Siga o OTD

Vôlei

Brasil dá o troco na Argentina e conquista o Sul-Americano pela 33º vez

Na revanche de Tóquio, Brasil vence a Argentina e vence o Sul-Americano pela 33ª vez em 33 edições disputadas

Brasil e Argentina decidem título do Sul-Americano de vôlei masculino
(William Lucas/Inovafoto/CBV)

O Brasil é campeão do Campeonato Sul-Americano de vôlei masculino de 2021! Neste domingo (5), na revanche da disputa do bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio, a seleção brasileira deu o troco na Argentina e decretou a vitória em Brasília por 3 sets a 1 (25/17, 24/26, 25/18 e 25/18).

Com o resultado, o Brasil mantém a hegemonia no Sul-Americano de vôlei masculino. Esta é a 34ª edição da competição e o 33º título da seleção, que não participou do torneio em 1964. Assim, a equipe verde e amarela tem 100% de aproveitamento e domina o continente americano.

+Tabela do Sul-Americano de vôlei masculino

“Sabemos da responsabilidade que é vestir a camisa da seleção brasileira e nos dedicamos muito para isso buscando vencer sempre que é possível. Foi uma conquista muito importante para dar moral aos mais jovens como o Vaccari e o Adriano que foram muito bem. Começamos um novo ciclo com o pé direito. O Brasil entra sempre para vencer e quando conquistamos esse objetivo é muito bom”, disse Bruninho.

Além disso, o Brasil encerra esta edição invicta, tendo vencido Peru, Colômbia, Chile e a Argentina, e tendo perdido apenas um set, na final, contra os hermanos. Do outro lado, os argentinos perderam apenas para a seleção brasileira, ficando na segunda posição. Com isso as duas equipes garantiram vaga no Mundial de vôlei do ano que vem, já que as duas melhores seleções do continente se classificam.

O jogo

William Lucas/Inovafoto/CBV

O Brasil manteve a base e foi à quadra com: Bruninho, Lucão, Lucarelli, Vaccari, Isac, Alan e Maique. E a seleção brasileira começou com tudo! Com Maique preciso nas defesas e Alan liderando o ataque, o time verde e amarelo largou na frente e foi construindo boa vantagem. Com o jogo muito bem encaixado, Renan alternava os líberos, colocando Thales para fazer o passe, e os argentinos não conseguiam reagir. Assim, o Brasil administrou a diferença, chegou ao set point e fechou a primeira parcial com tranquilidade.

O segundo set começou bem mais equilibrado, com as equipes trocando pontos. A Argentina subiu de produção e conseguiu passar a frente pela primeira vez, abrindo dois pontos de frente. O Brasil, no entanto, logo tratou de reagir e buscar o empate. A partida ficou novamente muito parelha, mas os argentinos voltaram a abrir no final da parcial, liderados por Bruno Lima. A seleção ainda salvou o primeiro set point, mas não o segundo, vendo os adversários empatarem.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

Desta vez, o Brasil voltou melhor para o terceiro set, conseguindo abrir cerca de quatro pontos de frente. Os argentinos, no entanto, não quiseram saber de desistir e buscaram o empate. Eles chegaram até tomar a ponta do marcador novamente, mas a seleção respondeu, com as substituições de Renan Dal Zotto, que colocou Adriano e Flávio na quadra, surtindo efeito. Assim, no final da parcial, time brasileiro se impôs, abriu boa margem e fechou o set, fazendo 2 a 1.

Mais uma vez, o Brasil voltou com tudo para o quarto set, querendo liquidar a conta. Abriu boa vantagem novamente, mas permitiu que os argentino encostassem bastante no placar, ficando a um ponto de diferença. A seleção precisou, então, reagir e conseguiu. A equipe de Renan voltou a se impor e a construir vantagem no placar, com ótima atuação de Flávio, que entrou muito bem, e Alan. Depois disso, o Brasil não deu mais chance para a Argentina, que tentava provocar, mas sem sucesso. Assim, o time da casa apenas administrou a vantagem para chegar ao ponto do título e se consagrar campeão pela 33ª vez.

REVEJA: BRASIL E ARGENTINA – SUL-AMERICANO DE VÔLEI MASCULINO

Mais em Vôlei

viagra