Siga o OTD

maria portela grand slam de ecaterimburgo tel aviv

Judô

Maria Portela é ouro e Brasil fecha Grand Slam com 8 pódios

Divulgação IJF

Maria Portela é ouro e Brasil fecha Grand Slam com 8 pódios

Pela segunda vez seguida no circuito mundial, Maria Portela conquista a medalha de ouro. Foi o melhor resultado do Brasil, que terminou o Grand Slam de Ecaterimburgo com oito pódios

Depois das medalhas de prata e bronze conquistadas por Érika Miranda e Jéssica Pereira, o Brasil faturou mais seis pódios neste domingo no Grand Slam de Ecaterimburgo. Maria Portela foi o destaque ao conquistar o título da categoria até 70kg. Maria Suelen Altheman foi vice-campeã na categoria acima de 78kg. Já Bárbara Timo (70kg), Mayra Aguiar (78kg), Beatriz Souza (+78kg) e Rafael Silva (+100kg) ficaram em terceiro lugar.

Com os resultados, o Brasil somou no total uma medalha de ouro, duas de prata e cinco de bronze e ficou em terceiro lugar na classificação geral do Grand Slam de Ecaterimburgo, atrás apenas do Japão, líder do quadro com seis de ouro, uma de prata e três de bronze, e da Rússia, que faturou dois ouros, três pratas e quatro bronzes.

Ouro e bronze na categoria até 70kg

Campeã do Masters em São Petersburgo no final do ano passado, Maria Portela (70kg) provou mais uma vez que vive uma grande fase.  Com três vitórias em três lutas disputadas, a brasileira colocou no peito mais uma medalha de ouro em seu retorno ao circuito mundial. Na estreia, a judoca gaúcha superou a britânica Katiejemina Yeastbrown por ippon a 2min33 do final do tempo regulamentar.

Na semifinal, Maria Portela venceu mais uma vez com autoridade. Diante da húngara Szabina Gerczak, a brasileira conseguiu outro golpe perfeito e também venceu por ippon.

Na decisão da medalha de ouro, a adversária foi a russa Taisa Kireeva. Maria Portela venceu com mais um ippon, mas desta vez foi de uma maneira diferente das outras lutas. A brasileira imobilizou a adversária até conseguir a vitória que deu a ela o segundo título seguido no circuito mundial.

No pódio do Grand Slam de Ecaterimburgo, Maria Portela teve a companhia de Bárbara Timo, que conquistou a medalha de bronze. A judoca do Pinheiros estreou contra a russa Mariia Zolnikova e conseguiu a vitória ao encaixar um lindo ippon a 1min47 do fim da luta.

Na segunda luta, Bárbara Timo tomou a iniciativa desde o começo e liderava o combate, já que a húngara Szabina Gerczak havia sido punida com dois shidos por falta de combatividade. Mas a 40s do final, a brasileira sofreu um wazzari e acabou derrotada, deixando a briga pela medalha de ouro e indo para a repescagem para tentar o bronze.

Na repescagem, contra a britânica Katiejemina Yeastbrown, Bárbara Timo conseguiu um wazzari logo no começo da luta e depois soube controlar a adversária para vencer e garantir a classificação para disputar a medalha de bronze.

O último obstáculo para Bárbara Timo conseguir um lugar no pódio foi a japonesa Shiho Tanaka, que logo levou um shido por fala de combatividade. Na sequência, a brasileira conseguiu um wazzari e ficou em vantagem na luta. No final, ela foi punida por postura defensiva, mas o combate estava sob controle e a judoca do Pinheiros assegurou a medalha de bronze.

Dobradinha também na categoria +78kg

A mais pesada das categorias femininas contou com a participação de apenas oito judocas, das quais duas brasileiras e ambas conseguiram um lugar no pódio. Maria Suelen Altheman foi prata, enquanto Beatriz Souza ficou com a medalha de bronze.

Nas quartas de final, as duas vitórias brasileiras foram contra adversárias russas. Maria Suelen Altheman derrotou Mariia Shekerova numa disputa extremamente equilibrada. As duas lutadoras estavam empatadas com duas punições para cada lado, mas Shekerova levou o terceiro shido por falta de combatividade, dando a vitória para Maria Suelen por ippon.

