Siga o OTD

Os Olímpicos

Dia 3 – Titmus vence Ledecky num ótimo dia britânico

Dia 3 – Titmus vence Ledecky num ótimo dia britânico

Mais 4 finais na natação

Na primeira final do dia na piscina, vitória da canadense Maggie McNeil nos 100m borboleta com 55.59, e a apenas 0.11 do recorde mundial. Prata pra chinesa Zhang Yufei com 55.64 e bronze pra australiana Emma McKeon com 55.72. Principal nome desta prova há ano, a sueca Sarah Sjöström ficou apenas em 7º com 56.91.

Na final seguinte, zero surpresa com mais uma vitória do britânico Adam Peaty nos 100m peito. Desde 2014 que ele não perde a prova em piscina longa em Europeus, Mundiais ou Olimpíadas. Dessa vez a vitória veio com 57.37. Em grande fase, o holandês Arno Kamminga fez 58.00 e levou a prata, enquanto o italiano Nicolò Martinenghi foi bronze com 58.33, apenas 0.01 a frente do americano Michael Andrew.

A americana Katie Ledecky e a australiana Ariarne Titmus proporcionaram uma emocionante disputa na final dos 400m livre feminino. A americana forçou logo no início e abriu um corpo sobre a australiana, mas Titmus começou a força na segunda metade e foi chegando. Na última virada, já estava na frente e segurou Ledecky até vencer com 3:56.59 contra 3:57.36 da americana. A chinesa Li Bingjie bem atrás, com 4:01.08, completou o pódio.

No revezamento 4x100m livre masculino, deu Estados Unidos, que não era visto como favorito. Caeleb Dressel abriu com 47.26 e a equipe se manteve na frente com quase um corpo de vantagem até Zach Apple bater em 3:08.97. A Itália fez grande prova e ficou com a prata com 3:10.11 e a Austrália, que teve Kyle Chalmers fechando com incrível parcial de 46.44, foi bronze com 3:10.22. A Rússia, que era apontada como favorita, decepcionou em 7º lugar com 3:12.20.

Dobradinha 13 anos no skate

Rayssa Leal medalha de prata Jogos Olímpicos de Tóquio skate street
Breno Barros/Rede do Esporte

Duas das mais jovens atletas dos Jogos, ambas com 13 anos, fizeram dobradinha na final do skate street feminino. A japonesa Momiji Nishiya foi a campeã com 15,26 na decisão contra 14,64 da brasileira Rayssa Leal. Fadinha foi a única brasileira na decisão, já que Pâmela Rosa, sofrendo com uma lesão no tornozelo, e Letícia Bufoni não conseguiram avançar. O bronze ficou com a também japonesa Funa Nakayama.

Mais dois ouros britânicos

Tom Pidcock vence mountain bike. Reuters

Foi um ótimo dia para a Grã-Bretanha com outros dois ouros além do vencido pelo Adam Peaty nos 100m peito. E eles vieram quase ao mesmo tempo. Na disputa do mountain bike masculino, Tom Pidcock fez grande prova e sobrou na bela pista em Izu. Ele completou os pouco mais de 28km em 1:25:14, colocando 20s de vantagem sobre o suíço Mathias Flückiger e 34s sobre o espanhol David Valero. Maior nome da modalidade, o suíço Nino Schurter ficou em 4º lugar. Outro favorito, o holandês Mathieu van der Poel sofreu uma queda muito feia ainda na 1ª volta. Voltou pra prova 1min atrás dos líderes, tentou se recuperar, mas acabou abandonando com 20km de prova.

O outro ouro veio nos saltos ornamentais, na plataforma sincronizada masculina. O ídolo Tom Daley e Matty Lee venceram de maneira espetacular. Com um erro da dupla chinesa de Cao Yuan e Chen Aisen no 4º salto, os britânicos assumiram a liderança por bem pouco. Após o 5º salto, a vantagem britânica era de apenas 1,74. No último salto, os britânicos tiraram 101,01 e os chineses fizeram 101,52, mas a diferença foi de 1,23 e o ouro britânico.

Anticlímax no judô

Foram duas grandes surpresas quando as duas favoritas na categoria 57kg do judô perderam nas semifinais. A kosovar Nora Gjakova derrotou a japonesa Tsukasa Yoshida e a francesa Sarah-Léonie Cysique venceu a canadense campeã mundial Jessica Klimkait. A final foi pro golden score e, durante um golpe, a francesa ficou com a cabeça apoiada no chão, o que é proibido. Ela foi desclassificada na hora, dando o ouro para Gjakova. Foi o 2º ouro de Kosovo em Tóquio e o 3º da história do país, todos no judô. Yoshida e Klimkait ficaram com os bronzes.

Já nos 73kg masculino, deu a lógica com mais um ouro japonês de Shohei Ono. Tricampeão mundial, ele teve dificuldades contra o georgiano Lasha Shavdtuashvili, mas venceu no golden score, faturando o 4º ouro japonês no judô. Os bronzes foram para o sul-coreano An Changrim e para o mongol Tsend-Ochiryn Tsogtbaatar.

