Siga o OTD

Surfe

Após etapas havaianas, Brasil tem 3 no topo do ranking da WSL

Após etapas de Pipeline e Sunset Beach, Brazilian Storm tem três representantes no Top 5 da WSL

Filipe Toledo em G-Land WSL Pipeline Sunset Beach Surfistas surfe
Campeão em Sunset Beach, Filipe Toledo ocupa o segundo lugar do ranking após etapas no Havaí (Foto: Ed Sloane/WSL)

A Brazilian Storm segue dominando o Circuito Mundial de Surfe. No último domingo (19), a conquista de Filipe Toledo, atual campeão da WSL, em Sunset Beach, coroou mais um bom início de temporada dos brasileiros na elite do esporte. Embora não tenha a liderança ainda, o País tem três representantes entre os cinco melhores surfistas depois das etapas havaianas.

Filipinho lidera os brasileiros na lista da WSL em 2023. Anteriormente ao título de Sunset Beach — em que somou 10 mil pontos —, Toledo havia caído nas quartas em Pipeline. Dessa forma, conquistou apenas 4,745 mil pontos naquela ocasião. Com isso, Toledo está atualmente na segunda posição do ranking, atrás por menos de dois mil pontos do australiano Jack Robinson.

+Seleção brasileira de basquete faz primeiros treinos no RS
+ Rayssa Leal e Filipinho indicados ao Prêmio Laureus
+ Laguna Olímpico: Fofão abrirá caminho fundamental para o vôlei brasileiro

+SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

Caio Ibelli nota dez Saquarema Mundial de surfe
Caio Ibelli, semifinalista em Pipeline e Sunset Beach (Foto: Daniel Smorigo/World Surf League)

João Chianca vem logo depois Filipe Toledo. O Chumbinho é o terceiro colocado no ranking da WSL após chegar as semifinais em Pipeline e Sunset. Por fim, Caio Ibelli fecha o trio brazuca no TOP 5. Ele conseguiu tal colocação alcançando as semifinais e quartas de final nas etapas havaianas. Miguel Pupo, Gabriel Medina, Ítalo Ferreira e Yago Dora completam a lista da Brazilian Storm antes da linha do primeiro corte.

Brazucas na degola

Por falar em corte, faltam apenas três etapas para a redução de surfistas que acontece do meio da temporada. O Circuito Mundial de Surfe masculino começa com 34 atletas. Após as cinco primeiras etapas, somente os 16 melhores do Ranking seguem na competição para as cinco restantes. Desse modo, a situação é complicada para alguns brasileiros.

O primeiro dessa lista é Samuel Pupo. O irmão mais novo de Miguel acabou parando no round 32 nas etapas havaianas. Logo depois, vem Michael Rodrigues com os mesmos resultados do compatriota. Após cair no round de abertura em Pipeline e não competir em Sunset, Jadson André ocupa a última posição do ranking. O primeiro corte da temporada será realizado em Margaret River, na Austrália.

Com água no pescoço

Única mulher representando o Brasil no Circuito Mundial de surfe feminino, Tati Weston-Webb não teve um começo de temporada glamuroso. A brasileira começou parando nas quartas de final em Pipeline. A situação piorou depois que acabou eliminada nas oitavas em Sunset.

Tatiana Weston-Webb WSL
Tati Weston-Webb (Foto: WSL)

Diferente do masculino, o circuito feminino começa com 16 surfistas e somente as 10 melhores seguem após a quinta etapa. Com isso, Tati perdeu quatro posições no ranking após Sunset e está a apenas 1,500 pontos da linha de corte. As etapas de Portugal e Bells Beach serão decisivas para a brasileira continuar sonhando com WSL Finals mais uma vez.

Jornalista recifense formado na Faculdade Boa Viagem, apaixonado por futebol, atletismo, basquete e outros esportes.

Mais em Surfe