Já Beatriz Souza derrotou Anzhela Gasparian na estreia. A brasileira dominou a luta por completo e estava em vantagem por causa de duas punições sofridas pela adversária. Para completar, derrubou a russa de costas e conseguiu o golpe perfeito para vencer por ippon.

Com os resultados, a semifinal reservou um confronto entre as duas brasileiras. Maria Suelen Altheman levou a melhor ao conseguir atirar Beatriz Souza de costas no chão e conseguir o ippon que a classificou para a final da categoria.

Beatriz Souza voltou ao tatame para enfrentar Ksenia Chibisova na disputa pela medalha de bronze. A brasileira levou uma punição por falta de combatividade no começo da luta, mas, depois disso, partiu com tudo para cima da adversária. Com um wazzari, passou a liderar o combate, e, na sequência, conseguiu mais um golpe que deu a ela a vitória por ippon.

Maria Suelen Altheman, por sua vez, lutou contra Larisa Ceric, da Bósnia Herzegovina, pela medalha de ouro. Foi uma disputa muito equilibrada pelo título do Grand Slam de Ecaterimburgo. Cada judoca levou duas punições e estavam empatadas, mas a oito segundos do fim a brasileira levou o terceiro shido, dando a vitória para a adversária.

Mayra Aguiar é bronze

Vice-campeã no Grand Slam de Dusseldorf, a bicampeã mundial Mayra Aguiar conquistou sua segunda medalha na temporada ao conquistar o bronze em Ecaterimburgo. A estreia da brasileira foi contra a japonesa Rika Takayama, que conseguiu a vitória com autoridade. A judoca asiática conseguiu aplicar um wazzari em Mayra e, na sequência do golpe, imobilizou a gaúcha até conseguir o ippon. Foi a primeira vitória de Takayama na caminhada que deu a ela a medalha de ouro na Rússia.

Derrotada na estreia pela japonesa que viria a conquistar o ouro, restou a Mayra Aguiar ir para a repescagem para buscar a medalha de bronze. Contra Albina Amangeldiyeva, do Cazaquistão, ela precisou de menos de dois minutos para conseguir o ippon e avançar na busca pelo pódio.

A decisão do bronze foi contra a francesa Stessie Bastareaud, que levou um shido por postura defensiva bem no começo da luta. Pouco depois, Mayra Aguiar derrubou a adversária e conseguiu um wazzari, pontuação que ela levou até o fim para assegurar um lugar no pódio.

Rafael Silva é bronze

A única medalha masculina conquistada pelo Brasil no Grand Slam de Ecaterimburgo foi com Rafael Silva na categoria acima de 100kg. Na estreia, ele derrotou o bósnio Harun Sadikovic por ippon.

Na segunda luta de Rafael Silva, o russo Anton Brachev foi punido três vezes por falso-ataque e o brasileiro avançou com mais uma vitória por ippon.

Na semifinal, foi a vez de Rafael Silva ser derrotado por causa de três punições e o holandês Henk Grol avançou para a decisão.

Derrotado na semifinal, Rafael Silva disputou a medalha de bronze com Ruslan Shakhbazov, da Rússia. O brasileiro chegou a comemorar um wazzari, mas o golpe acabou cancelado pela arbitragem depois da análise de vídeo. Mas, faltando 20 segundos para o final, o adversário levou sua terceira punição e Baby garantiu um lugar no pódio.

Também pela categoria acima de 100kg, o vice-campeão mundial David Moura representou o Brasil, mas decepcionou. Ele foi eliminado logo na primeira rodada ao perder para Onise Bughadze, da Geórgia.

Rafael Buzacarini eliminado na segunda luta

Completando a participação brasileira no Grand Slam de Ecaterimburgo, Rafael Buzacarini estreou com vitória sobre David Ozbetelashvili, da Geórgia, por ippon.

Mas, na segunda rodada, contra o holandês Michael Korrel, Rafael Buzacarini levou três punições e acabou eliminado.

Mais em Judô