Siga o OTD

Mayra Aguiar

Judô

Mayra leva prata e Rafael Silva é bronze no GS da Alemanha

Depois de passar em branco nos dois primeiros dias, Mayra e Baby conquistaram as duas únicas medalhas brasileiras na Alemanha

Mayra Aguiar foi superada apenas pela japonesa Shori Hamada (Crédito: Divulgação)

Mayra leva prata e Rafael Silva é bronze no GS da Alemanha

No terceiro e último dia de competições do Grand Slam de judô de Dusseldorf, na Alemanha, o Brasil teve seu melhor desempenho e enfim subiu ao pódio. Depois de passar em branco nos dois primeiros dias, Mayra Aguiar e Rafael Silva conquistaram a medalha de prata e a de bronze, respectivamente. Além deles, Beatriz Souza e Rafael Buzacarini estiveram na disputa pelo bronze, mas acabaram ficando com o quinto lugar.

O GS alemão marcou a estreia de Mayra em 2020 e ela fez jus à expectativa pelo seu desempenho. Número dois do mundo, ela foi a única atleta do Brasil a chegar a uma final, mas na decisão da categoria até 78kg, acabou derrotada pela japonesa Shori Hamada, número cinco do ranking, e não conseguiu defender o título conquistado no ano passado. Este foi o terceiro duelo entre elas e a terceira vitória da japonesa.

+Brasil estreia no Grand Prix de Dusseldorf sem medalhas
+Brasil fecha 2º dia do Grand Slam de Dusseldorf sem medalhas

Assista à final entre Mayra e Hamada:

A campanha de Mayra começou direto na segunda rodada e logo com vitória por ippon na estreia diante a equatoriana Vanessa Chala. Na sequência, ela superou a russa Aleksandra Babintseva com mais um ippon e avançou às quartas de final, sendo a primeira brasileira a alcançar tal fase neste Grand Slam.

Nas quartas, a adversária foi a austríaca Bernardette Graf, que levou três shidos e classificou Mayra para a semifinal. Diante da cubana Kaliema Antomarchi, uma luta difícil e decidida apenas no Golden Score. A brasileira se impôs e conseguiu o waza-ari, que a levou para a disputa pelo ouro. Na grande final, porém, diante da japonesa Shori Hamada, Mayra Aguiar foi imobilizado e sofreu o ippon, ficando com a prata.

+INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Bronze do Baby

O segundo melhor resultado do Brasil neste Grand Slam foi o bronze de Rafael Silva, o Baby. Na categoria acima dos 100kg, assim, como Mayra Aguiar, ele também entrou direto na segunda rodada e venceu com tranquilidade o alemão Erik Abramov, com um wazi-ari e um ippon.

Na sequência, superou o venezuelano Pedro Pineda, se credenciando para as quartas de final. A vítima da vez foi o búlgaro Aliaksandr Vakhaviak, superado por ippon. Na semifinal, porém, Baby levou três shidos diante do georgiano Guram Tushishvili e deu adeus à vaga na final. Na disputa pelo bronze, Rafael encarou o húngaro Richard Sipocz e venceu nas punições, garantindo seu lugar no pódio.

A conquista tem um gostinho ainda mais especial para Baby: foi a primeira depois de uma fratura na mão na véspera do Mundial e do Pan do ano passado.

Assista à luta que rendeu o bronze ao Brasil:

Rafael Buzacarini e Beatriz Souza ficam em 5º

O caminho de Rafael Buzacarini até o quinto lugar começou ainda na primeira rodada, quando venceu o búlgaro Daniel Dichev, que levou três shidos. Em seguida, a vítima da vez foi Danilo Pantic, de Montenegro, que perdeu a luta por waza-ari. Na sequência, Buzacarini engatou dois ippons seguidos, vencendo o alemão Karl-Richard Frey e o georgiano Giorgi Chikovani, nas quartas de final.

Na semifinal, porém, Buzacarini não lutou bem e acabou superado pelo uzbeque Mukhammadkarim Khurramov por ippon no Golden Score. Com isso, o brasileiro foi para a disputa pelo bronze com o húngaro Miklos Cirjenics e acabou sofrendo um ippon e perdendo a medalha.

Veja a disputa pelo bronze:

Na categoria acima de 78kg feminina, Beatriz Souza representou o Brasil até o fim. Ela entrou direto na segunda rodada e logo despachou a polonesa Paula Kulaga com um waza-ari e um ippon. Na sequência, com mais um ippon, a brasileira superou a estadunidense Nina Cutro-Kelly e foi às quartas de final, quando acabou derrotada por ippon por Iryna Kindzerska, do Azerbaijão.

Com o resultado, Bia Souza foi para a repescagem e, nas punições, venceu a tunisiana Cheikh Rouhou, indo para a disputa do bronze. A adversária da vez foi a cubana Idalys Ortiz, número um do mundo, que aplicou um waza-ari e derrotou a brasileira.

Confira a última luta de Beatriz Souza:

Outros brasileiros

Outros quatro brasileiros estiveram em ação neste domingo, mas todos pararam na estreia. Na categoria acima dos 78kg, Maria Suelen Altheman não teve bom desempenho e foi eliminada logo em sua primeira luta, na segunda rodada, ao levar três shidos contra a francesa Julia Tolofua.

Assim como Maria Suelen, Rafael Macedo, na categoria até 90kg, foi derrotado também com três shidos em sua estreia pelo búlgaro Yahor Varapayeu.

Na categoria até 100kg, uma vitória e uma derrota para Leonardo Gonçalves. O brasileiro estreou vencendo Anto Dubreta, de Montenegro, na primeira rodada por ippon. Na sequência, porém, não manteve o embalo e acabou eliminado pelo holandês Simeon Catharina também por ippon.

Veja a vitória de Leonardo:

E por fim, na categoria acima de 100kg, além de Rafael Silva, o Brasil também contou com David Moura, que acabou eliminado em sua estreia na segunda rodada, diante do búlgaro Aliaksandr Vakhaviak, por ippon.

Saldo final do Grand Slam

O GS alemão é o segundo no ano, além de ser um dos torneios mais tradicionais do Circuito Mundial de Judô, distribuindo até mil pontos (campeão) no Ranking.

O último dia do torneio em Dusseldorf foi o único com saldo positivo para o Brasil. Ao todo foram 23 brasileiros competindo em solo alemão e apenas uma medalha conquistada, a prata de Mayra Aguiar. Além dela e de Bia Souza, que ficou com o quinto lugar, as outras atletas decepcionaram e não passaram da segunda rodada.

No masculino, Rafael Silva e Rafael Buzacarini foram os melhores colocados, seguido de Daniel Cargnin, que foi sétimo colocado no primeiro dia do GS.

Mais em Judô