana Walker são outros bons nomes da prova.

Minha aposta: Ouro – Kaillie Humphries (USA); Prata – Christine de Bruin (CAN); Bronze – Elana Meyers Taylor (USA)

Duplas femininas

Pódio PyeongChang-2018: Ouro – Mariama Jamanka/Lisa Buckwitz (GER); Prata – Elana Meyers Taylor/Lauren Gibbs (USA); Bronze – Kaillie Humphries/Phylicia George (CAN)

Pódio último mundial (2021): Ouro – Kaillie Humphries/Lolo Jones (USA); Prata – Kim Kalicki/Ann-Christin Strack (GER); Bronze – Laura Nolte/Deborah Levi (GER)

As mulheres só entraram na disputa olímpica do bobsled em Salt Lake City-2002 e em Mundiais em 2000. Canadá e Alemanha tem o mesmo retrospecto com 2 ouros, 1 prata e 1 bronze em 5 disputas olímpicas, mas Kaillie Humphries é a única pilota bicampeã. Ela defendia o Canadá ao lado de Heather Moyse quando venceu em 2010 e 2014.

Agora como competidora dos Estados Unidos, Humphries segue entre os principais nomes do esporte. Ela é a atual bicampeã mundial e, quando ainda defendia o Canadá, foi 4 vezes campeã da Copa do Mundo e bicampeã mundial. Soma ao todo 28 vitórias em etapas de Copa do Mundo e 57 pódios. A americana Elana Meyers Taylor foi a campeã da temporada da Copa do Mundo, mas ela só venceu uma das 8 etapas, também seu único pódio. Mas já possui 3 medalhas olímpicas, 6 em Mundiais, 19 vitórias e 49 pódios em Copas do Mundo.

O título de Meyers Taylor só veio porque as duas duplas alemãs não disputaram uma das etapas. Laura Nolte ficou em 2º no geral, mas venceu4 etapas e subiu ao pódio em outras duas. Ela foi bronze no último Mundial, campeã mundial júnior em 2021 e ouro nos Jogos da Juventude de 2016. Kim Kalicki também fez 6 pódios na temporada com 2 ouros. Foi prata nos dois últimos Mundiais, campeã mundial júniro em 2020 e foi tricampeã mundial sub-23. As únicas que podem entrar nesse pódio além dessas já mencionadas são a também alemã Mariama Jamanka e a canadense Christine de Bruin.

Minha aposta: Ouro – Laura Nolte (GER); Prata – Kim Kalicki (GER); Bronze – Kaillie Humphries (USA)

APOIE O OLIMPÍADA TODO DIA

Desde setembro de 2016, o Olimpíada Todo Dia não deixa você ter saudade dos Jogos nunca. É o único veículo de comunicação que todos os dias traz a trajetória dos atletas olímpicos e paralímpicos, combatendo a monocultura do futebol e na busca de ajudar a mudar a cultura esportiva do Brasil. Gosta do nosso trabalho? Nos apoie! Faça um pix para [email protected]

Outra alternativa para nos apoiar é usando o cupom OTD em compras na Centauro. Com o cupom, você ganha 10% de desconto na compra de equipamentos esportivos e parte do valor será revertido para o Olimpíada Todo Dia. Vale lembrar que os descontos não são cumulativos. Se alguma peça já estiver em oferta, você não conseguirá aumentar o desconto, mas se colocar o cupom OTD, parte do valor vai ajudar o portal do mesmo jeito. Você pode comprar também pela vitrine do OTD no site das Centauro.

Mais em Pequim 2022