Siga o OTD

Judô

Metade dos judocas olímpicos volta à ativa no Grand Slam de Abu Dhabi no fim do mês

Chegou ao fim o período de férias dos judocas olímpicos brasileiros e sete, dos 14 que representaram o país nos Jogos do Rio, retornarão às competições dos Circuito Mundial da FIJ neste mês, no Grand Slam de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, nos dias 29 e 30.

Entre as nove atletas convocadas para a equipe feminina estão Mariana Silva (63kg), quinta colocada no Rio, Maria Suelen Altheman (+78kg) e Maria Portela (70kg). A peso-médio gaúcha considera importante voltar às competições logo no início do ciclo olímpico para estudar adversárias que estão chegando agora.

“Abu Dhabi é um recomeço, um novo ciclo com novas metas. Estou feliz de voltar a competir, principalmente porque neste início de ciclo temos atletas novas na categoria e acho importante conhecê-las”, explica. “Ainda não penso em Tóquio. Prefiro pensar ano a ano e ir sentindo como as coisas vão acontecendo.”

A equipe masculina, por sua vez, terá o retorno de quatro atletas olímpicos: Charles Chibana (66kg), Alex Pombo (73kg), Victor Penalber (81kg) e Rafael Buzacarini (100kg), que garante estar muito mais motivado depois de sua primeira participação olímpica.

“Voltar a competir é muito bom, ainda mais num Grand Slam. É minha primeira competição depois das Olimpíadas e tenho certeza que vai ser diferente. Sinto que estou diferente por causa das Olimpíadas”, disse Buzacarini. “Voltei a treinar 20 dias depois de ter lutado já pensando nessa convocação para Abu Dhabi”.

Ao lado deles, estarão outros nomes fortes do judô brasileiro que participaram do ciclo Rio 2016, como Eric Takabatake (60kg), Marcelo Contini (73kg), Eduardo Bettoni (90kg), Luciano Corrêa (100kg), David Moura (+100kg), Nathália Brígida (48kg), Ketleyn Quadros (63kg), Barbara Timo (70kg) e Samanta Soares (78kg), e jovens recém-saídos da Base, como Jéssica Pereira (52kg), Layana Colman (52kg), Rafael Macedo (81kg) e João Marcos Cesarino (+100kg).

O Grand Slam é uma das etapas do Circuito Mundial que mais distribuem pontos no Ranking Mundial da FIJ. O campeão soma 500 pontos, o vice leva 300 e os terceiros somam 200 pontos cada. A pontuação adquirida em Abu Dhabi já valerá para o ranking olímpico de classificação para os Jogos de Tóquio, em 2020.

Mais em Judô