Siga o OTD

Gabriel Medina em Teahupoo 2019. Belo tubo surfe masculino jogos olímpicos tóquio 2020

Surfe

Medina, Mineirinho, Jadson e Caio nas quartas em Teahupoo

Em um dos melhores dias da história do surfe de competição, Brasil coloca 4 surfistas nas quartas de final de Teahupoo.

WSL/Cestari

Medina, Mineirinho, Jadson e Caio nas quartas em Teahupoo

Terça-feira (27) histórica na bancada de Teahupo’o, no Taiti. Para o surfe, pelas condições épicas de ondulação que chegou à “Praia dos Crânios Quebrados”, e para o Brasil, por colocar pela primeira vez um surfista em cada uma das baterias das quartas de final da etapa. Gabriel Medina, Adriano de Souza (o Mineirinho), Jadson André e Caio Ibelli representarão o país, que busca seu 4º título neste campeonato. As finais devem acontecer a partir das 14h de Brasília, desta quarta-feira (28).

Gabriel Medina tira a nota 10

A nota 10 demorou para sair, mas quando saiu veio com justiça. Um T-U-B-A-Ç-O de Gabriel Medina, no qual o surfista saiu muito depois do spray, levou os presentes no famoso canal taitiano ao delírio, assim como comentaristas dos canais de televisão e a torcida que assistia de casa. Foi a melhor onda vista no local nos últimos 5 anos. Nota máxima unânime, que lhe rendeu uma somatória de 19.23 contra o norte-americano Griffin Colapinto e que dá mais moral ainda para o dia das finais, no qual Medina buscará o tri no lugar. O adversário do paulista nas quartas será o francês Jeremy Flores.

Mineirinho tem dia memorável

Mineirinho surfando em Teahupoo 2019

Adriano de Souza, o Mineirinho, fazendo seu melhor resultado pós-lesão. Foto: WSL/Dunbar

Se alguém tinha dúvidas sobre a condição física e clínica de Adriano de Souza, o Mineirinho, elas foram extintas hoje. O “Capitão” da Brazilian Storm deu um show à parte, fez duas baterias impecáveis contra Ítalo Ferreira, no round de 32, e contra o francês Joan Duru, nas oitavas. Na 37ª posição do ranking, o campeão mundial de 2015, pode entrar no top-22 se vencer a competição. Nas quartas de final, porém, ele terá um adversário complicadíssimo: o sul-africano Jordy Smith.

Filipe Toledo assume a liderança provisória, mas cai

Filipe Toledo em Teahupoo 2019

Filipe Toledo passou do round de 32, mas caiu nas oitavas em Teahupoo contra Seth Moniz. Foto: WSL/Dunbar

Filipe Toledo viu o líder do ranking, Kolohe Andino, ser eliminado pelo wildcard francês Kauli Vaast de 17 anos e conseguiu vencer a bateria contra Jesse Mendes. Tal resultado o colocou, provisoriamente, na liderança do ranking mundial. Porém, o que se viu nas oitavas de final foi um Filipe Toledo apático, dominado pelo havaiano Seth Moniz. Com a derrota, Toledo ainda pode perder a liderança para o sul-africano Jordy Smith, caso este chegue na final, ou para o compatriota Gabriel Medina, caso este vença a etapa. Ou pode ser ultrapassado pelos dois. Certamente, não é o resultado que um concorrente ao título mundial esperava.

Jadson André faz seu melhor resultado desde 2015

Jadson André Teahupoo 2019

Jadson André em um belo tubo em Teahupoo. Foto: WSL/Dunbar

“Eu nem me lembro qual foi a última vez que eu cheguei nas quartas de final”. Essa foram as palavras de Jadson André logo após sua bateria de oitavas de final contra o paulista Deivid Silva. E a resposta é: Rio 2015. Essa foi a última vez que o potiguar atingiu tal resultado. Para se ver tamanho do feito, hoje Jadson fez também sua maior somatória do ano e tirou uma das maiores notas da competição (9.73). É show de surfe e um recomeço para alguém que estava na 35ª posição do ranking. Será que vem mais surpresa aí? Na próxima fase, Jadson encara o atual vice-campeão da etapa, o australiano Owen Wright.

