Siga o OTD

Polo Aquático

Brasil empata com Canadá e se classifica no Mundial

CBDA/Divulgação

A seleção brasileira masculina de polo aquático fez história nesta sexta-feira (21), em Budapeste, na Hungria. No encerramento da fase de grupos, a equipe brasileira empatou com o Canadá em seis gols (BRA 1-2 CAN, 3-2, 1-2, 1-0), e garantiu a classificação inédita para a Copa FINA, competição disputada pelo melhor de cada continente (cinco equipes); os dois mais bem classificados no Mundial; e ainda o país anfitrião, no caso o Japão. O Brasil já está certo na edição de 2018, em Tóquio, como o melhor das Américas, visto que o Canadá e os Estados Unidos, últimos colocados dos grupos A e D, respectivamente, vão disputar agora do 13º ao 16º lugar do Mundial, ao lado de França e África do Sul, os piores das chaves B e C.

A equipe brasileira, 2º colocada do grupo A,  vai enfrentar a Austrália, que terminou na 3ª posição do grupo B, ao perder nesta sexta para a Itália, por 13 a 5. Brasileiros e australianos se enfrentam às 8h30, de Brasília, no próximo domingo (23). Quem vencer é Top-8 e pega a campeã olímpica e mundial, a Sérvia, na terça (25). O derrotado disputará do 9º ao 12º lugar. No outro jogo da chave do Brasil, o Cazaquistão foi derrotado por Montenegro, também por 13 a 5 e acabou em terceiro lugar e vai enfrentar os italianos. Montenegro terminou em 4º nas Olimpíadas do Rio, 5º no último Mundial, em Kazan/2015 e é o atual vice-campeão europeu.

Os vencedores de cada chave folgam no próximo domingo e vão direto para as quartas-de-final. Sérvia e Croácia, campeão e vice olímpicos, garantiram o primeiro lugar de seus grupos, o C e o D, respectivamente, assim como Montenegro na chave do Brasil, e Hungria no grupo B.

– Antes de pensar na Copa FINA, vamos pensar na próxima fase, vamos ver como serão as classificações do nosso grupo e do outro. Foi um jogo bem duro, um a zero pra gente, eles viraram (1 a 2), abriram dois gols (1 x 3), nós empatamos (3 a 3). Eles ficaram novamente na frente e empatamos de novo (4 a 4). Passamos à frente novamente (5 a 4), eles viraram outra vez (5 a 6). E por fim, o empate final. E no fim, mantivemos a calma para manter o empate, que era vantajem nossa. A experiência que conseguimos ao vence-los na Copa Uana, em Trinidad & Tobago, nos fez conhecer melhor nosso próprio time. Estes foram os primeiros testes pro Mundial, não treinamos com outros times. Ganhamos ritmo aqui e vimos nossas falhas nestas três partidas (uma vitória, uma derrota e um empate com sabor de vitória). Muito legal em conseguir esta vaga histórica com uma equipe nova, que teve uma grande renovação do grupo olímpico de 2016, com apenas quatro que foram convocados (eu acabei cortado dos Jogos) e é  interessante trazer também uma nova competição para o Brasil jogar  – afirmou um emocionado Gustavo Coutinho, o Guzinho, autor de dois gols na partida de hoje. Os outros foram de Gustavo “Grummy” Guimarães, Pedro Stellet, Roberto Freitas e Anderson “Canhoto” Cruz.

Numa partida muito física, em que os árbitros não marcavam qualquer contato, o Brasil soube jogar desde o início, tendo saído na frente com um gol de Roberto Freitas#12. O Canadá empatou num lance de sorte, em que a bola chutada na trave foi posteriormente tocada com muita força pelo goleiro Soro, quando os companheiros já saíam pro contra-ataque. Um canadense se aproveitou e chegou à frente do goleiro brasileiro.

No segundo período, o mais rico em gols, os brasileiros dominaram após ficarem com dois gols de desvantagem no placar e deixaram a partida empatada em sua primeira metade, com gols de Grummy#11, Guzinho#4 e Pedro Stellet#7. O Canadá teve um jogador – #11 George Torakis – expulso de forma definitiva por ter logo após ter feito uma falta grave, reclamar ostensivamente do árbitro. Teve que ir pra arquibancada assistir o restante do jogo.

No terceiro quarto, com grande atuação do arqueiro canadense, o Canadá teve seu melhor momento e voltou a ficar na frente do placar, vencendo o período por 2 a 1, repetindo a virada do primeiro quarto. O gol brasileiro foi de Anderson Canhoto#2.

No quarto final, após estabelecer novo empate com Guzinho, os brasileiros souberam jogar no desespero do adversário, que sabia que o marcador o eliminaria da chance de pódio e da Copa Fina. Ainda assim, contou com o talento de Soro, que fez defesas espetaculares.

A defesa brasileira, de uma maneira geral, se portou bem, conseguindo impedir dois terços das chances de homem a mais do Canadá (acertaram duas em seis). Já o Brasil teve 75% de aproveitamento (três em quatro).

 

Resultados do Brasil 

Brasil 6 x 2 Cazaquistão
Brasil 5 x 14 Montenegro
Brasil 6 x 6 Canadá


Divisão de Grupos

Grupo A: Brasil, Canadá, Cazaquistão e Montenegro

Grupo B: Austrália, Hungria, Itália e França

Grupo C: Sérvia, África do Sul, Grécia e Espanha

Grupo D: Japão, Estados Unidos, Croácia e Rússia

Mais em Polo Aquático