Siga o OTD

Canoagem Slalom

Ana Sátila recorda dificuldades e começa ciclo empolgada

Após altos e baixos no ano, Ana Sátila destaca aprendizados e já mira Paris, contando com um novo treinador desde o início do ciclo

Ana Sátila recorda dificuldades e começa ciclo empolgada
(Wander Roberto/COB)

O ano de 2021 não saiu como Ana Sátila esperava. Uma das esperanças de medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, ela não conseguiu subir ao pódio, mas fez história ao se tornar a primeira mulher brasileira a disputar uma final olímpica na canoagem slalom, ficando na 10ª posição. O resultado, entretanto, trouxe muitos aprendizados para ela, que já inicia o novo ciclo rumo a Paris-2024 empolgada.

“Foi muito difícil para mim pessoalmente. Foi uma temporada que eu tive altos e baixos, aprendi muito e tive que superar muitos desafios. Levei um tempo para entender, foram várias emoções. Para mim foram Jogos que me recordo com muita felicidade, apesar de não ter conseguido o resultado que queria. Foi uma final olímpica, mas sei que conseguiria ir muito mais além. Isso acaba sendo frustante, mas por outro lado o povo brasileiro foi muito bacana, torceu bastante e isso para mim foi uma novidade. Foi a primeira vez que eu senti essa vibração e foi muito especial”, relembrou ao OTD.

A experiência em Tóquio, apesar de frustante, trouxe certamente muita bagagem para Ana Sátila, já pensando no próximo ciclo, que será mais curto. “Descansei duas semanas depois de Tóquio e continuei treinando. A gente ainda tinha um Campeonato Mundial, que para mim eu fui empurrando apesar de saber que eu não estava me sentindo muito bem. Mas eu precisava competir, então fui e dei o meu melhor. Vou descansar só no Natal, mas estou me sentindo muito bem, com a cabeça no lugar. Eu quero treinar mais, em casa, nas férias… Então está sendo uma transição muito bacana”.

Novo treinador

Para Ana Sátila, uma mudança logo nesse início de ciclo será fundamental. Depois de passar os últimos quatro anos praticamente sozinha, ela terá agora um novo treinador, que vai acompanhá-la durante toda a temporada. O nome ainda não foi divulgado, mas ela já está mais do que animada.

“Só o fato de saber que eu vou ter um treinador para a próxima temporada motiva muito mais. Foram quatro anos praticamente sem uma pessoa me acompanhando, então foi difícil, passei por muita coisa sozinha e agora vai ser diferente. Isso muda totalmente a vida do atleta. Então fico muito feliz de ter uma pessoa que vai me acompanhar, isso traz uma tranquilidade muito grande”.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

Assim, mais madura e pronta para a próxima, Ana Sátila está mais focada do que nunca para ir a Paris e atingir o seu potencial. “A próxima temporada vai ser totalmente diferente e a gente já vai conseguir se preparar para Paris muito melhor. Então estou muito feliz. Aprendi bastante, sofri muito, não foi como eu planejava, mas tudo tem um propósito. Estou começando essa nova temporada com o pé direito, mais focada que antes. Quero continuar só dando o meu melhor a cada dia. E em Paris quero que continue assim e que eu consiga trazer o resultado que eu vou buscar”.

Mais em Canoagem Slalom

viagra