Siga o OTD

Bom momento basquete feminino - Foto: Divulgação/CBB

Basquete

Vaga no Pré-Olímpico reforça momento do basquete feminino

Foto: Divulgação/CBB

Vaga no Pré-Olímpico reforça momento do basquete feminino

Campeã Pan-Americana após um hiato que vinha desde Havana 1991. Medalhista na AmeriCup, jogando de igual para igual com Estados Unidos e Canadá. E classificado para o Pré-Olímpico Mundial para Tóquio 2020. O basquete feminino do Brasil fecha 2019 com resultados expressivos e a certeza de que o trabalho na recuperação do basquete está no caminho certo.

“Sabemos da importância e da tradição do basquete feminino no Brasil. E desde que entramos, trabalhamos para dar a nossas meninas a atenção e condição de trabalho que elas merecem. O basquete feminino do Brasil é muito grande, campeão do mundo, e estamos de volta ao cenário internacional, recuperando o respeito das rivais”, comemorou o presidente da CBB, Guy Peixoto Jr.

+SIGA-NOS NO NOSSO CANAL NO YOUTUBE


O trabalho começou com a chegada do técnico José Neto, em junho. O ex-comandante do Flamengo voltou do Japão e acertou com a CBB para dirigir o basquete feminino, o seu primeiro trabalho com mulheres. A química foi perfeita e o resultado veio logo no Pan-Americano de Lima 2019. Ao lado de Virgil López, João Camargo e do preparador físico Diego Falcão, a parte técnica da comissão conseguiu tirar todo o potencial das atletas, trazendo de volta a confiança e o sorriso no rosto.

“O Neto trouxe uma energia muito boa para a gente. Se eu tiver que viajar da Europa para o Brasil, quantas vezes for, para jogar pelo Brasil, eu venho feliz. Esse momento está muito legal, divertido, e tem me feito muito bem. O trabalho da CBB e da comissão técnica inteira foi fundamental. A seleção feminina se sentiu abraçada.”, disse a pivô Érika, que viveu vários momentos na CBB.

No Pré-Olímpico das Américas, em Bahía Blanca, na Argentina, o Brasil confirmou seu grande momento. Fez jogo duro contra os Estados Unidos, chegando a estar na frente do marcador e perdendo por 76 a 61, venceu a Colômbia por 61 a 33 e depois bateu a Argentina por 77 a 55, carimbando um lugar na disputa para Tóquio 2020 em fevereiro do ano que vem.

Chegada do técnico José Neto foi fundamental para melhoria na seleção feminina.


Além da técnica demonstrada na Argentina, a qualidade da preparação do basquete feminino foi fundamental para o resultado. Por duas semanas, o grupo trabalhou na Arena Carioca 2, no Rio de Janeiro, ficando hospedada ao lado da arena, com excelente logística. A parte física foi feita no CT Maria Lenk, na estrutura do COB. Todo o trabalho, inclusive, foi feito em parceria com o Comitê Olímpico do Brasil, que disponibilizou a estrutura e deu todo suporte à área técnica da CBB.

“Antes da preparação, se eu tivesse que escolher a logística perfeita para a preparação, foi a que tivemos para esse Pré-Olímpico. Uma quadra montada só para nós, proximidade do local de treino e hospedagem. Menos desgaste para as meninas. Isso potencializa o trabalho.”, explicou o técnico José Neto.

Agora, em 2020, o Brasil vai em busca da vaga em Tóquio 2020. Nos próximos meses, a CBB irá definir e divulgar o calendário de preparação para o torneio seletivo. O sorteio das chaves acontece em 27 de novembro, na Suíça, na sede da FIBA. Serão 16 seleções em quatro grupos com quatro países em cada um. Como EUA e Japão já estão classificados, efetivamente serão 14 países em busca de 10 vagas. A chave brasileira pode ser na França, Sérvia, Bélgica ou China.

Mais em Basquete