Siga o OTD

Basquete

Petrovic acredita na vaga se 4 condições forem respeitadas

Treinador Aleksandr Petrovic coloca quatro condições, que, segundo ele, see forem respeitadas o Brasil terá grandes chances de vencer io Pré-Olímpico e se classificar no basquete masculino para os Jogos de Tóquio

Alexandre Loureiro/COB/arquivo

A missão não será fácil. Em junho do ano que vem, em Split, na Croácia, seis países jogarão o Pré-Olímpico por apenas uma vaga nos Jogos de Tóquio. O Brasil terá adversários importantes pela frente como os donos da casa e a Rússia, além da Alemanha e dos azarões Tunísia e México. Apesar de saber as dificuldades que terá pela frente, o técnico Aleksandar Petrovic está confiante. Ele acredita que a Seleção Brasileira possa vencer o torneio, mas coloca quatro condições, que ele espera que sejam cumpridas, para que o país possa sair da competição como campeão e com o passaporte carimbado para o Japão.

“Se forem cumpridas, estou seguro de que Brasil tem muita chance de ganhar esse torneio na Croácia”, garante o treinador, que, na entrevista coletiva concedida logo depois do sorteio do Pré-Olímpico, explicou uma a uma essas condições.

CONDIÇÃO 1: VETERANOS EM QUADRA

Leandrinho é um dos veteranos apontados como fundamentais por Petrovic (FIBA/Divulgação)

A primeira das condições é poder contar com os veteranos Leandrinho (37 anos), Anderson Varejão (37), Alex (39), Marcelinho Huertas (36) e Marquinhos (35). “Em maio vou chamar eles para ter uma resposta sobre a participação no Pré-Olímpico. Eu quero continuar esse caminho que foi bem feito na China durante o Campeonato Mundial. Em 45 dias de preparação e de jogos construímos um caminho. Agora, quero no Pré-Olímpico e depois, caso ganhemos o torneio em Split, continuar esse caminho que começou na China. Então, eu espero um sim de todos os cinco veteranos”, explicou o treinador.

CONDIÇÃO 2: UM CLUBE PARA VAREJÃO

Anderson Varejão, que está sem clube, precisa voltar a jogar com frequência (Fiba/Divulgação)

A segunda condição tem a ver com a primeira. Um dos veteranos mais importantes, o pivô Anderson Varejão, está sem clube desde a metade do ano, quando deixou o Flamengo, irritado pela proposta feita pelo Rubro-Negro de baixar o salário do jogador.

“Muito importante que, nos próximos 30 e 40 dias, Anderson Varejão encontre um clube para jogar. O Pré-Olímpico é uma competição curta com um período curto de preparação também”, disse Petrovic para explicar que não daria tempo do jogador entrar em forma e recuperar o ritmo de jogo durante os treinos da Seleção. “A preparação vai durar apenas dez, 12 dias” .

CONDIÇÃO 3: RAULZINHO FORA DOS PLAYOFFS

Raulzinho, no Philadelphia 76ers, na NBA
Raulzinho só vai jogar o Pré-Olímpico se o Philadelphia 76ers não for para os playoffs da NBA (reprodução/instagram)

A terceira condição é poder contar com o armador Raulzinho. Para que isso aconteça, o Philadelphia 76ers, time do jogador, não pode se classificar para os playoffs da NBA. Com 11 vitórias e seis derrotas até agora, a equipe é a quinta colocada da Conferência Leste e está na zona de classificação, mas ainda muitos jogos vão acontecer até a definição dos 16 times (oito de cada conferência), que vão brigar pelo título da liga profissional americana.

“Estou em contato com Raulzinho e caso o time dele não entre nos playoffs, Raulzinho vai estar com a gente também. Isso vai nos trazer uma qualidade a mais para enfrentar esse tipo de Pré-Olímpico”, entende Petrovic.

CONDIÇÃO 4: MORAL PARA CABOCLO E FELÍCIO

Petrovic quer dar moral a Bruno Caboclo e Cristiano Felício que estão jogando pouco na NBA

A quarta e última condição mira dois outros brasileiros que jogam na NBA: os jovens Bruno Caboclo, do Memphis Grizzlies, e Cristiano Felício, do Chicago Bulls. Seus times devem ficar fora dos playoffs, mas o que preocupa é o fato de ambos estarem sendo muito pouco aproveitados.

Cristiano Felício ainda não fez nenhuma partida na temporada 2019/2020, enquanto Bruno Caboclo entrou em dez das 16 partidas disputadas pelo Memphis Grizzlies, mas tem uma média de menos de nove minutos jogados por partida.

Bruno Caboclo na seleção brasileira de basquete masculino
Bruno Caboclo teve atuação muito elogiada por Petrovic no Mundial (FIBA/Divulgação)

“Em fevereiro, graças ao COB, vou viajar para os Estados Unidos depois da janela de amistoso contra o Uruguai. Vou conversar com os jogadores da NBA. Agora a situação é um pouco particular porque não jogam muito nem Cristiano Felício e nem Bruno Caboclo, mas eu estou em contato com eles para que não baixem a cabeça. Especialmente Bruno Caboclo, que na China começou a dar bons sinais de muita qualidade e é importante não deixar os dois baixarem a moral. É importante chegar com um bom ânimo neste Pré-Olímpico”, afirmou o treinador, que promete dar uma injeção de ânimo nos atletas com o objetivo de conseguir a classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Mais em Basquete