Siga o OTD

Ginástica Rítmica

Bulgária recebe três Mundiais e tenta viver clima olímpico

País sedia, ao mesmo tempo, as principais competições do ano no vôlei masculino, ginástica rítmica e remo

Foto: Federação Internacional de Ginástica

Búlgaros pretendem usar os Mundiais como publicidade para o país

Para quem gosta de esportes, a Bulgária é um dos melhores lugares para estar durante esta semana. O país conseguiu algo não muito comum nos calendários esportivos: sediar três campeonatos mundiais de forma simultânea.

Vôlei masculino, ginástica rítmica e remo realizam suas competições mais importantes da temporada em solo búlgaro.

O plano é pensado. Recentemente, o Ministro de Esportes Krasen Kralev declarou para a imprensa búlgara que o intuito de receber tantos eventos esportivos é parte de uma estratégia de marketing do país, que visa incentivar o turismo e passar uma ideia de que a Bulgária encontra-se em desenvolvimento econômico. Para isso, o governo despejou um investimento de quase oito milhões de dólares para a realização dos mundiais.

A Bulgária não está entre os maiores ou mais populosos países da Europa. Em questão de área, o país não chega a ser muito maior do que o estado brasileiro de Pernambuco, por exemplo. Em relação a população, a cidade de São Paulo possui duas vezes mais habitantes do que a Bulgária.

Ao todo, quatro cidades recebem as competições deste mês: a capital Sofia (ginástica rítmica e fases finais do vôlei), Plovdiv (remo), Varna (vôlei) e Ruse (vôlei). As três primeiras são as maiores cidades do país.

Escolha dos esportes não é por acaso

A Bulgária tem tanto tradição quanto experiência em competições dos três esportes que sedia neste mês. No vôlei, o país recebeu o Europeu de 2015 ao lado da Itália. No currículo, a seleção masculina búlgara possui uma prata olímpica e cinco medalhas em Campeonatos Mundiais.

O remo, apesar de ter passado em branco nas últimas duas Olimpíadas, é um dos esportes que mais rendeu medalhas olímpicas para a Bulgária na história. Plovdiv também já está habituada com competições de nível internacional. Em 2011 a cidade recebeu o Europeu do esporte, enquanto em 2012 foi a vez do Mundial.

Na ginástica rítmica, os búlgaros possuem um dos melhores conjuntos da atualidade, medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio e de prata no Mundial de 2017.

Público ainda não empolga

Jornalista do Blog “Volta Olímpica” no Olimpíada Todo Dia, Guilherme Costa está na Bulgária para acompanhar as competições. Guilherme contou que o evento mais divulgado no país é o Mundial de Vôlei, competição que os búlgaros dividem com a Itália na organização. Na estreia da equipe da casa no último domingo, quase cinco mil pessoas encheram o ginásio de Varna para acompanhar a Bulgária bater a Finlândia por 3 sets a 0.

A fanática torcida de vôlei polonesa marca presença na Bulgária (Foto: FIVB)

Em Plovdid, sede do remo, no entanto, Guilherme afirma que sequer viu cartazes ou identificações visuais relacionadas ao Mundial. A ginástica rítmica também não chegou a empolgar nos primeiros dias. Mesmo com búlgaras disputando finais, o público não passou de três mil pessoas, em uma arena com capacidade para cinco vezes mais e ingressos entre cinco e 12 euros.

A expectativa, porém, é de melhoras com a chegada do fim de semana e dos eventos mais importantes em cada um dos esportes. Remo e ginástica possuem as finais de provas olímpicas entre sexta-feira e domingo.

O fim de semana também deve aumentar a procura por ingressos como uma forma de lazer e entretenimento, além de atrair maior público estrangeiro. O presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, também agendou uma visita à Bulgária para os próximos dias.

Mais em Ginástica Rítmica