Siga o OTD

Natação

Pelo 3º Mundial seguido, Bruno Fratus medalha nos 50m livre

Bruno Fratus é vice-campeão, ficando atrás apenas do fenômeno Caeleb Dressel

Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Pelo 3º Mundial seguido, Bruno Fratus medalha nos 50m livre

Ele pode não ter ficado totalmente satisfeito, mas mesmo assim Bruno Fratus fez por merecer as expectativas em torno dele. Ficando atrás apenas do fenômeno Caeleb Dressel, o brasileiro conquistou a prata nos 50m livre no Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju. Foi a terceira medalha seguida dele na prova, após bronze em 2015 e prata em 2017.

“É uma faca de dois gumes,” disse Fratus ao SporTV após a prova. “Por um lado, ser vice-campeão mundial é grande, é gigante para mim. Mas eu queria ter nadado mais rápido.”

O velocista é conhecido por ser duro consigo mesmo em entrevistas pós-provas. No Rio 2016, por exemplo, ele chegou a descontar a frustração de ter ficado fora do pódio na entrevista do lado de fora da piscina.

Desta vez, guardou as frustrações para si mesmo. “Ter nadado revezamento sem treinar para a prova pesou,” completou. Fratus foi chamado para o revezamento, do qual não teria disputado, por conta do doping de Gabriel Santos.

Apesar de não estar completamente satisfeito, o brasileiro pode ficar tranquilo sabendo que ficou atrás apenas de um nadador que fez história. Caeleb Dressel conquistou seu 4º ouro do torneio na prova, quebrando o recorde da competição que pertencia a César Cielo fazia 10 anos. Mais tarde, Dressel ainda conquistaria mais dois ouros antes de fechar o dia.

+ CONFIRA TUDO SOBRE O MUNDIAL DE ESPORTES AQUÁTICOS DE GWANGJU 2019

Guido fora da final

Guilherme Guido, por um centésimo, ficou de fora da final dos 50m costas. Assim, ele não repete o feito dos 100m.

Apesar de ficar apenas em sexto em sua série, a força de sua bateria ficou provada ao levar cinco nadadores para a final.

Favoritas confirmam o ouro

Sarah Sjostrom e Katie Ledecky já haviam medalhado algumas vezes em Gwangju, mas faltava o ouro. Neste sábado, terminaram com o jejum com atuações dominantes em suas provas.

Sjostrom venceu o 50m Borboleta e enfim conseguiu fazer com que o hino sueco tocasse na Coreia do Sul. Até o momento, a nadadora conquistou todas as medalhas de seu país no Mundial.

Já Ledecky conquistou o tetracampeonato do 800m livre. O ouro vem com sabor especial após uma competição complicada para a americana. Após ficar com a prata no 400m, um mal-estar a tirou do 1500m. As vencedoras destas provas, Simona Quadarella (1500m) e Ariarne Titmus (400m) completaram o pódio atrás de Ledecky.

Mais em Natação