Siga o OTD

Canoagem Slalom

Domínio no feminino e empate inédito no masculino marcam Copa Brasil de canoagem slalom

Quarta colocada na temporada da Copa do Mundo de canoagem slalom, Ana Sátila mostrou porque é a melhor atleta da modalidade na etapa da Copa Brasil realizadas em Três Coroas, interior do Rio Grande do Sul ao dominar todas as provas femininas.

Na K1 Sênior a atleta completou o percurso em 101’49’’, no C1 seu tempo ficou em 113’49’’. Mesmo vindo de temporada europeia com uma medalha de prata conquistada na 4a Etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom em Praga, na República Tcheca, a atleta admirou o desenvolvimento técnico nacional.

– Eu fiquei muito surpresa com o nível do pessoal, principalmente os iniciantes. Esse crescimento deixam as disputas ainda mais acirradas, o que contribui para que a canoagem brasileira evolua bastante – analisa Ana Sátila.

O segundo e terceiro lugares da K1SR ficaram com Marina Costa (114’51’’) e Milene Wolf (119’64’’). No C1, a prata e o bronze foram para Ana Castro (150’43’’) e Omina Neta (187’67’’).

No masculino, o desfalque foi Pedro Henrique Gonçalves, finalista olímpico no Rio, que acabou sendo vetado da disputa pelo departamento médico e voltou para Piraju para se tratar.

Mesmo sem ele, a disputa foi emocionante.  A surpresa do campeonato foi o resultado final da C1 Masculino Sênior. Com um tempo de 95’75’’, os atletas Felipe Borges e Thiago Serra conquistaram um raro empate na modalidade. Apesar de fazer uma prova limpa, Thiago ficou dois segundos atrás de Felipe, que igualou os tempos ao bater em uma baliza e sofrer uma penalidade.

– Como eu cheguei em primeiro na classificatória e na semifinal, eu esperava chegar bem na final. Só não esperava um empate. Isso é algo bem incomum, disse Felipe Borges.

Thiago Serra também se surpreendeu com o resultado.

– A expectativa era de estar entre os três primeiros e conseguir pontuar bem no ranking, mas o empate na canoagem é muito raro então foi uma grande surpresa – conta Thiago.

O bronze da C1MSR ficou com Leonardo Curcel (95’84’’), enquanto que o ouro duplo foi celebrado por todos como um reflexo do crescimento técnico dos atletas brasileiros.

Para Argos Gonçalves Dias Rodrigues, Superintendente de Canoagem Slalom da CBCa, a conquista deve ser celebrada.

– Este foi um dos melhores eventos que nós já realizamos em termos de infraestrutura, técnica e, principalmente, no retorno dos atletas que conseguiram tempos ótimos. Há muito tempo as C1s não ficavam tão próximas das K1s. E tivemos um fato que eu não me recordo de ter acontecido, que foi o empate dos dois ouros na Canoa. Nós tivemos grandes avanços esportivos da canoagem slalom aqui em Três Coroas, comemorou Argos.

Na K1 Masculina Sênior, quem chegou em primeiro lugar foi Ricardo Taques (89’34’’), que mantém a liderança do ranking pelo segundo ano consecutivo. A segunda e terceira colocações ficaram com Anderson Oliveira (139’89’’) e Fábio Rodrigues (140’36’’).

– Eu acredito que a canoagem está evoluindo e, prova após prova, a gente está provando isso. Chegamos nas provas sem ter um favorito, o que nos motiva ainda mais, disse Ricardo Taques.

Guilherme Rodrigues fechou o melhor tempo no K1 Masculino Júnior. Com 93’61’’ ele chegou na frente de Murilo Sorgetz (94’69’’) e Daniel Carrasco (97’21’’).

Competindo em casa, Gustavo Selbach Junior contou com a torcida para conquistar o ouro na C1 Masculina Júnior com (100’67’’). William Oliveira chegou em segundo (111’97’’) e Denis Quellis, em terceiro (151’11’’).

– Apesar de ter um pouco de pressão, é sempre bom competir em casa, onde eu treino, e ter a família e os amigos aqui. Isso colabora muito e se refletiu no meu resultado final, disse Gustavo Junior.

Mais em Canoagem Slalom