Norueguês vence no triatlo

A final começou de maneira inusitada, com uma largada falsa. Um barco da organização bloqueou a saída de um terço dos atletas e a prova teve que recomeçar. Durante o ciclismo, um grupo de 10 começou a abrir, mas foram alcançados e e formou um pelotão de 37. Na última volta do ciclismo, o suíço Andrea Salvisberg abriu e colocou 16 segundos, mas após a transição pra corrida, ele foi alcançado. Na metade da corrida, o norueguês Kristian Blummenfelt, o britânico Alex Yee e o neozelandês Hayden Wilde foram pra frente e abrindo. Com 1,5km pro fim, o norueguês acelerou para vencer com 1:45:04. Yee cruzou a linha de chegada 11 segundos depois e Wilde 20 depois do campeão.

Russos vencem na ginástica

A super equipe da Rússia levou o ouro na disputa por equipes masculina da ginástica artística, numa disputa nota a nota com o Japão. Os russos foram os melhores nas argolas e no salto, enquanto os japoneses lideraram no solo e na barra fixa. A prova, como esperado, foi definida no detalhe e os russos somaram 262,500 contra 262,397 dos japoneses, diferença mínima de 0,103! A equipe da China foi bronze com 261,894.

Vitória histórica no tênis de mesa

Jun Mizutani e Mima Ito vencem nas duplas mistas. Tokyo2020/Divulgação

Na estreia da disputa de duplas mistas no tênis de mesa, vitória histórica de Jun Mizutani e Mima Ito sobre os sempre favoritos chineses Xu Xin e Liu Shiwen por 4-3, parciais de 5-11, 7-11, 11-8, 11-9, 11-9, 6-11, 11-6. Foi o 1º ouro japonês da história no esporte! Na disputa do bronze, Lin Yun-ju e Cheng I-ching, de Taiwan, derrotaram os franceses Emmanuel Lebesson e Jia Nan Yuan por 4-0 (11-8, 11-7, 11-8, 11-5).

Ouro inédito para as Filipinas

Numa final emocionante, Hidilyn Diaz venceu o primeiro ouro da história das Filipinas nos Jogos. No levantamento de peso, categoria 55kg feminina, Diaz fez uma grande disputa com a chinesa Liao Qiuyun. Ambas fizeram 97kg no arranco. No arremesso, Liu fez 126kg na última tentativa. Diaz entrou na sequência pra sua última chance e conseguiu os 127kg, somando 224kg no total contra 223k da chinesa. A cazaque Zulfiya Chinshanlo completou o pódio com 213kg.

Dobradinha americana no skeet

Só deu Estados Unidos nas finais do skeet. No feminino, a chinesa Wei Meng igualou o recorde mundial na qualificação com 124 pratos em 125, mas acabou errando na final e terminou com o bronze. A americana Amber English e a italiana Diana Bacosi, ouro no Rio-2016, chegaram na última série empatadas em 47, mas Bacosi errou um prato e o ouro foi para English.

Logo na sequência, na final masculina, só deu Vincent Hancock. O americano conquistou o espetacular tricampeonato olímpico na prova ao acertar 59 dos 60 pratos. Ele também venceu esta prova em Pequim-2008 e Londres-2012, mas foi mal no Rio-2016, ficando em 15º. O dinamarquês Jesper Hansen foi prata com 55 pratos e o bronze foi para Abdullah Al-Rashidi, do Kuwait, aos 57 anos, repetindo sua posição no Rio-20016.

Coreia acertando na mosca

Foi mais um dia perfeito pra Coreia do Sul no tiro com arco. Na disputa por equipes masculina, eles venceram nas quartas a Índia por 6-0, na semifinal precisaram das flechas de desempate para passar pelo Japão, mas brilharam na final contra Taiwan, vencendo por 6-0, com direito a um perfeito 60 no 2º set. O Japão venceu o bronze com 5-4 sobre a Holanda. A disputa também foi pras flechas de desempate, as equipes empataram em 28-28, mas o Japão colocou uma flecha na mosca e levou a medalha.

Outras finais

O esloveno Benjamin Savsek fez uma final perfeita na disputa da canoagem slalom no C1. 2º nas eliminatórias no domingo, ele foi 5º na semifinal nesta segunda, mas na decisão fez o melhor tempo na descida com 98,25 e sem erros. O checo Lukas Rohan foi prata co 101,96 e o alemão Sideris Tasiadis bronze com 103,70.

Final russa na disputa do sabre feminino. A favorita ucraniana Olha Kharlan caiu no 1º combate e abriu caminho para Sofia Pozdniakova, campeã mundial em 2018, que pegou na decisão sua compatriota Sofya Velikaya. Na final, 15-11 para Pozdniakova. O bronze foi pra francesa Manon Brunet.

Na disputa do florete masculino, o ouro ficou com Cheung Ka-long, de Hong Kong, surpreendendo muitos dos favoritos. Na decisão, ele venceu o italiano Daniele Garozzo, campeão olímpico no Rio-2016, por 15-11. Copletou o pódio o checo Alexander Choupenitch.

Mais em Os Olímpicos