Siga o OTD

Pan 2019

Adestramento do Brasil é bronze e se garante em Tóquio

João Paulo Santos, João Victor Oliva, Luiz Silva e Pedro Manuel terminam a frente do México, conquistam a medalha e a vaga nos Jogos Olímpicos

Jonne Roriz/COB

Adestramento do Brasil é bronze e se garante em Tóquio

No segundo dia do Adestramento nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, o Brasil alcançou seu objetivo. Nos dois dias de apresentações com João Paulo Santos, João Victor Oliva, Luiz Silva e Pedro Manuel, a equipe brasileira terminou com 408.696 pontos, conquistou a medalha de bronze e garantiu a vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Os Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 deram duas vagas para a Olimpíada do próximo ano. Contudo, como os Estados Unidos já estavam classificados, e terminaram entre os dois primeiros, a vaga passou para o terceiro lugar. No primeiro dia de provas Brasil e México passaram o dia se alternando na terceira posição, com os brasileiros terminando dentro do pódio por pouco mais de dois pontos. Nesta segunda-feira, os atletas do Brasil fizeram um prova com menos erros do que os mexicanos, conseguindo abrir um pouco mais a vantagem e carimbaram o passaporte para Tóquio.

“Estamos muito felizes com a conquista da vaga para Tóquio. Era o que queríamos e viemos em busca nesta competição. Agradecemos todos pelo apoio que tivemos para chegar e conseguir a medalha”, disse João Victor Oliva.

Como foi o dia

O dia brasileiro começou com João Paulo dos Santos. Melhor brasileiro no primeiro dia de provas, o atleta fez uma apresentação consistente, cumprindo com todas as obrigatoriedades e saiu com a nota de 69.265, melhorando em em cerca de 0.2 seu resultado em relação ao dia anterior. Já João Victor Oliva não conseguiu um desempenho parecido. Se no primeiro dia de provas, o atleta terminou sua apresentação com 66.618, nesta segunda-feira (29), João encerrou a disputa com 65.147.

Terceiro atleta brasileiro a competir na tarde desta segunda-feira, Luiz Silva acabou terminando sua apresentação com um total de 66.553 pontos, mantendo o Brasil na terceira posição. Último a se apresentar, Pedro Manuel conseguiu uma apresentação segura e fechou com 65.660, que deu ao Brasil a medalha de bronze e a vaga nas Olimpíadas de Tóquio 2020.

Entenda a competição

A competição de adestramento é dividida em dois dias, com cada um deles tendo um tipo de apresentação, uma small e um big. Abrem os torneios da modalidade o Prêmio São Jorge, que é um small tour, e o Grande Prêmio, que é big tour. Já no fechamento das competições ocorrem o Intermediária I e o Grande Prêmio especial, que seguem a mesma definição.

Para os jogos Pan-Americanos, os países poderiam participar do torneio de Adestramento com a seguinte composição:

  • Todos os quatro atletas realizando o small tour
  • Com dois atletas realizando o small e dois o big tour
  • Com três atletas realizando o small e um o big tour
  • Com dois atletas realizando o small e um o big tour (casos de países com três representantes)
  • Com um atleta realizando o small e um o big tour (casos de países com dois representantes)

Os países que buscavam a vaga olímpica, a competição na capital peruana dava duas vagas para os Jogos de Tóquio 2020, precisavam ter pelo menos um atleta realizando o Big tour nos dois dias, como foi o caso do Brasil. Além do nome, a diferença entre os dois percursos está em seu tamanho, suas obrigatoriedades, sua maior dificuldade e, o atleta que optar por fazê-lo, recebe 1.5 pontos a mais em sua nota final.

 

Mais em Pan 2019