Siga o OTD

Basquete

Astro da NFL se desculpa por critica a protestos; LeBron rebate

Drew Brees recuou após criticar protesto contra o racismo recorrente em jogos de futebol americano, mas o atleta da NBA não engoliu e voltou a rebater o compatriota

Drew Brees pede desculpas após criticar protestos contra o racismo (Instagram/saints)

Astro da NFL se desculpa por critica a protestos; LeBron rebate

O jogador americano Drew Brees, astro da NFL e quarterback do New Orleans Saints, pediu desculpas nesta quinta-feira (4) por seus comentários sobre protestos contra o racismo feitos antes dos jogos da NFL, que provocaram reações negativas de companheiros de equipes, rivais e astros de outras ligas esportivas americanas, como a estrela da NBA Lebron James.

+ NBB promove debate contra o racismo com técnicos e jogadores

“Gostaria de pedir desculpas aos meus amigos, colegas de equipe, à cidade de Nova Orleans, à comunidade negra, à comunidade da NFL e a qualquer pessoa que eu tenha machucado com meus comentários de ontem”, disse Brees nesta quinta-feira.

“Ao falar com alguns de vocês, parte meu coração saber a dor que causei.

“Na tentativa de falar sobre respeito, unidade e solidariedade em torno da bandeira americana e o hino nacional, fiz comentários insensíveis e que erraram completamente o alvo sobre os problemas que estamos enfrentando agora como país”, disse o jogador de 41 anos.

Ver essa foto no Instagram

I would like to apologize to my friends, teammates, the City of New Orleans, the black community, NFL community and anyone I hurt with my comments yesterday. In speaking with some of you, it breaks my heart to know the pain I have caused. In an attempt to talk about respect, unity, and solidarity centered around the American flag and the national anthem, I made comments that were insensitive and completely missed the mark on the issues we are facing right now as a country. They lacked awareness and any type of compassion or empathy. Instead, those words have become divisive and hurtful and have misled people into believing that somehow I am an enemy. This could not be further from the truth, and is not an accurate reflection of my heart or my character. This is where I stand: I stand with the black community in the fight against systemic racial injustice and police brutality and support the creation of real policy change that will make a difference. I condemn the years of oppression that have taken place throughout our black communities and still exists today. I acknowledge that we as Americans, including myself, have not done enough to fight for that equality or to truly understand the struggles and plight of the black community. I recognize that I am part of the solution and can be a leader for the black community in this movement. I will never know what it’s like to be a black man or raise black children in America but I will work every day to put myself in those shoes and fight for what is right. I have ALWAYS been an ally, never an enemy. I am sick about the way my comments were perceived yesterday, but I take full responsibility and accountability. I recognize that I should do less talking and more listening…and when the black community is talking about their pain, we all need to listen. For that, I am very sorry and I ask your forgiveness.

Uma publicação compartilhada por Drew Brees (@drewbrees) em

Entenda o caso

Em entrevista ao Yahoo Finance! na quarta-feira (3), o quarterback disse que sua ajoelhar-se para protestar contra o racismo e a brutalidade policial era “desrespeitoso” com a bandeira dos Estados Unidos.

Repercussão negativa

As palavras de Drew Brees foram duramente criticadas pela comunidade esportiva americana, especialmente pelos seus companheiros de equipe. O safety dos Saints Michael Jenkins, por exemplo, deu uma dura resposta em um vídeo de mais de quatro minutos em seu Instagram. Emocionado e com os olhos cheios de lágrima, o atleta se disse machucado e desapontado com a opinião sobre os protestos contra o racismo Brees.

Michael Thomas, um dos principais recebedores dos Saints e alvo preferido de Brees nos jogos, não criticou o companheiro de equipe diretamente, mas retuitou um comentário de um jornalista que questionava: “Como alguém pode ver alguém como George Floyd ser assassinado e dizer, como primeira resposta sobre o assunto, sobre ‘DesRESpeiTO à BaNDeiRA’ ?”.

Astro da NFL, Drew Brees pediu desculpas pelas críticas que fez aos protestos contra o racismo. Atleta foi criticado por Lebron e outros esportistas
Comapnheiro de Drew Brees, Michael Thomas criticou o quarterback do Saints sobre sua opinião sobre os protestos contra o racismo (Instagram/saints)

Lebron não engoliu as respostas

Lebron James foi um dos mais críticos às palavras de Drew Brees. Após as declarações do quarterback, o jogador respondeu: “Você ainda não entende literalmente por que Kap estava se ajoelhando? Não tem nada a ver com desrespeito à bandeira dos Estados Unidos e nossos soldados (homens e mulheres) que mantêm nossa terra livre”.

Kap é Colin Kaepernick, também quarterback da NFL, que em 2016, passou a se ajoelhar durante as tradicionais execuções do hino nacional antes de partidas das ligas esportivas nos Estados Unidos. O ato, em protesto contra o racismo, gerou muito debate e, no final das contas, hoje, Kaepernick, que chegou a disputar um Superbowl, está sem time já há algum tempo.

Ontem, Brees disse que está “com a comunidade negra na luta contra a injustiça racial sistêmica e a brutalidade policial e apoio a criação de políticas de mudanças reais que farão a diferença”.

Mas Lebron James não comprou muito o discurso. Nessa sexta-feira, o astro do Los Angeles Lakers retuitou a fala do jornalista Michael Wilbon em um programa da ESPN americana.

“Os avós de Drew Brees voltaram da guerra para as suas casas, provavelmente numa parada comemorativa. Meus familiares voltaram pra casa com as pessoas: dizendo “vão logo para o fundo do ônibus”. E todos eles se sacrificaram para defender esse país! Drew Brees não entende isso,” disse o jornalista.

Mais em Basquete