Siga o OTD

Judô

David Moura e Maria Suellen conquistam bronze em Tóquio

Marcio Rodrigues/MPIX/CB

David Moura e Maria Suellen conquistam bronze em Tóquio

Com bronzes dos pesados Maria Suellen Altherman e David Moura, Brasil fecha a participação no Grand Slam de Tóquio com duas medalhas

Após primeiro dia sem medalhas, o Brasil fechou a participação no Grand Slam de Judô de Tóquio, na madrugada deste domingo, (03), com cinco brasileiros subindo ao tatame em busca de medalhas. No feminino Maria Suellen Alterman (+78kg) foi a única representante brasileira, no masculino Victor Penalber (81kg), Eduardo Yudi (81kg), Eduardo Bettoni (90kg) e o vice-campeão mundial, David Moura (+100kg) lutaram pelo país.

Abrindo o dia de lutas para o Brasil, a única representando do país no feminino o segundo dia de competições, Maria Suellen Altheman abriu a competição vencendo a atleta de Taipei, Ling Fang Chang por ippon.

Em sua segunda luta do dia, Maria Suellen enfrentou a japonesa Akira Sone. Em uma luta disputada a brasileira acabou perdendo por ippon, por conta de uma imobilização.

Na primeira luta da repescagem, a brasileira enfrentou a atleta da Lituânia, Sandra Jablonskyte. No confronto entre as duas judocas, Maria Suellen conseguiu a vitória por imobilização, avançando para a luta que valeria a medalha de bronze.

Na luta que valia a medalha de bronze, Maria Suellen enfrentou a japonesa Nami Inamori. Em confronto equilibrado, a judoca brasileira conseguiu um waza-ari por imobilização, na metade da luta, que deu ao Brasil a primeira medalha na competição. O título da categoria ficou com Sarah Asahina, que venceu Akira Sone, também japonesa na decisão.

 

 

No masculino, Victor Penalber entrou na competição já na segunda luta, onde enfrentou o mexicano Samuel Ayala. O brasileiro estreou bem, vencendo a luta por um waza-ari.

Em sua segunda luta na competição, Penalber enfrentou o sul coreano Sungho Lee. Em duelo decidido somente no golden score, o brasileiro acabou derrotado por ter punições, sendo eliminado da competição.

 

Outro brasileiro na categoria, Eduardo Yudi Santos estreou contra o português João Martinho. Em luta movimentada, o judoca do Brasil venceu por ippon e seguiu na disputa do Grand Slam de Tóquio.

Na segunda luta na competição, Eduardo Yudi lutou contra o atleta do Japão Takeshi Sasaki. Em mais um confronto disputado, o brasileiro conseguiu a vitória por ippon, se garantindo nas quartas-de-final.

Nas quartas-de-final, Eduardo Yudi teve pela frente o judoca da Mongólia Uuganbaatar Otgonbaatar. Desta vez o representante brasileiro não conseguiu a vitória, sendo derrotado por waza-ari, e caindo para a disputa da medalha de bronze.

Na repescagem, Eduardo Yudi duelou contra o francês Jonathan Allardon. Em duelo decidido somente no golden score, o brasileiro acabou derrotado por ippon, perdendo a chance de medalha. O título da categoria ficou com judoca da Mongólia Uuganbaatar Otgonbaatar.

 

Na categoria até 90kg, Eduardo Bettoni estreou na competição contra o checo Jiri Petr. Em um confronto decidido rapidamente, o brasileiro venceu por ippon, avançando na competição.

Na segunda luta, Eduardo teve pela frente o alemão Eduard Trippel. Em confronto dominado pelo judoca brasileiro, a vitória veio por três waza-ari a zero, seguindo na disputa do Grand Slam de Judô.

Nas quartas-de-final, o brasileiro enfrentou um judoca da casa, o japonês Shoichiro Mukai. Na luta mais equilibrada de Eduardo na competição, até então, o atleta do Brasil venceu por um waza-ari e se classificou para a semifinal.

Na disputa por uma das vagas na decisão, Eduardo teve pela frente o japonês Kenta Nagasawa. Diferente dos confrontos anteriores, o brasileiro não teve o domínio das ações e saiu derrotado por ippon, caindo para a disputa da medalha de bronze.

Na luta pelo bronze, o brasileiro enfrentou o atleta da Geórgia Ushangi Margiani. No confronto, Eduardo não teve o mesmo rendimento de lutas anteriores e acabou derrotado por ippon através de imobilização, ficando sem a medalha.

 

Último atleta brasileiro a competir, o atual líder do ranking da categoria e vice-campeão mundial, David Moura estreou na segunda luta contra o austríaco Daniel Allerstorfer. O brasileiro conseguiu a vitória por ippon através de imobilização e seguiu na disputa do Grand Slam de Tóquio.

Nas quartas-de-final, David Moura teve pela frente a jaonês Kokoro Kageura. A luta entre os judocas foi equilibrada, com vitória para o dono da casa por ippon através de imobilização, colocando o brasileiro para disputar a medalha de bronze.

Na primeira luta da repescagem, o brasileiro enfrentaria o japonês Takeshi Ojitani, mas por desistência do adversário David Moura venceu por WO.

No confronto valendo a medalha de bronze, David Moura teve pela frente o terceiro adversário japonês do dia. Agora o brasileiro enfrentou Daiki Konikawa e conseguiu a vitória por ippon através de imobilização, conquistando a segunda medalha para o Brasil. O título da categoria ficou com o japonês Yusei Ogawa.

Mais em Judô