Siga o OTD

Basquete

Com emoção, Tyrone desbanca Palacios na decisão e vence Desafio de Habilidades

Com emoção, Tyrone desbanca Palacios na decisão e vence Desafio de Habilidades

Assim como na NBA, o Desafio de Habilidades 2017 foi dominado por um gigante. Se lá, os pivôs Karl Anthony-Towns e Kristaps Porzingis foram os campeões das últimas edições, aqui o título ficou com o ala/pivô Tyrone, do Mogi das Cruzes/Helbor, na competição que abriu o Jogo das Estrelas 2017, neste domingo (19/03), no Ginásio do Ibirapuera.

Mesclando habilidade, explosão e muita calma na hora do arremesso decisivo da competição, o norte-americano desbancou nada menos que Holloway, do EC Pinheiros, nas eliminatórias do sábado (18/03), e neste domingo três dos melhores armadores do NBB, no Jogo das Estrelas, Kenny Dawkins, do Universo/Vitória, Davi Rossetto, do Solar Cearense, e Damián Palacios, do Vasco da Gama, para conquistar o título, na primeira edição que contou com a participação de jogadores de garrafão, como o próprio Tyrone.

“Eu só ganhei de caras mais baixos, com mais habilidade que eu. Por dois anos seguidos na NBA jogadores grandes foram campeões e desde o início eu falei que iria ganhar. Ninguém acreditou, mas agora eu sou o campeão”, declarou Tyrone, campeão do Jogo das Estrelas.

Quartas de final

Palacios (Vasco da Gama) x Betinho (Campo Mourão Basquete)

O primeiro confronto desta manhã foi marcado por muito equilíbrio, com Palacios e Betinho colados durante todo o circuito. Na hora do arremesso final, o ala do Campo Mourão errou os dois arremessos que tentou, enquanto o armador cruzmaltino matou seu segundo chute e garantiu vaga na semifinal.

Fúlvio (UniCEUB/BRBCARD/Brasília) x Cafferata (LSB/Uniso)

O segundo embate foi definido pela grande precisão de “Magic” Fúlvio. Por mais que tenha ficado para trás no circuito, o armador do Brasília aproveitou o erro de Enzo Cafferata em seu primeiro arremesso e matou o tiro de 3 pontos de primeira, garantindo a classificação para próxima fase.

Davi Rossetto (Solar Cearense) x Georginho (Paulistano/Corpore)

No terceiro duelo, a qualidade do Melhor Armador do NBB CAIXA 15/16 foi determinante. Enquanto Georginho se atrapalhou no passe de peito, errando duas vezes, Davi Rossetto acertou tudo de primeira (passe e arremesso) e não deu chances ao armador do Paulistano.

Dawkins (Universo/Vitória) x Tyrone (Mogi das Cruzes/Helbor)

No confronto de norte-americanos, Tyrone e Dawkins protagonizaram mais uma disputa acirrada. Os dois competidores fizeram o circuito lado-a-lado e na hora H, o armador do Vitória desperdiçou suas duas tentativas, enquanto o ala/pivô mogiano converteu a segunda bola e avançou na competição.

Semifinal

Palacios (Vasco da Gama) x Fúlvio (UniCEUB/BRBCARD/Brasília)

A primeira semifinal manteve a emoção a flor da pele. Depois de realizar o passe perfeitamente, Palacios se atrapalhou na saída para bandeja, mesmo assim o armador vascaíno se recuperou e chegou praticamente junto à Fúlvio para o arremesso. Na hora da decisão, os dois armadores erraram seus primeiros tiros e na segunda tentativa, o gatilho rápido do argentino foi decisivo, já que sua bola caiu centésimos antes dá do brasileiro.

Davi Rossetto (Solar Cearense) x Tyrone (Mogi das Cruzes/Helbor)

Na segunda disputa antes da decisão, o grandão superou o baixinho. Por mais que Davi tenha aberto vantagem por sua velocidade, o armador da equipe cearense não acertou sua primeira tentativa e isso foi decisivo. Tyrone chegou concentrado, converteu seu arremesso e desbancou seu terceiro adversário no Desafio de Habilidades.

Final

Palacios (Vasco da Gama) x Tyrone (Mogi das Cruzes/Helbor)

A grande decisão, assim como todo Desafio de Habilidades, foi marcado pela extrema emoção. Na velocidade, Palacios deixou Tyrone para trás no circuito. Porém, no arremesso decisivo, o armador argentino errou seus dois arremessos, enquanto o ala/pivô do Mogi converteu sua segunda tentativa e garantiu o título da competição.

Mais em Basquete