Caio Ibelli vai se consolidando no CT

Caio Ibelli em Teahupoo 2019

Caio Ibelli fez seu melhor resultado em Teahupoo depois de chegar cedo pra treinar. Foto: WSL/Dunbar

Devido à burocracia da World Surf League, o paulista Caio Ibelli não faz parte dos 34 nomes do circuito mundial. Depois de ficar boa parte de 2018 machucado, ele não ganhou um dos dois wildcards da organização, que optou por convidar Kelly Slater e John John Florence para 2019. No entanto, Caio vem mostrando que merece estar entre os competidores regulares do tour. Antes da etapa, ele estava na risca, em 22º do ranking, mas agora deve ter um alívio.

Caio protagonizou uma das melhores baterias e viradas do dia contra o norte-americano Conner Coffin no round de 32, tirando um 9.50. Nas oitavas teve muita dificuldade contra Jack Freestone, mas impulsionado por um 9.27 conseguiu a vaga nas quartas, onde enfrentará o havaiano, algoz de Toledo, Seth Moniz.

Willian Cardoso reconheceu que teve medo

Willian Cardoso, o “Panda, saiu da água com um somatório de 1.43 (0.93 + 0.50). Placar estranho, que teve explicação. O catarinense reconheceu nas redes sociais que teve medo do tamanho e da força do mar de Teahupoo nesta terça-feira. Uma prova de que não é pra qualquer um.

Leia a publicação abaixo:

Baterias do Round 3 de Teahupoo

1. Kanoa Igarashi (JAP) 9.00 x 12.16 Jadson André (BRA)
2. Adrian Buchan (AUS) 9.34 x 10.10 Deivid Silva (BRA)
3. Owen Wright (AUS) 12.73 x 12.36 Soli Bailey (AUS)
4. Michel Bourez (FRA) 11.60 x 11.23 Sebastian Zietz (HAV)
5. Ítalo Ferreira (BRA) 16.83 x 17.87 Adriano de Souza (BRA)
6. Joan Duru (FRA) 14.67 x 1.43 Willian Cardoso (BRA)
7. Jordy Smith (AFS) 13.20 x 7.74 Ricardo Christie (NZL)
8. Julian Wilson (AUS) 14.57 x 5.27 Yago Dora (BRA)
9. Kolohe Andino (EUA) 12.16 x 14.50 Kauli Vaast (FRA)
10. Wade Carmichael (AUS) 8.74 x 10.27 Jeremy Flores (FRA)
11. Ryan Callinan (AUS) 14.07 x 18.10 Griffin Colapinto (EUA)
12. Gabriel Medina (BRA) 14.03 x 10.00 Ezekiel Lau (HAV)
13. Filipe Toledo (BRA) 12.00 x 11.07 Jesse Mendes (BRA)
14. Seth Moniz (HAV) 14.67 x 9.66 Peterson Crisanto (BRA)
15. Conner Coffin (EUA) 16.96 x 17.73 Caio Ibelli (BRA)
16. Kelly Slater (EUA) 14.20 x 17.17 Jack Freestone (AUS)

Oitavas de Teahupoo

1. Jadson André (BRA) 18.23 x 11.84 Deivid Silva (BRA)
2. Owen Wright (AUS) 18.50 x 18.10 Michel Bourez (FRA)
3. Adriano de Souza (BRA) 17.50 x 9.27 Joan Duru (FRA)
4. Jordy Smith (AFS) 13.54 x 10.83 Julian Wilson (AUS)
5. Kauli Vaast (FRA) 13.66 x 15.76 Jeremy Flores (FRA)
6. Griffin Colapinto (EUA) 15.43 x 19.23 Gabriel Medina (BRA)
7. Filipe Toledo (BRA) 6.17 x 16.40 Seth Moniz (HAV)
8. Caio Ibelli (BRA) 18.64 x 15.83 Jack Freestone (AUS)

Quartas de Teahupoo

1. Jadson André (BRA) x Owen Wright (AUS)
2. Adriano de Souza (BRA) x Jordy Smith (AFS)
3. Gabriel Medina (BRA) x Jeremy Flores (FRA)
4. Seth Moniz (HAV) x Caio Ibelli (BRA)

Mais em Surfe