Siga o OTD

Judô

Érika Miranda é bronze e vai ao pódio do Mundial pela 5ª. vez

Érika Miranda subiu pela quinta vez no pódio em Mundiais de judô ao ficar com o bronze em Baku com a vitória sobre a compatriota Jéssica Pereira; Daniel Carginin fica em quinto

Pela quinta vez seguida, Érika Miranda está no pódio do Campeonato Mundial de judô. A atleta de 31 anos conquistou, nesta sexta-feira, a medalha de bronze na categoria até 52kg do torneio, que está sendo disputado em Baku, no Azerbaijão. Na luta que valia o bronze, ela derrotou a compatriota Jéssica Pereira. No masculino, Daniel Cargnin fez grande campanha, mas terminou na quinta posição, após perder para o líder do ranking nas quartas de final e para um medalhista olímpico na semi.

+ ASSISTA AO VIVO O MUNDIAL

– A gente nunca está satisfeita, né? Estamos falando de um Mundial e estou mantendo uma constância de sempre estar no pódio, isso é muito difícil. Senti na luta contra a japonesa que, poxa, dava para chegar. Mas estou voltando com medalha, e isso é muito importante – disse.

Érika havia sido prata no Mundial de 2013, no Rio de Janeiro. Aí, levou o bronze em 2014, 2015 e 2017, chegando ao quinto pódio com a conquista desta sexta-feira em Baku.

Crédito: Rodolfo Vilela/Rede do esporte.com.br

+ CONFIRA PROGRAMAÇÃO E RESULTADOS DOS BRASILEIROS

A campanha de Érika Miranda no Mundial de judô 2018 começou com vitória tranquila contra a finlandesa Katri Kakko.

Na segunda luta, a brasileira lutou bem agressiva e conseguiu forçar três punições para a eslovena Petra Narekens, que acabou desclassificada.

Nas quartas de final, o duelo foi contra a belga Charlini Van Snick, que tem uma medalha olímpica na categoria até 48kg, mas está lutando agora no peso 52kg. Érika dominou com sobras e, com dois waza-aris, liquidou a luta.

Na semifinal contra Ai Shishime, Érika tomou um Waza-ari logo no início da luta, mas continuou indo para cima. Teve uma ou outra boa entrada, mas a japonesa conseguiu se defender muito bem. Após duas punições por falta de combatividade, Ai levou o combate para o chão e ganhou tempo até o cronômetro estourar. Na disputa pelo bronze, Érika venceu Jéssica por estrangulamento.

Jéssica Pereira, aliás, em seu primeiro Mundial de judô adulto, conseguiu duas vitórias importantes para atingir as quartas de final.

Passou, primeiro, por Thuy Nguyen, do Vietnã, por imobilização.

Na sequência, derrotou, no golden score, a australiana Tinka Easton. A brasileira abriu bem com um Waza-ari, mas na sequência deixou a rival empatar. No Golden Score, conseguiu finalizar a adversária e avançar.

Nas quartas, porém, foi facilmente dominada pela japonesa Uta Abe.

Na repescagem, enfrentou a israelense Gefen Primo. Jéssica começou muito bem, conseguiu um Waza-ari e, antes do primeiro minuto de luta, conseguiu outro golpe. Chegou a comemorar a vitória, mas o árbitro de vídeo foi solicitado, cancelando uma das pontuações. A luta ficou perigosa, a israelense forçou duas punições da brasileira, que conseguiu segurar o ímpeto da rival e confirmar a vitória.

Já no masculino, Daniel Cargnin, em seu primeiro Mundial de judô, conseguiu três vitórias, mas parou nas quartas de final. Ele começou seu caminho contra o atleta da Bósnia Petar Zardo, vencendo no Golden score, após empate em um waza-ari no tempo regulamentar.

Depois, passou por Nijat Shikhlizada no golden score, chegando nas oitavas de final.

Ali, dois Waza-aris rápidos, em menos de um minuto, sobre o tcheco Pavel Petrikov.

Nas quartas de final, protagonizou uma das melhores lutas da competição até o momento. Diante do israelense Tal Flicker, número 1 do mundo, teve chances de vitória, conseguiu boas entradas, mas perdeu no golden score após quase dez minutos de combate.

Na repescagem, venceu o atleta da Mongólia Kherlen Gambod com um golpe que lhe rendeu um Waza-ari no fim da luta.

Na disputa pelo bronze, conseguiu fazer uma luta equilibrada contra o sul-coreano Baul An, mas acabou perdendo por Waza-ari.

Crédito: Rodolfo Vilela/Rede do esporte.com.br

Em seu quinto Campeonato Mundial de judô, Charles Chibana, outro brasileiro na disputa, acabou derrotado na segunda luta da categoria até 66kg. Ele começou sua campanha derrotando o espanhol Alberto Gaitero no golden score.
Depois, acabou eliminado pelo alemão Sebastian Seidl, perdendo a chance de brigar por medalha– Meu adversário estava só esperando, esperando, para fazer o contra-golpe, e deu certo. Tive uma chance, tentei aproveitar, mas ele estava esperando. Hoje em dia é assim, pessoal prefere usar de contra-ataque. Tentei ir para cima, tentei jogar, mas acabei errando – disse.

Mais em Judô