Siga o OTD

Paris 2024

Diogo Soares sonha com top-5 no individual geral em Paris-2024

Evoluindo em todos os aparelhos, Diogo Soares sonha com um lugar no top-5 do individual geral nos Jogos Olímpicos Paris-2024

Diogo Soares no individual geral do Pan de Santiago. Ele vai competir em Paris-2024
(Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

Diogo Soares é o único atleta da ginástica artística masculina que já tem vaga assegurada nos Jogos Olímpicos de Paris-2024. Ele conseguiu sua classificação ao ser décimo colocado no individual geral do Mundial da Antuérpia, no ano passado, e agora quer ir além. Em entrevista ao Olimpíada Todo Dia, o ginasta revelou que traça como meta terminar no top-5 do individual geral do megaevento da capital francesa.

“Eu quero ficar entre os dez nos Jogos Olímpicos no geral. Mas o que faz com que eu busque o impossível é ficar entre os cinco. Minha meta pessoal é essa. A gente trabalha final primeiro, mas a meta do sonho seria entre os cinco”, revelou Diogo Soares, que disputará sua segunda Olimpíada aos 22 anos, depois de ter integrado a equipe brasileira em Tóquio-2020.

Evolução

Desde as categorias de base, Diogo Soares se destaca pela execução limpa dos elementos, sempre conquistando boas notas no quesito. Mas nos últimos anos, o ginasta tem trabalhado em aumentar a sua dificuldade, tanto para Paris-2024, como para o próximo ciclo olímpico. “Claro que a gente pensa muito nos Jogos Olímpicos de Paris, mas a gente ainda pensa também, principalmente quando se trata de evolução de aparelho, em Los Angeles. Os aparelhos que eu estou mais satisfeito para Paris são as paralelas e a barra. Solo, a gente precisa limpar e, se fizer isso, acredito que eu consiga fazer uma série bem cravadinha e ficarei satisfeito”, explicou o atleta.

Diogo Soares no individual geral do Pan de Santiago. Ele vai competir em Paris-2024
(Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

Os aparelhos onde Diogo Soares tem mais dificuldade são as argolas e o cavalo com alças. Mas aos poucos o ginasta tem melhorado as suas notas, principalmente no último, onde recentemente foi campeão pan-americano. “Argola e cavalo são os aparelhos que eu tenho uma certa dificuldade, mas são dificuldades diferentes. Argolas é um aparelho em que você precisa ser muito forte, tenho dificuldade principalmente talvez pelo meu biotipo corporal e porque o meu melhor é a parte aérea. No cavalo, eu tenho uma boa série, mas está chato para dominá-la. Está chato de fazê-la sem erro nenhum, ainda não está 100% dominado”, completou.

Últimos ajustes

“Como o Brasil não classificou a equipe, acaba que existem vários objetivos. Eu tenho a vaga nominal e estou buscando aperfeiçoar as minhas séries, que estão com a dificuldade já montada, só falta limpar. Esse é o momento dos detalhes. A gente está usando as competições para testar”, disse o ginasta. Seu último teste foi o campeonato Pan-Americano onde foi campeão por equipes, no cavalo com alças e na barra fixa e vice-campeão nas paralelas.

O ouro na barra fixa veio com uma das melhores séries da vida de Diogo Soares. O ginasta aumentou a sua dificuldade na final, sem perder a qualidade dos movimentos. E é na barra onde Diogo vê sua principal chance de conseguir uma final na Olimpíada. “Final por aparelho seria muito por oportunidade. Eu vou estar lá se surgir uma oportunidade. Acho que principalmente na barra. É um aparelho que eu penso para Los Angeles, também para aumentar a minha nota no individual geral. É um aparelho eu gosto muito”, finalizou.

Paulistano de 22 anos. Jornalista formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Estou no Olimpíada Todo Dia desde 2022. Cobri os Jogos Mundiais Universitários de Chengdu e os Jogos Pan-Americanos de Santiago-2023.

Mais em Paris 2024