Siga o OTD

Crivelari estreia seleção brasileira

Futebol

Crivelari revela expectativa de disputar o 1º jogo com a Seleção Feminina

Na sua segunda convocação sob o comando de Pia, a atleta do Corinthians vive a expectativa de representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em julho.

Créditos: Carolina Brito/CBF

Crivelari revela expectativa de disputar o 1º jogo com a Seleção Feminina

Em abril de 2021, Crivelari passou pela experiência de ser convocada pela primeira vez para a seleção feminina Principal. Dois meses depois, a atleta do Corinthians vive novamente a sensação de debutar com a Amarelinha – desta vez a possível estreia será em um jogo preparatório. Feliz com o bom momento, a jogadora revelou, ao site da CBF, o turbilhão de emoções presentes às vésperas dos próximos dois compromissos que o Brasil tem pela frente antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

-Ketleyn Quadros é derrotada em luta pelo bronze no Mundial de judô

Concentradas na Espanha, as atletas da Seleção Feminina se preparam para a disputa dos jogos diante da Rússia e do Canadá, nos dias 11 e 14 de junho, respectivamente. Esta é a segunda vez que Crivelari integra a lista de convocadas da técnica Pia Sundhage – a primeira foi em abril, quando a Canarinho passou por um período de treinos e observações na Granja Comary. Agora, com a possibilidade de defender as cores do Brasil pela primeira vez diante de outras seleções, a atleta do Timão não esconde a ansiedade.

“Sim, estou muito feliz. É um sonho poder estar aqui, vestir essa camisa, representar o meu país. Fiz um bom trabalho lá (Granja Comary) no período de preparação e hoje estou aqui para disputar meu primeiro amistoso. Converso com todas (minhas companheiras de Corinthians), até porque algumas meninas são da mesma posição. Gosto de estar aprendendo sempre. Estou muito feliz e um pouco ansiosa para vestir essa camisa e entrar dentro de campo fazendo um bom trabalho”, declarou Crivelari.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAM E FACEBOOK

Pelo Corinthians, Crivelari se destaca na função de atacante. Mas por conta de seus atributos físicos e da versatilidade, na Seleção Brasileira, ela vem sendo avaliada no papel de defensora. Cada vez mais habituada à lateral do campo, a jogadora acredita que tem a polivalência a seu favor para figurar na lista final da Canarinho para as Olimpíadas de Tóquio, em julho.

“Estou aprendendo (a atuar como defensora), tudo é aprendizado. É tudo muito novo, mas estou me adaptando, tentando fazer o que eles estão pedindo. Estou me saindo bem e espero continuar dessa forma até o final”, frisou a atleta da Seleção.

Mais em Futebol