Siga o OTD

Basquete

Marcelinho Huertas espera casa cheia contra Ilhas Virgens

Duelo entre Brasil e Ilhas Virgens, pelas Eliminatórias do Mundial de basquete masculino, será acompanhado em tempo real pelo Olimpíada Todo Dia

O resultado da última quinta-feira em Montreal não era o que a Seleção queria, mas a derrota por 85 a 77 para o Canadá, na Place Bell Arena, já faz parte do passado. Cientes de que jogaram de igual para igual contra um adversário forte e com quase meio time que atua na NBA, os jogadores do Brasil sabem que para ficarem com uma das três vagas do grupo F da classificatória para a Copa do Mundo da China, no ano que vem, vencer Ilhas Virgens em casa, neste domingo, pelas Eliminatórias para o Mundial de basquete é uma obrigação.

+ VEJA TABELA DAS ELIMINATÓRIAS

– Acho que nós temos uma responsabilidade grande de jogar no Brasil e fazendo nosso dever de casa praticamente garantiremos a vaga para o Mundial do ano que vem. Sabemos da importância desses jogos, respeitando sempre todos os rivais, e temos que sair jogando duro. Teremos a oportunidade neste domingo de conquistar nossa sexta vitória na competição, o que já nos deixaria mais próximo da vaga. Então vamos focar nesse confronto que é o que temos nesta janela e mais para frente pensamos nos próximos – explicou o armador Marcelinho Huertas.

E a primeira escala dessa caminhada será mais uma vez na capital de Goiás. Palco das vitórias diante do Chile e da Colômbia pela segunda janela da primeira fase da competição, a Goiânia Arena será novamente a casa da Seleção do técnico Aleksandar Petrovic no duelo contra as Ilhas Virgens, neste domingo, às 21h.
Feliz em voltar a jogar no Brasil depois de dois anos, Huertas destacou a importância do fator casa e pediu o apoio do torcedor goiano.

– Muito legal poder jogar na frente do nosso público e ter o apoio dos nossos fãs e de nossas famílias. É legal também ter a molecada e o pessoal do basquete presentes, já que infelizmente nós não tivemos a oportunidade de jogar competições oficiais importantes no Brasil durante um período muito grande, com exceção das Olimpíadas, obviamente, então temos que aproveitar isso aí e trazer o torcedor para perto de nós – afirmou o capitão brasileiro.

Mas para que a Seleção alcance sua sexta vitória na competição, o armador do Baskonia, da Espanha, reconhece que o Brasil precisa controlar a ansiedade em momentos importantes e não repetir alguns erros decisivos na derrota para os canadenses na última quinta-feira.

Um dos principais destaques da Seleção na derrota para o Canadá, com 14 pontos, 12 assistências, cinco rebotes e duas bolas recuperadas, o capitão brasileiro reconhece que a equipe não jogou com inteligência em alguns momentos cruciais da partida.

– Às vezes dentro do jogo nos encontramos num momento muito bom, como aconteceu contra o Canadá, e queremos virar o placar de uma maneira muito rápida, acelerando o jogo e isso não nos favoreceu. Também acabamos nos precipitando em algumas ocasiões quando conseguimos tirar a diferença. Que isso sirva de aprendizado caso num eventual jogo a gente jogue atrás novamente ou até mesmo quando estivermos na frente do placar, temos que saber controlar o ritmo do jogo de acordo com o que nos interessa na partida – alertou o camisa 9 do Brasil.

Mais em Basquete