Siga o OTD

Judô

Pinheiros bate Instituto Reação na final e é campeão do Grand Prix de judô

Pinheiros bate Instituto Reação na final e é campeão do Grand Prix de judô

Em casa, o Esporte Clube Pinheiros se sagrou campeão do Grand Prix Nacional Interclubes pela sexta vez consecutiva derrotando o Instituto Reação por três a dois na grande final deste domingo, 06, em São Paulo. Esse foi o nono título nacional por equipes da equipe paulista, imbatível no Grand Prix desde 2011. O bronze ficou com a Sogipa, que derrotou o Minas também por 3 a 2.
No primeiro combate da final, Charles Chibana (66kg) imobilizou Gabriel Silva (Reação) até o ippon para colocar o Pinheiros em vantagem. Na sequência, Marcelo Contini (73kg) ampliou a vantagem pinheirense, vencendo Marcos Seixas na diferença de punições (2-1). Nacif Elias fez um duelo de gigantes contra Tiago Camilo e venceu depois de dois minutos iintensos de golden score, forçando uma punição ao adversário e mantendo o Reação na disputa. Com o empate em 2 a 2, a decisão ficou para a última luta entre os pesados David Moura e Rafael Silva “Baby”. Baby forçou duas punições a David, levou uma e garantiu o terceiro ponto para colocar o Pinheiros no lugar mais alto do pódio.

“Ficou para a última luta contra o David, que é um adversário muito difícil. Estou bem feliz de ter conqusitado esse título pelo clube e a equipe inteira está de parabéns. Essa competição mistura a experiência de judocas olímpicos com aqueles mais novos que estão ainda buscando a seleção, então é uma competição que tem tudo para preparar o Brasil para 2020”, que estava lutando pela primeira vez desde os Jogos Olímpicos e foi homenageado pela CBJ na medalha do Grand Prix. “Foi legal a homenagem prestada nesse ano olímpico. Fico muito agradecido e vou guardar com bastante carinho.”
Bronze – Decisão também na última luta
Na disputa de bronze, a Sogipa venceu o Minas Tênis Clube por 3 a 2, com emoção até o último segundo.

Na primeira luta, Diego Santos finalizou Gabriel Pinheiro com uma chave de braço e abriu um a zero para Sogipa. Em seguida, Eduardo Katsuhiro, também por ippon, venceu João Macedo e empatou para o Minas. No terceiro combate, Rafael Macedo levantou a torcida sogipana no ginásio com um ipponzaço contra Alex Pombo e recolocou os gaúchos em vantagem, marcando dois a um.

Mas, o Minas reagiu, com Eduardo Bettoni (90kg) imobilizando Henrique Silva até o ippon para empatar o duelo. No último e decisivo combate, Renan Nunes conseguiu imobilizar Juscelino Nascimento Jr. até o ippon para fazer o terceiro ponto sogipano e garantir o bronze para os gaúchos.

“Foi uma conquista muito importante para o clube porque, infelizmente, ano passado nós ficamos fora dessa disputa por medalhas. Então, foi algo que a gente almejou bastante esse ano e foi uma grande vitória em uma luta muito dura para fechar o ano”, avaliou Renan.

– Semifinais

No embate entre gaúchos e cariocas, os gaúchos saíram na frente, com vitória de Diego Santos contra Gabriel Silva no 66kg. Na segunda luta, Igor Pereira imobilizou João Pedro Macedo até o ippon para empatar o placar em um a um. A terceira luta foi um confronto de gerações, com Victor Penalber (81kg), bronze no Mundial de 2015, vencendo Rafael Macedo, campeão mundial júnior em 2014, por wazari, para colocar o Reação na frente. Henrique Silva conseguiu a mesma pontuação para superar Nacif Elias e empatar o duelo em dois a dois.

Coube aos pesados David Moura e Renan Nunes definirem o futuro de suas equipes na competição. Mais agressivo, Moura forçou três punições ao adversário e garantiu o Instituto Reação na final contra o Pinheiros, que superou o Minas por 4 a 1.
Nesse duelo, Charles Chibana venceu Gabriel Pinheiro por ippon na primeira luta e Marcelo Contini passou por Eduardo Katsuhiro na diferença de punições, abrindo dois a zero para os paulistas. A única vitória do Minas veio com Alex Pombo derrotando Leandro Guilheiro no golden score e o medalhista olímpico saiu do tatame sentindo dores no cotovelo direito.

No duelo dos Eduardos do peso-médio (90kg), Yudi Santos e Bettoni, o pinheirense levou a melhor, jogando de wazari e transitando para a imobilização que garantiu os paulistas na final em busca do nono título do Grand Prix. Último a lutar, Rafael “Baby” Silva venceu Juscelino Nascimento Jr. por ippon, fechando o placar em 4 a 1.
Com isso, o Minas Tênis Clube disputará o bronze com a Sogipa. Os duelos finais serão transmitidos ao vivo pelo Sportv, a partir das 13h.

– Disputas de 5º ao 8 lugares em andamento

Após as semifinais, a Associação de Judô Queiroz (PI) venceu o Vitória (BA) e o Santo André (SP) superou o Espaço Marques Guiness (DF) nos dois confrontos que abriram as definições de 5º a 8º lugares. Na decisão de quinto e sexto, o Santo André venceu o Judô Queiroz. E, na disputa de 7º e 8º, o Vitória superou o Marques Guiness.

Resultados finais:
1º Esporte Clube Pinheiros (SP)
2º Instituto Reação (RJ)
3º Sogipa (RS)
4º Minas Tênis Clube (MG)
5º Santo André (SP)
6º Judô Queiroz (PI)
7º Vitória (BA)
8º Marques Guiness (DF)
9º Jequiá (RJ)
10º Flamengo (RJ)
11º Osasco/Yanaguimori (SP)
12º Grêmio Náutico União (RS)

Mais em Judô