Siga o OTD

Debate Olímpico

#TAG Ídolos no Esporte com Aline Silva e Caio Senise; assista!

No programa do OTD em parceria com o Vamo Junto, Aline Silva, do wrestling, e o Dr. Caio Senise, médico do esporte, falam sobre os Ídolos do Esporte; assista!

Fala, galera! Dia de apresentar uma tag muito especial chamada Ídolos no Esporte com Aline Silva, do wrestling e, também, o Dr. Caio Senise, médico do esporte. A gravação foi feita durante a gravação do Debate Olímpico sobre lesão. Ficou curioso pra saber mais? Assista e descubra mais sobre eles!

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Conheça mais sobre Aline Silva, do wrestling:

Projeto Social de Aline pede ajuda contra a pandemia

A trajetória da lutadora Aline Silva na vida foi mudada graças ao esporte. De um coma alcoólico aos 11 anos de idade, a atleta olímpica do wrestling superou muitos obstáculos para disputar duas Olimpíadas. A fim de inspirar novas atletas e promover a igualdade de gênero por meio do esporte e da educação, a paulistana criou o MEMPODERAprojeto social que está precisando de ajuda nesses difíceis tempos de pandemia.

+ ASSISTA A TAG ÍDOLOS NO ESPORTE COM ALINE SILVA E CAIO SENISE

Tag Ídolos no Esporte com Aline Silva e Caio Senise
Tag Ídolos no Esporte com Aline Silva e Caio Senise

A ideia do MEMPODERA sempre esteve na cabeça de Aline. Desde o começo de sua trajetória esportiva, quando ainda praticava o judô, a atleta percebeu que 90% dos alunos nos treinos eram homens. Ela não se sentia parte daquele espaço, achava que a luta não era coisa menina. Então sentiu o desejo de mudar essa situação. Leia mais!

Música de Emicida motivou Aline Silva a se garantir em Tóquio

A lutadora conquistou sua vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio na Seletiva Pan-Americana de wrestling em março. Para se garantir na Olimpíada a atleta precisou superar um ciclo desafiador, passando por cima de lesões, e se inspirou no trecho de uma música do cantor Emicida para se motivar e lutar confiante. Agora, com o passaporte em mãos, Aline Silva quer uma medalha olímpica.

+ ASSISTA A TAG ÍDOLOS NO ESPORTE COM ALINE SILVA E CAIO SENISE

“Para mim, o adiamento foi terrível. Classifiquei no dia 15 de março e no dia 17 já cheguei ao Brasil confinada. No primeiro momento fiquei preocupada se a vaga realmente estaria garantida. A falta de pronunciamento me deixou com medo de voltarem atrás nas classificações. Foi difícil para todo mundo, mas não tinha o que fazer. Foi melhor adiar do que cancelar”, relatou Aline, em live veiculada no Instagram do Olimpíada Todo Dia. Leia mais!

Mais em Debate Olímpico