Siga o OTD

Surfe

Medina vence na estreia e Toledo vai à repescagem em Pipe

Na briga pelo título mundial, Gabriel Medina e o australiano Julian Wilson estreiam com vitória em Pipeline; Filipinho vai à repescagem.

WSL / Ed Sloane

Medina vence na estreia e Toledo vai à repescagem em Pipe

Agora é pra valer! O evento principal do Billabong Pipeline Masters 2018 começou nesta quinta-feira (13). Na briga pelo título mundial, o brasileiro Gabriel Medina e o australiano Julian Wilson estrearam com vitória e já se garantiram no terceiro round da competição no Havaí. Já Filipe Toledo confirmou a má fase e em uma bateria sem muita ação acabou indo para a repescagem. Além de Medina, os brasileiros Italo Ferreira, Michael Rodrigues e Yago Dora também avançaram. A próxima chamada para o campeonato será nesta sexta-feira, às 15h30 de Brasília. Assista ao vivo aqui no OTD!

+ Veja a classificação completa do CT 2018

Medina vence dando show e Julian surfa para o gasto

Gabriel Medina é, definitivamente, o surfista mais completo do mundo. E provou isso mais uma vez. Em condições difíceis no Havaí mostrou que pode vencer qualquer um de qualquer forma. Hoje pegou uns dos melhores tubos do dia, distribuiu aéreos e pancadas e exibiu toda sua superioridade. Agora, espera o adversário no round 3. Veja os melhores momentos abaixo:

Enquanto isso, na bateria anterior, seu principal concorrente, o australiano Julian Wilson, surfou para o gasto. O brasileiro Tomas Hermes chegou a ultrapassá-lo no somatório a 5 minutos do fim, mas Julian com sua frieza corriqueira pegou a melhor nota da bateria, um 5.57, para conseguir avançar. Tanto ele quanto Medina secam Filipe Toledo na repescagem.

Filipe e Ricardinho discutem por estratégia

Filipe Toledo, Caio Ibelli e o australiano Matt Wilkinson protagonizaram uma das piores baterias do ano. Com pouquíssimas ondas boas, muitos erros e dificuldade para se encontrar, os três pareciam nem ao menos saber a posição correta para aquele momento do mar. Quem se deu melhor foi o australiano, que conseguiu uma boa onda de rasgadas e cutbacks.

Ao fim da bateria, Filipe e seu pai e técnico, Ricardo Toledo, pareceram discutir sobre a estratégia utilizada. Ricardinho parecia dar bronca em seu filho, que negava com a cabeça. O clima pesou e confirma a péssima fase do brasileiro, que só venceu uma bateria nas últimas duas etapas. Na repescagem, Filipe encara o vice-campeão das triagens, o havaiano Benji Brand.

Yago Dora consegue vitória importante

Yago Dora aplicando aéreo no Pipe Masters 2018. Foto: Tony Heff/WSL

Yago Dora está no limite do ranking de classificação, é o atual 22º. Ele precisa de um bom resultado para se manter na elite em 2019. E hoje deu um grande passo ao superar o australiano Owen Wright e o brasileiro Miguel Pupo. Enquanto os outros dois surfistas esperavam por tubos, Dora partiu para os aéreos e se deu bem. O principal valeu 5.33. Agora, ele precisa vencer mais uma ou duas baterias, no minimo, para sacramentar sua classificação.

Ian Gouveia faz uma das melhores ondas do dia, mas perde no fim

Está para nascer um surfista mais azarado do que Ian Gouveia. Brincadeiras à parte, mas o que o brasileiro fez hoje foi espetacular. Ele conseguiu um tubo impossível para Pipeline, com direito a “air drop”, que é quando o surfista fica no ar na hora de dropar a onda. Tirou um 8.17 e já estava na areia pronto para comemorar, quando o taitiano Michel Bourez conseguiu um tubinho, que rendeu 5.93 e a virada, já que ele precisava de 5.91. Vale lembrar que Ian precisa vencer a competição para se manter na elite ano que vem.

Ian Gouveia no Pipe Masters 2018. Foto: Kelly Cestari/WSL

Baterias da etapa de Pipeline – round 1:

1: Jordy Smith (AFS) 12.00 x Frederico Morais (POR) 4.47 x Kelly Slater (EUA) 11.43
2: Owen Wright (AUS) 9.60 x Yago Dora (BRA) 9.83 x Miguel Pupo (BRA) 2.00
3: Italo Ferreira (BRA) 13.30 x Joan Duru (FRA) 11.67 x Keanu Asing (HAV) 5.66
4: Filipe Toledo (BRA) 5.04 x Matt Wilkinson (AUS) 6.03 x Caio Ibelli (BRA) 4.93
5: Julian Wilson (AUS) 8.07 x Tomas Hermes (BRA) 6.40 x Seth Moniz (HAV) 4.57
6: Gabriel Medina (BRA) 13.16 x Connor O’Leary (AUS) 9.67 x Benji Brand (HAV) 9.97
7: Wade Carmichael (AUS) 4.50 x Griffin Colapinto (EUA) 7.07 x Ryan Callinan (AUS) 6.77
8: Kanoa Igarashi (JAP) 6.10 x Sebastian Zietz (HAV) 4.03 x Michael February (AFS) 6.30
9: Michel Bourez (PYF) 12.03 x Ezekiel Lau (HAV) 10.90 x Ian Gouveia (BRA) 12.00
10: Conner Coffin (EUA) 15.07 x Jeremy Flores (FRA) 14.00 x Jesse Mendes (BRA) 9.20
11: Kolohe Andino (EUA) 8.10 x Adrian Buchan (AUS) 5.13 x Joel Parkinson (AUS) 11.23
12: Willian Cardoso (BRA) 5.04 x Michael Rodrigues (BRA) 11.44 x Patrick Gudauskas (EUA) 7.60

Baterias da repescagem – round 2:

1: Filipe Toledo (BRA) x Benji Brand (HAV)
2: Owen Wright (AUS) x Seth Moniz (HAV)
3: Wade Carmichael (AUS) x Caio Ibelli (BRA)
4: Kanoa Igarashi (JAP) x Keanu Asing (HAV)
5: Kolohe Andino (EUA) x Miguel Pupo (BRA)
6: Willian Cardoso (BRA) x Kelly Slater (EUA)
7: Adrian Buchan (AUS) x Ryan Callinan (AUS)
8: Jeremy Flores (FRA) x Ian Gouveia (BRA)
9: Ezekiel Lau x Jesse Mendes (BRA)
10: Sebastian Zietz x Patrick Gudauskas (EUA)
11: Frederico Morais (POR) x Connor O’Leary (AUS)
12: Joan Duru (FRA) x Tomas Hermes (BRA)

Mais em Surfe