Siga o OTD

Ginástica Rítmica

Conjunto brasileiro é ouro na série mista em Portimão

Conjunto brasileiro conquista o ouro na nas três fitas e duas bolas e a prata nos cinco arcos da Copa do Mundo de Portimão

Na imagem, conjunto brasileiro mostrando todas as medalhas conquistadas em Portimão.
Conjunto brasileiro mostrando todas as medalhas conquistadas em Portimão. Foto: Divulgação/ CBG

O conjunto brasileiro conquistou mais duas medalhas na Copa do Mundo de Portimão de ginástica rítmica, neste domingo (12), em Portugal. Depois de ser vice na disputa geral, a equipe formada por Duda Arakaki, Victória Borges, Deborah Medrado, Sofia Pereira e Nicole Pírcio faturou o ouro na série mista e a prata nos cinco arcos. Babi Domingos e Geovanna Santos também disputaram finais individuais.

A medalha de ouro veio com na série mista (três fitas e duas bolas). Com uma apresentação impecável com o tema de “Brasilidade”, as meninas levantaram o público e marcaram 32.550 (17.7 de dificuldade, 8.200 de artístico e 6.650 de execução) para ficar em primeiro lugar com sobras. O México foi o segundo colocado com 30.100, enquanto a Espanha levou o bronze com 29.900.

Pouco antes, nos cinco arcos, as brasileiras fizeram uma boa apresentação ao som de “I Wanna Dance With Somebody”, de Whitney Houston. Sem grandes erros, elas marcaram 35.200 para ficar na segunda colocação e levar a prata. O conjunto recebeu 19.8 de dificuldade, 8.050 de artístico e 7.350 de execução. O ouro desta prova ficou com a Espanha, com 35.750, enquanto a França levou o bronze com 34.050.

Dessa forma, o conjunto brasileiro encerra a Copa do Mundo de Portimão de ginástica rítmica com sua melhor participação na história. Foram três medalhas conquistadas em três possíveis: um ouro e duas pratas. No ano passado, as meninas brasileiras haviam sido medalhistas de ouro na disputa dos cinco arcos.

Finais individuais

Ainda neste domingo, Babi Domingos e Geovanna Santos participaram de finais individuais. Babi terminou na quarta colocação na bola, com 31.950. Ao som de “Je Suis Malade”, ela recebeu 16.2 de dificuldade, 8.000 de artístico e 7.800 de execução. A belarrussa Alina Harnasko levou o ouro com 33.500, enquanto a cazaque Erika Zhailauova (32.400) e a eslovena Ekaterina Vedeneeva (32.250) completaram o pódio.

As duas brasileiras também competiram na final das maças. Babi também ficou em quarto lugar, marcando 32.000 (16.1 de dificuldade, 7.950 de artístico e 7.950 de execução). Geovanna Santos foi a sétima colocada, com 29.100 (13.2 de dificuldade, 7.800 de artístico e 7.100 de execução). A campeã foi a alemã Darja Varfolomeev, com 34.100, enquanto Alina Harnasko (33.650) e Ekaterina Vedeneeva (32.250) completaram o pódio.

Paulistano de 22 anos. Jornalista formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Estou no Olimpíada Todo Dia desde 2022. Cobri os Jogos Mundiais Universitários de Chengdu e os Jogos Pan-Americanos de Santiago-2023.

Clique para comentar

Você deve estar logado para postar uma comentário Login

Deixe um Comentário

Mais em Ginástica Rítmica