Siga o OTD

Vôlei

Após derrota, Zé Roberto culpa defesa e Carol pede paciência

Após derrota, Zé Roberto pede melhora no sistema defensivo
Divulgação/FIVB

O técnico Zé Roberto e a central Carol comentaram a derrota brasileira na estreia da Liga das Nações. Confira!

Pela parcial do primeiro set entre Brasil e Alemanha na estreia das duas equipes na Liga das Nações, na tarde desta terça-feira (15), nenhum torcedor imaginaria o resultado final. O Brasil, que venceu a etapa inicial por 25/15, foi derrotado nos três sets seguintes com parciais de 25/22, 25/18 e 25/20, e saiu de quadra com o resultado negativo.

“A Alemanha acreditou mais no jogo e as coisas começaram a sair melhor para elas. Nós começamos a errar o que tínhamos feito bem no primeiro set, que era o sistema defensivo, a relação bloqueio e defesa”, comentou o técnico José Roberto Guimarães.

Responsável por oito pontos no jogo, a central Carol falou sobre um dos pontos fortes das alemãs: o saque. “No segundo set elas começaram a sacar super bem e acreditaram nesse fundamento. Também fizeram defesas incríveis e isso desestabilizou um pouco o nosso time”, considerou a atleta.

“Mas paciência, esse é só o primeiro jogo e o campeonato é super longo, temos mais seis semanas. Fica aqui como aprendizado, estamos retomando nosso trabalho com a seleção. Infelizmente a gente começou com um saldo negativo, mas temos muitos jogos pela frente ainda.”, completou Carol.

A equipe escolhida pelo treinador para começar o desafio tinha Carol, Roberta, Gabi, Drussyla, Tandara, Ana Beatriz e Suellen. Já durante o jogo, Macris, Monique, Amanda e Rosamaria foram escolhidas em momentos específicos para ajudar o time. José Roberto já havia comentado a necessidade de um rodízio de jogadoras durante o primeiro torneio da temporada.

“Não é experimento, mas é uma necessidade de estar fazendo essas trocas, essas mudanças. Vamos sofrer até o final da competição, até as coisas melhorarem, principalmente no sistema defensivo, que é o que a gente precisa mais. Nosso bloqueio hoje passou muito, principalmente nas extremidades. A gente fez pouco hoje”, afirmou o técnico.

Escalada para este primeiro desafio, Carol se mostrou grata pela confiança do técnico, e ainda não sabe se começa jogando contra o Japão, nesta quarta-feira (16). “Vai depender dele, a escalação vem dele e fico feliz pela confiança. Mas acho que todas nós estamos aptas para ajudar a seleção a qualquer momento”, concluiu a central.

Mais em Vôlei