Siga o OTD

Handebol

Em meio a casos de racismo e assédio, Brasileiro júnior define os finalistas

Ofensas racistas e assédio cometido contra atletas marcam torneio, que será encerrado neste sábado em Sorocaba

(Divulgação)

Em meio a casos de racismo e assédio, Brasileiro júnior define os finalistas

Disputado em Sorocaba desde o início da semana, o Campeonato Brasileiro Júnior de handebol feminino se viu envolvido num escândalo durante a sua realização. Na última quarta-feira, dois árbitros que estavam à serviço da competição foram afastados pela Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) após terem sido acusados de proferirem falas racistas contra o treinador e realizar comentários de caráter tom de assédio sexual contra jogadoras do Handebol Araraquara.

Segundo relatos, os comentários proferidos pela dupla, que no duelo em questão atuavam como mesários, foram perceptíveis durante algumas transmissões feitas de maneira amadora diretamente do ginásio de Sorocaba. Segundo nota emitida pela prefeitura de Araraquara, a entidade buscará providências contra as ações dos árbitros.

+ Confira a Tabela do Campeonato Brasileiro Júnior de handebol feminino 2021

A Prefeitura Municipal de Araraquara, através da Coordenadoria de Políticas Étnico-Raciais e do Centro de Referência Afro “Mestre Jorge”, e a Fundesport Araraquara repudiam veementemente a injúria racial proferida pelos árbitros Adriano Alves Rocha e Zaine Roberto durante o Campeonato Brasileiro Júnior de Handebol, que ocorre em Sorocaba, no período de 14 a 18 de setembro.

De forma racista e preconceituosa, eles ofenderam o técnico da equipe feminina araraquarense Robison Francisco dos Santos com xingamentos e várias insinuações de caráter racista. A Prefeitura repudia ainda a forma como as jogadoras de handebol foram igualmente maltratadas e ofendidas, vítimas de uma cultura machista.

A Coordenadoria e o Centro Afro, bem como a Fundesport, ratificam que todas as providências cabíveis estão sendo tomadas para que não haja impunidade.

Logo após o caso ter ocorrido, a Confederação Brasileira de Handebol soltou uma nota afirmando que afastou os árbitros do quadro da entidade e determinou um acompanhamento do caso, que será comunicado ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)

A Confederação repudia qualquer ato de preconceito e/ou desrespeito, seja dentro ou fora de quadra. Não podemos concordar ou aceitar comportamentos que não condizem com o handebol brasileiro. Como desportistas, precisamos dar exemplo e contribuir para uma sociedade cada vez mais igual e justa.

Além disso, o que se viu entre as atletas, comissões técnicas e as equipes participantes do torneio foram uma série de publicações e ações contra contra o assédio e o racismo. Antes do duelo entre Araraquara x CSA Alagoas, as jogadoras dos dois times e ó técnico da equipe de Araraquara se ajoelharam e levantaram o punho, num gesto de protesto contra o racismo.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Final será entre Pinheiros e Português

Brasileiro Júnior de handebol feminino
Pinheiros está invicto até aqui na competição (Divulgação)

Dentro de quadra, a sexta-feira (17) definiu os finalistas do Campeonato Brasileiro Júnior de handebol feminino. A grande decisão da competição será entre Pinheiros e Português, que duelam neste sábado, a partir das 15h. A dupla conquistou a vaga na final após ter derrotado o Centro Olímpico e o Concórdia, respectivamente. A dupla decide o terceiro lugar. Além desses dois duelos, o Handebol Araraquara e o Sorocaba disputam pela quinta colocação, enquanto o GHC e o CSA definem a sétima colocação.

Mais em Handebol