Siga o OTD

Surfe

Etapa de Teahupo’o da WSL: agenda, confrontos e onde assistir

Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Yago Dora e Tatiana Weston-Webb participam da etapa de Teahupo’o da WSL (Liga Mundial de Surfe)

Gabriel Medina pega tubo numa onda em Teahupo'o em etapa da WSL
Gabriel Medina é um dos principais favoritos da etapa de Teahupo'o do Mundial de surfe (@WSL / Beatriz Ryder)

A primeira etapa após o corte da elite no meio da temporada da World Surf League (WSL) vai acontecer no Taiti. Essa será a última oportunidade dos torcedores verem os melhores surfistas do mundo em ação em Teahupo’o antes dos Jogos Olímpicos. Quatro surfistas representarão a seleção brasileira no perigoso mar polinésio: os campeões mundiais Gabriel Medina e Italo Ferreira, além de Yago Dora e Tatiana Weston-Webb.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

O prazo da competição vai da próxima quarta-feira até o dia 31 de maio em Teahupo’o. Caso a o evento comece pela categoria feminina, Tatiana Weston-Webb estreará na primeira bateria enfrentando a costarriquenha Brisa Hennessy e a havaiana Gabriela Bryan. Agora, a vitória na primeira fase já garante vaga direta para as quartas, já que houve redução no número de atletas, de 18 para 12. E claro, o segundo e terceiro colocado terão uma segunda chance na repescagem.

A modalidade masculina acompanhou a feminina e também diminuiu a quantidade de surfistas, de 36 para 24. Mas, ao invés do primeiro se garantir nas quartas, ele fica com a vaga nas oitavas de final, com os dois derrotados indo para repescagem.  Escalado na segunda bateria, com o havaiano John John Florence e o indonésio Rio Waida, Yago Dora será o primeiro brasileiro a desafiar os tubos de Teahupo´o. Enquanto isso, Ítalo Ferreira entra na quarta com o líder do ranking, Griffin Colapinto, e o vencedor da triagem entre surfistas locais, que ainda não aconteceu. O tricampeão mundial Gabriel Medina, junto com o californiano Jake Marshall e o havaiano Imaikalani deVault, estreará na sexta das oito baterias.

Brasil na WSL - Ítalo Ferreira rema com sua prancha em Sunset Beach
Ítalo Ferreira enfrenta o líder Griffin Colapinto na primeira bateria (Tony Heff/World Surf League)

MEDINA TEM BOM RETROSPECTO EM TEAHUPO’O

Medina é um dos favoritos na etapa de Teahupo’o, assim como ao ouro olímpico, que também vai acontecer nas ondas de Teahupo’o. Falando do tão sonhado lugar mais alto do pódio, o Brasil é o único país que irá levar seis surfistas para os Jogos. São eles Filipe Toledo, João Chianca, Tatiana Weston-Webb, Luana Silva, Tainá Hinckel e o próprio Medina. Os três últimos se classificaram último ISA Surfing Games em Porto Rico esse ano. Enquanto Filipe, João e Tatiana garantiram suas vagas pelo ranking da WSL de 2023.

Medina tem boas memórias de Teahupo’o, já que aqueles mares foram palcos de quatro tubos perfeitos, que receberam nota 10 dos juízes. Ele chegou em seis finais e venceu a etapa duas vezes. Ele só não supera a lenda Kelly Slater que chegou em sete decisões e venceu cinco títulos.

O brasileiro ganhou sua primeira decisão em 2014 e venceu também em 2018, já os vices foram em 2015, 2017, 2019 e no ano passado, quando perdeu para  o australiano Jack Robinson. Enquanto Slater, que é um dos convidados da etapa do Taiti, foi campeão em 2000, 2003, 2005, 2011 e 2016, e só perdeu em 2013 e 2014, justamente para Gabriel Medina.

WSL FINALS

Depois do corte na elite na Austrália, os 22 homens e as 10 mulheres que permaneceram vão brigar para terminar entre os e as top-5 dos rankings. Os brasileiros não terão vida fácil e irão atrás de uma recuperação para chegar neste grupo, que vai disputar os títulos mundiais de 2024 no WSL Finals, em setembro nas ondas de Trestles, Califórnia. Até agora, Italo Ferreira, Gabriel Medina e Yago Dora ocupam o 16°, 19° e 22° lugares no ranking, respectivamente. Já Tatiana Weston-Webb ficou em nona, entre as 10 que escaparam do corte.

E é sempre bom lembrar, desde que a World Surf League mudou o formato para definir os campeões mundiais, em um sistema mata-mata entre os 5 melhores da temporada e em um único dia de competição, só deu brasileiro sendo campeão, Medina com o seu tricampeonato em 2021 e Filipe Toledo sendo bicampeão em 2023.

TRANSMISSÃO AO VIVO

As etapas do World Surf League Championship Tour 2024 podem ser assistidas ao vivo pelo Sportv e Globoplay, parceiros de mídia da WSL no Brasil. Neste ano, a transmissão em português pelos canais da World Surf League, pela primeira vez está sendo produzida no Brasil e também pelo WorldSurfLeague.com e pelo Aplicativo e Canal da WSL no YouTube, pode ser acessada a transmissão em espanhol e em inglês.

BATERIAS DA PRIMEIRA FASE DA ETAPA DE TEAHUPO’O DO MUNDIAL DE SURFE

CATEGORIA MASCULINA – 1.o=Oitavas de Final / 2.o e 3.o=Repescagem:

1.a- Ethan Ewing (AUS), Seth Moniz (HAV), Connor O´Leary (JPN)

2.a- John John Florence (HAV), Rio Waida (IDN), Yago Dora (BRA)

3.a- Jack Robinson (AUS), Ramzi Boukhiam (MAR), Kelly Slater (EUA)

4.a- Griffin Colapinto (EUA), Italo Ferreira (BRA), vencedor da triagem

5.a- Jordy Smith (AFR), Crosby Colapinto (EUA), Matthew McGillivray (AFR)

6.a- Jake Marshall (EUA), Imaikalani deVault (HAV), Gabriel Medina (BRA)

7.a- Barron Mamiya (HAV), Liam O´Brien (AUS), Ryan Callinan (AUS)

8.a- Cole Houshmand (EUA), Kanoa Igarashi (JPN), Leonardo Fioravanti (ITA)

CATEGORIA FEMININA – 1.a=Quartas de Final / 2.a e 3.a=Repescagem:

1.a- Brisa Hennessy (CRC), Gabriela Bryan (HAV), Tatiana Weston-Webb (BRA)

2.a- Caitlin Simmers (EUA), Tyler Wright (AUS), Vahine Fierro (FRA)

3.a- Johanne Defay (FRA), Bettylou Sakura Johnson (HAV), Carissa Moore (HAV)

4.a- Molly Picklum (AUS), Caroline Marks (EUA), Sawyer Lindblad (EUA)

Carioca da gema e tenho 19 anos. Sou apaixonado por esportes (sem nenhuma surpresa, já que a escolha do meu nome foi em homenagem a um jogador) e estou graduando jornalismo na UNISUAM.

Mais em Surfe