Siga o OTD

seleção brasileira de judô paralímpico

Tóquio 2020

Seleção de judô retorna ao CT Paralímpico com foco em readaptação técnica

É a primeira vez que a seleção de judô paralímpico se reúne depois da interrupção dos treinos presenciais devido à pandemia da covid-19

Alê Cabral/CPB

Seleção de judô retorna ao CT Paralímpico com foco em readaptação técnica

Treze atletas da seleção brasileira de judô estão no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, para a primeira fase de treinamento da Seleção Brasileira de 2021.  Eles ficarão concentrados no local até o domingo, 28. É a primeira vez que a equipe nacional se reúne depois da interrupção dos treinos presenciais devido à pandemia de covid-19. 

Para promover o retorno dos atletas, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) submeteu todos os atletas desta modalidade aos critérios exigidos pelo protocolo sanitário elaborado desde a reabertura parcial do CT, em julho do ano passado.

O plano de retorno deste ano inclui a área de hospedagem do local, que prevê, no máximo, duas pessoas por acomodação e que todas as refeições serão servidas nos quartos. Não será permitido o uso do restaurante ou áreas comuns do residencial. 

+Classificação do judô para Paralimpíada será retomada em maio

“Durante toda a pandemia, monitoramos os atletas à distância. Cada atleta tinha uma realidade e passou por dificuldades bem particulares, então tivemos que adaptar o treinamento individualmente. Esta fase é importantíssima para avaliarmos as condições dos atletas. Para isso, estamos realizando avaliações de força e potência, por meio de teste isocinético, da plataforma de salto, teste de preensão manual e composição corporal. Além disso, os atletas vão precisar de um tempo para readaptação técnica, que eles deverão conquistar com os treinamentos”, explicou Jaime Bragança, técnico da Seleção Brasileira de judô. 

Giulia dos Santos de olho nas Paralimpíadas judô paralímpico
Giulia dos Santos ganhou a primeira medalha do judô no Parapan-2019
(Alexandre Schneider)

Um dos atletas convocados é a paulista do Guarujá, Giulia Pereira, que foi a responsável por levar o judô brasileiro ao lugar mais alto do pódio no primeiro dia de disputas nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019. A judoca de 21 anos nasceu prematura, no quinto mês de gestação, e com 30% da visão, e, ao passar dos anos, perdeu a visão gradativamente.   

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

“É uma felicidade gigantesca voltar ao CT Paralímpico. Parece que é a minha primeira convocação. No meio do momento que estamos passando, estamos seguindo todo o protocolo e os treinos estão cada vez melhores. Seguimos na preparação para os Jogos Paralímpicos de Tóquio”, relatou Giulia, que é da categoria até 48kg.

Confira os nomes da seleção brasileira de judô paralímpico: 

ALANA MARTINS MALDONADO (- 70 kg): Amei/SP 
ANTÔNIO TENÓRIO DA SILVA (- 100 kg): Cesec/SP 
ARTHUR CAVALCANTI DA SILVA (- 90 kg): Adevirn/RN 
GIULIA DOS SANTOS PEREIRA (- 48kg): Cesec/SP 
HARLLEY DAMIÃO PEREIRA ARRUDA (- 81 kg): Cesec/SP 
KARLA FERREIRA CARDOSO (- 52 kg): Ceibc/RJ 
LUAN SIMÕES PIMENTEL (- 73 kg): Ismac/MS 
LÚCIA DA SILVA TEIXEIRA ARAÚJO (- 57 kg): Cesec/SP 
MARIA NÚBEA DOS SANTOS LINS (- 52 kg): Reação/RJ 
MEG RODRIGUES VITORINO EMMERICH (+ 70 kg): IRM/PR 
REBECA DE SOUZA SILVA (+ 70 kg): Amei/SP 
THIEGO MARQUES DA SILVA (- 60 kg): Aepa/PA 
WILIANS SILVA DE ARAÚJO (+ 100 kg): Ceibc/RJ 

Mais em Tóquio 2020