Siga o OTD

Olimpíada do Amor: Talisca Reis e Netinho no game do OTD

Taekwondo

Olimpíada do Amor: Talisca Reis e Netinho no game do OTD

Casal fight do taekwondo brasileiro, Talisca Reis e Netinho entraram na brincadeira e encararam o desafio da Olimpíada do Amor. Venceram? Assista ao vídeo!

Pra comemorar esse dia dos namorados, convidamos Talisca Reis e Netinho Marques para participar de um game super espacial chamado Olimpíada do Amor! Ele é dividido em três partes e, juntos, eles precisam levar essa. Será que o casal do taekwondo conseguiu ganhar? Assista ao vídeo!

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

Talisca Reis e Netinho do taekwondo participam da Olimpíada do Amor | Arte Caio Poltronieri
Arte: Caio Poltronieri

Olimpíada do Amor: conheça mais de Talisca Reis

Nascida em Porto Velho, capital do estado de Rondônia, Talisca Reis conheceu o taekwondo através dos irmãos. Um vizinho, que praticava a modalidade, levou os irmãos de Talisca para uma aula, eles gostaram e ela passou a assistir aos treinos deles. Aos sete anos, Talisca enfim convenceu o pai e começou a praticar o taekwondo.

A partir daí, Talisca foi tomando gosto pelo esporte e optou por seguir carreira profissional no taekwondo. Em 2008, aos 20 anos, integrou a seleção brasileira pela primeira vez e estreou no cenário mundial, quando participou do Campeonato Mundial de Estudantes.

Seu primeiro grande resultado foi em 2010, no Campeonato Pan-Americano de taekwondo em Monterrey, no México, quando conquistou a medalha de prata na categoria até 53 kg. No ano seguinte, estreou nos Jogos Mundiais Militares e faturou novamente a medalha de prata.

Primeiro ouro

Em 2013, no Aberto da Argentina, na capital Buenos Aires, Talisca conquistou seu primeiro ouro e sua carreira deslanchou. No ano seguinte, ela participou de nove competições e medalhou em oito delas, com direito a um bronze no Mundial Militar e mais um ouro no Aberto do México.

Em 2015, Talisca garantiu mais cinco medalhas, uma delas de ouro, o que lhe credenciou para ser reserva da seleção brasileira de taekwondo nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016.

Depois de conquistar apenas uma prata em 2016, Talisca voltou a colecionar medalhas no ano seguinte, totalizando quatro. Em 2018, ela adicionou mais seis pódios ao já vitorioso currículo, tendo subido ao lugar mais alto dele em três oportunidades. Uma delas, inclusive, no Campeonato Pan-Americano de taekwondo.

Em 2019, Talisca participou pela primeira vez dos Jogos Pan-Americanos e em Lima, no Peru, conquistou a medalha de prata na categoria até 49 kg. No início de 2020, ela foi convocada para o Pré-Olímpico Mundial de taekwondo e, apesar da medalha de bronze, acabou não conseguindo a vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Olimpíada do Amor: conheça mais de Netinho

Como Edival Pontes, o Netinho, era uma criança hiperativo, os pais buscaram no esporte uma maneira de entretê-lo. Filho de zagueiro, o paraibano quase foi para o futebol, mas graças ao pai de um amigo, experimentou o taekwondo, gostou e vai disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Netinho foi colocado pelo pai em uma escolinha de futebol, mas quando um novo amigo da rua em que morava o convidou para jogar videogame tudo mudou. Lá, o pai desse colega, que era mestre de taekwondo, o convidou para uma aula experimental. O garoto de sete anos adorou a modalidade, não pensou duas vezes em largar o futebol e seguiu evoluindo, tanto é cinco anos depois se tornou campeão brasileiro entre os juniores.

Pleiteando a seleção brasileira de base, Netinho bateu na trave duas vezes seguidas na seletiva. Frustrado, ele pensou em desistir do taekwondo, mas seu pai entrou em ação e levou o filho para treinar em Brasília, onde o garoto foi acolhido por Guilherme Dias, atleta que, na época, era uma das revelações da modalidade, porém preferiu deixar o esporte precocemente depois. Aos 15 anos, Netinho, enfim, conseguiu ir para a seleção brasileira.

Decepção em 2016

Campeão de várias competições importantes no Júnior e Juvenil, entre elas os Jogos Olímpicos da Juventude, Netinho alimentou esperanças de ir às Olimpíadas do Rio de Janeiro, mas não conseguiu a vaga. A decepção gerou uma mudança de rumo na carreira, uma vez que ele deixou a categoria até 63 kg e foi lutar entre os atletas de até 68 kg.

Após disputar os Mundiais de 2017 e 2019, mas não passar das primeiras fases, Netinho conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Em março deste ano, conseguiu a sonhada vaga para as Olimpíadas de Tóquio através do Pré-Olímpico das Américas, disputado na Costa Rica. Sexto do ranking olímpico na categoria até 68 kg, o paraibano acredita que pode medalhar no Japão.

Mais em Taekwondo