Siga o OTD

Skate

‘Eu espero estar lá”, diz Kelvin Hoefler sobre Tóquio 2020

Há quase 20 anos andando de skate, brasileiro não esconde que deseja e vai lutar como pode para estar no Japão no próximo ano

Divulgação

‘Eu espero estar lá”, diz Kelvin Hoefler sobre Tóquio 2020

Atual número quatro do ranking mundial, Kelvin Hoefler tem um objetivo para a reta final da temporada de 2019: competir em bom nível. Depois de não começar bem o ano, por conta de alguns problemas físicos e com o skate, o brasileiro vem melhorando seu desempenho e não esconde que o objetivo é estar em Tóquio 2020.

Se os Jogos Olímpicos de Tóquio começassem agora, Kelvin Hoefler conquistaria uma das vagas para o Brasil. Contudo a “corrida olímpica” pelas vagas no skate acaba de começar. Mesmo se tratando da primeira vez que isso acontece com a modalidade, Kelvin não esconde de ninguém que fará de tudo para representar o seu país.

+JÁ CONHECE O CANAL DO OLIMPÍADA TODO DIA NO YOUTUBE?

“Eu penso em estar em Tóquio, não penso em conquistar medalha antes disso. Estando lá é outra história, outra competição, outro dia e eu vou dar o meu máximo. Mas eu preciso estar lá. É muito novo pra gente, não sabemos como vai ser, como é vestir a camisa da Seleção Brasileira de skate. É algo novo, vai ser tudo novo, diferente do que estamos acostumados, mas vai ser divertido e eu, assim como os demais brasileiros, vou dar o meu máximo para estar no Japão. Espero conseguir ir e e representar bem o Brasil”, comentou o skatista.

Mas para chegar em Tóquio o brasileiro precisa somar pontos dentro da corrida olímpica. A competição que abre o primeiro período de classificação é o Mundial de Skate Street, que acontece em São Paulo, e Kelvin Hoefler faz sua estreia já na semifinal, por conta de sua classificação no ranking mundial, neste sábado (21).

“Primeiramente eu estou competindo em casa e isso vai ser uma pressão muito grande pra mim. Vai ter muitos amigos, minha família aqui torcendo por mim e isso vai ser muito legal. São Paulo é a meca do skate brasileiro e a pista vai ajudar bastante os brasileiros porque é uma pista grande, com obstáculos grandes e vamos ver se conseguimos deixar esse troféu aqui em casa”, comentou Kelvin Hoefler,

Há quase duas décadas andando de skate, o brasileiro, que tem 25, sabe que é uma das referências para os mais novos que sonham em andar de street. Por conta disso, Kelvin tem uma postura de tentar passar o que sabe e não esconde que sempre torceu e irá torcer para a sua “família”.

“Hoje em dia eu paro os mais novos que estão andando de skate e pergunto como que está, se treina e tento passar o que eu sei. O skate é uma família, todos torcem por todos e sempre foi assim e sempre vai ser assim. Independente da competição, de estar disputando contra um americano, um brasileiro, um japonês, todos torcem por todos. Por conta disso e de tudo que vivi dentro do skate eu sou um abençoado”, finaliza o skatista brasileiro.

Mais em Skate