Siga o OTD

Laguna Olímpico

Nem lobby de campeão olímpico salva caratê para Paris-2024 | Semana Olímpica

Ouro em Tóquio, francês Steven da Costa bem que tentou emplacar a modalidade na próxima Olimpíada, mas organizadores vetaram

Caratê Steven da Costa Tóquio-2020
Steven da Costa tentou usar o seu prestígio de campeão olímpico para manter o caratê nos Jogos de Paris-2024 (Reprodução/AP)

Semana Olímpica é um post em forma de newsletter com os principais destaques da semana do esporte olímpico. Todo sábado uma nova edição

Imagine você se tornar campeão olímpico e saber que na edição seguinte dos Jogos, marcada para o seu país, não poderá competir em casa. Simplesmente pelo motivo que seu esporte não faz parte do programa esportivo. Esta é a situação pela qual passa o francês Steven da Costa, medalha de ouro no caratê nos Jogos de Tóquio-2020, na categoria até 67 kg. Costa não terá como brigar pelo bicampeonato diante da torcida pois a modalidade foi excluída do programa de Paris-2024. E nem mesmo um lobby pesado adiantou para mudar a situação.

Junto a políticos franceses e do presidente da federação de caratê da França, Steven de Costa integrou um movimento para sensibilizar o comitê organizador de Paris-2024 e incluir a modalidade novamente. Os franceses optaram por manter o skate, surfe e escalada esportiva, além de incluir o breakdance no programa de esportes.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Siga

Em uma rede social, Costa não aliviou na pressão. “Treinei como o diabo. Assumi meu papel de favorito. Trouxe o ouro de volta para a França. Em 2024, com seu apoio, quero defender meu título olímpico em Paris”, escreveu o carateca. Um grupo de 115 deputados fez uma carta aberta ao comitê organizador pedindo pela presença do caraté em 2024.

Os apelos, contudo, não tiveram efeito prático. “O programa de eventos dos Jogos de Paris-2024 está definido e não pode ser alterado. O calendário já é conhecido por todos, em cumprimento às regras do Comitê Olímpico Internacional”, disse em nota oficial o comitê Paris-2024.

Pelo visto, o caratê fez sua estreia e despedida olímpica em Tóquio-2020.


Grã-Bretanha investirá R$ 1,6 bilhão até Paris-2024

Quarta colocada no quadro de medalhas dos Jogos de Tóquio-2020, a Grã-Bretanha pretende investir uma grana pesada para seguir entre as potências olímpicas para a Olimpíada de Paris-2024. O primeiro-ministro Boris Johnson anunciou que o governo britânico investirá nos próximos três anos um total de £ 232 milhões, cerca de R$ 1,6 bilhão para apoiar os atletas olímpicos e paralímpicos.

Este valor representa um aumento de 44% no total investido no ciclo para a Olimpíada em Tóquio. “O Team GB mostrou-nos o melhor deste país em Tóquio. Este aumento no investimento os ajudará a obter os melhores desempenhos possíveis em Paris”, disse Johnson.


Rússia prepara candidatura para os Jogos de 2036

Mesmo punida por dois anos por conta de um esquema de doping com participação de integrantes do governo, a Rússia pretende lançar em breve uma candidatura olímpica. De acordo com a agência de notícias russas “Tass”, o país estuda propostas para tentar receber os Jogos de 2036.

Durante cerimônia para recepcionar os atletas olímpicos que competiram em Tóquio, Sergey Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia, disse que existem cidades interessadas em lançar uma candidatura. “Várias cidades já preparam suas licitações, como São Petersburgo e Kazan. Se outras estiverem interessadas, é melhor se apressar”, afirmou.

Como capital da extinta União Soviética, Moscou recebeu a edição de 1980, enquanto Sochi foi sede dos Jogos de Inverno de 2014. Também mostraram interesse na Olimpíada de 2036 as cidades de Jacarta (Indonésia), Ahmedabad (Índia), Londres (Inglaterra) e Budapeste (Hungria).


Judoca da Geórgia preso por agressão é expulso da Paralimpíada

Não terminou com final feliz a passagem do judoca Zviad Gogotchiri, da Geórgia, pela Paralimpíada de Tóquio. Na verdade, ele terminou antes mesmo dos Jogos começarem. Nesta sexta-feira (20), o comitê organizador de Tóquio-2020 confirmou que ele foi expulso do evento, após ter supostamente agredido um segurança do hotel onde estava hospedado, na capital do Japão.

Campeão paralímpico no judô na Rio-2016, Gogotchiri, de 34 anos, teria se desentendido com o segurança no último dia 12, por excesso de barulho no corredor do hotel, ao lado de outros integrantes da equipe. Eles cumpriam quarentena preventiva, pois tiveram contato com um membro da delegação que testou positivo para a Covid-19. Na confusão, o segurança teve uma costela quebrada.

Além de expulsar Zviad Gogotchiri da Paralimpíada, o comitê organizador deu uma advertência pesada à delegação da Geórgia para o seu comportamento. No total, 15 atletas representarão o país nos Jogos, que começarão na próxima terça-feira (24).


Escolha da mascote do Pan de Santiago-2023 termina nesta quarta

Semana olímpica

Jogos Pan-Americanos Santiago-2023
As candidatas a mascote dos Jogos Pan-Americanos de Santiago-2023 (Divulgação)

Segue aberta a votação popular para a escolha da mascote oficial dos Jogos Pan-Americanos de Santiago-2023. São cinco os desenhos finalistas, selecionados após várias opções enviados por agências de design do Chile. A mascote finalista sairá entre o pinguim Juanchi, a ave Fiu, o puma Santi, o pinhão chileno Pewü e o lagarto Chitama. A votação online pode ser feita aqui. O Pan de Santiago-2023 acontecerá de 20 de outubro a 5 de novembro, enquanto o Para-Pan está marcado para ocorrer de 17 a 26 de novembro de 2023.


Porta-bandeira do Afeganistão em Tóquio fugiu para o Irã

Única mulher da delegação de apenas cinco atletas do Afeganistão nos Jogos de Tóquio-2020, Kamia Yousufi, do atletismo, que foi uma das porta-bandeiras no desfile de abertura, conseguiu deixar o país. Assim, ela escapou da possível perseguição que sofreria do grupo extremista Talibã, que assumiu o poder no Afeganistão no último final de semana. O grupo é conhecido por restringir o direito de trabalho e estudo das mulheres

A informação foi confirmada nesta sexta-feira pelo jornal “The New York Times”, em entrevista dada por Aref Peyman, porta-voz do comitê olímpico afegão. Yousufi, que disputou os 100 metros em Tóquio, fugiu para o Irã, onde nasceu como refugiada em 1996.


A FRASE

“Eu não sei qual o meu limite. Se sentir que estou estagnado, então tentarei algo novo. Há mais no tanque e sei que poderei melhorar minhas marcas em breve”

Armand Duplantis, medalha de ouro no salto com vara em tóquio-2020, afirmando que poderá superar em breve o seu próprio recorde mundial na prova, que é de 6,18 m.


O NÚMERO

372

Milhões foi o total de espectadores do grupo Discovery na Europa que acompanharam os Jogos de Tóquio-2020. O número foi 10% maior do que aquele que viu, pela plataforma, os Jogos de Inverno de PyeongChanng-2018. Dos 372 milhões, mais de 175 milhões sintonizaram a cobertura da Discovery na TV e no digital. Os dados foram divulgados pelo site “SportsPro”.

Clique no link e seja você também um apoiador do blog. Ajude a combater a monocultura esportiva no Brasil

Mais em Laguna Olímpico