Siga o OTD

Lais Nunes e Aline Silva classificadas para Tóquio 2020 no wrestling

Tóquio 2020

Aline Silva e Laís Nunes carimbam vaga para Tóquio no wrestling

Aline Silva e Laís Nunes chegam às semifinais de suas categorias na Seletiva Olímpica de wrestling e se garantem no Japão

Aline Silva e Laís Nunes se garantem nos Jogos Olímpicos (divulgação/CBW/arquivo)

Aline Silva e Laís Nunes carimbam vaga para Tóquio no wrestling

O wrestling brasileiro tem mais duas representantes nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Neste sábado (14), Aline Silva e Laís Nunes chegaram até a final da Seletiva Olímpica Pan-Americana da luta livre feminina, realizado em Ottawa, no Canadá, e se tornaram as duas primeiras mulheres a se garantirem na modalidade nos Jogos de Tóquio 2020.

Na sexta (13), Eduard Soghomonyan foi o primeiro lutador brasileiro a conseguir a vaga olímpica, na categoria até 130 kg.

Para carimbar o passaporte, Aline venceu três lutas e perdeu uma, enquanto que Laís triunfou três vezes.

Aline Silva

Aline Silva começou o dia encarando uma grande pedreira. Sua adversária de estreia foi a canadense Erica Wiebe, atual campeã olímpica da categoria 78 kg. A brasileira fez uma boa luta, mas acabou perdendo por 3 a 1.

Com a derrota, Aline precisaria vencer seus próximos dois combates para seguir sonhando com a vaga nas semifinais. E foi isso que ela fez. Primeiro, passou com tranquilidade pela venezuelana Andrimar Lázaro por 4 a 0.

Na sequência, teve a decisão em uma luta tensa contra a cubana Milaymis Marín. Aline saiu na frente, mas tomou a virada com menos de dois minutos restantes no combate. A brasileira foi para cima e conseguiu fazer 3 a 2 a apenas 30 segundos do fim. Após o término, a cubana pediu revisão sobre uma possível pontuação, mas acabou perdendo.

A adversária da semifinal foi a colombiana Andrea Olaya, medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019. Em uma disputa muito equilibrada, Aline levou a primeira pontuação com 4 minutos restando no cronômetro. O empate veio nos dois minutos finais e a virada a 40 segundos do fim.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Laís Nunes

Laís Nunes venceu as duas lutas na fase de grupos da categoria 72 kg. Primeiro, bateu a canadense Michelle Fazzari, medalhista de bronze no campeonato mundial de 2017, por 6 a 1. Na sequência, confirmou a classificação entre as quatro melhores ao bater a dominicana Yessica Oviedo por 9 a 3.

Na semifinal, uma velha conhecida: a venezuelana Nathaly Grimán, mesma adversária enfrentada por Laís na disputa da medalha de bronze dos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019.

Assim como Aline Silva, Laís não teve vida fácil e também saiu atrás no placar na semifinal. A brasileira empatou a luta em 1 a 1 a menos de dois minutos do fim e conseguiu a virada logo na sequência. Quando faltavam apenas 6 segundos, a venezuelana aplicou um golpe em Laís que por pouco não entrou. Grimán pediu a revisão, mas os juízes mantiveram a decisão, classificando assim a brasileira para os Jogos.

Com a classificação de Aline Silva e Laís Nunes, o Brasil passa a ter tem 177 atletas nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O número pode aumentar neste domingo (15) na continuação da Seletiva Olímpica Pan-Americana de wrestling.

Outros atletas não conseguem vaga

Três outras brasileiras não tiveram a mesma sorte de Aline Silva e Laís Nunes neste sábado e terão que tentar a vaga olímpica somente em junho, no pré-olímpico mundial da modalidade.

Na categoria 68 kg, Dailane Reis fazia uma boa luta contra a equatoriana Leonela Layoví e vencia por 6 a 3. Em um descuido, acabou finalizada pela adversária, dando adeus às chances de chegar na semifinal.

Giulia Penalber começou bem a fase de grupos da categoria 57 kg vencendo a equatoriana Lisette Antes por 9 a 3. Na sequência, fez uma boa luta contra a americana Helen Maroulis, atual campeã olímpica e duas vezes campeã mundial, mas acabou derrotada por 3 a 1. No duelo que valeria a vaga para as semifinais, perdeu para a canadense Linda Morais, atual campeã olímpica da categoria e acabou eliminada da briga por Tóquio 2020.

Na luta de qualificação para a chave principal da categoria 50 kg, Kamila Oliveira foi bem e venceu a venezuelana Génesis Milano sem maiores dificuldades por 12 a 1. Nas quartas de final, a brasileira não foi páreo para a canadense Jessica MacDonald, três vezes medalhista em campeonatos mundiais de wrestling, com o título conquistado em 2012, e perdeu por 10 a 0.

Mais em Tóquio 2020