Siga o OTD

Maringá sai da Superliga

Vôlei

Sem recursos, Maringá se despede da Superliga masculina

Após sete temporadas, time paranaense deixa de disputar a competição nacional

Time de Ricardinho deixa a elite nacional da modalidade em 2020/2021 (Divulgação Maringá Vôlei)

Sem recursos, Maringá se despede da Superliga masculina

O que era comentado se tornou oficial. Sem recursos para arcar com a temporada, o Maringá Vôlei oficializou nesta segunda-feira (3), que não irá disputar a Superliga Masculina. “Somos gratos pela oportunidade”, disse o ex-levantador Ricardinho, presidente do projeto. 

Maringá esteve presente na Superliga masculina de vôlei nas últimas sete temporadas. Depois de conseguir um bom desempenho nas duas primeiras, se classificando para os playoffs da competição, as últimas ficaram marcadas pelos problemas financeiros enfrentados e a batalha da equipe em conseguir se manter na elite da modalidade. 

+SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

“Somos gratos pela oportunidade, mas infelizmente em um campeonato formado por gigantes, não tivemos o suficiente para brigar de igual pra igual. Fizemos bonito, chegamos a sexta posição no primeiro ano de projeto, e os outros dois tivemos uma boa atuação. Porém, sem patrocinadores, as edições seguintes, foram marcadas por lutas constantes em busca de apoio da iniciativa privada e dos governos municipal e estadual”, comentou Ricardinho. 

Uma das marcas do projeto em Maringá foi a forte presença da torcida no ginásio da cidade. Com isso, o time paranaense levou o título de maior torcida do Brasil em todos os anos em que esteve na Superliga. Apesar disso, segundo Ricardinho, faltou um pouco de atenção de alguns setores. “Faltou a famosa atenção ao esporte dos poderes públicos e do incentivo da classe empresarial”.

Já era anunciado

O fim do projeto já era anunciado. Além dos problemas financeiros, que fizeram com que Ricardinho voltasse a atuar, Maringá não apareceu na lista de times aptos a disputar a próxima temporada da Superliga. Há alguns dias a CBV divulgou as 12 equipes que podem disputar a elite nacional e o nome do time paraense não aparecia.

Mais em Vôlei