Siga o OTD

Paralimpíada Todo Dia

Recorde marca último dia para conquistar vaga em Paris

Emanoel Victor de Oliveira bateu recorde das Américas do arremesso de peso F37 e melhorou posição no ranking mundial

Emanoel Victor de Oliveira segura peso ao lado do placar que mostra seu recorde continental no Desafio CPB/CBAt que o aproximou de Paris-2024
(Foto: Ana Patrícia Almeida/CPB)

O recorde das Américas do arremessador de peso de Emanoel Victor de Oliveira foi um dos resultados mais expressivos que aconteceram na 4ª Etapa do Desafio CPB/CBAt de atletismo, que aconteceu neste sábado (15), no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. A competição foi a última oportunidade para a conquista do índice estabelecido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) como um dos critérios de classificação para os Jogos Paralímpicos de Paris-2024.

Nascido em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, Emanoel tem hemiplegia do lado direito do corpo, causada pela paralisia cerebral. Ele fez a nova marca continental do arremesso de peso da classe F37 (paralisados cerebrais) ao fazer 14,64m neste sábado. O recorde anterior era de 14,56m, registrados pelo mexicano Luis Carlos Velenzuela, no Mundial de Kobe, no Japão, no último mês de maio.

Apesar do feito, Emanoel não atingiu o índice paralímpico da prova (15,09m), mas conseguiu subir da quinta para a quarta colocação do ranking mundial compilado pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC), que também é dos critérios de classificação dos brasileiros para os Jogos de Paris 2024. Essa lista tem como primeiro colocado o tunísio Ahmed Moslah, com 15,96m, seguido pelo mexicano Luis Carlos Valenzuela, com 15,86m, e pelo uzbeque Kudratillokhon Marufkhujaev, com 15,68m.

“Viemos para este Desafio CPB/CBAt com o objetivo de melhorar a marca para entrar na briga por uma vaga para Paris. Consegui melhorar minha posição no ranking e, de quebra, bater o recorde das Américas. Agora é torcer para estar dentro da convocação”, afirmou o arremessador, que representou o Brasil em Tóquio-2020 e busca a sua segunda participação em Jogos Paralímpicos.

Participação de outros paralímpicos

Petrúcio Ferreira em ação no Desafio CPB/CBAt
(Foto: Ana Patrícia Almeida/CPB)

Atletas que já atenderam os critérios de classificação para os Jogos Paralímpicos aproveitaram o 4º Desafio CPB/CBAt para fazer testes preparatórios para Paris-2024. Foi o caso de Petrúcio Ferreira, bicampeão paralímpico, recordista mundial e tetracampeão mundial nos 100m T47 (amputados de braço), que correu os 400m e marcou 48s87 – quinta melhor marca do mundo no ano.

“Dificilmente eu corro e treino para essa prova. Minha especialidade e paixão são os 100m. Mas coloquei como uma meta participar dos 400m também. Vou tentar correr ela sem a mesma responsabilidade dos 100m, mas buscando um lugar no pódio nela em Paris”, analisou Petrúcio, que correu esta prova pela primeira vez desde quando conquistou a medalha de bronze nos Jogos de Tóquio-2020, com 48s04.

Também medalha de ouro no Mundial de Kobe, a maranhense Rayane Soares conseguiu melhorar seu tempo em duas das três provas que conquistou medalha no Japão. A atleta da classe T13 (deficiência visual) reduziu seu tempo de 12s41 para 12s22 nos 100m e de 56s78 para 55s90 nos 400m. Os 200m, prova na qual foi ouro em Kobe, foi a única em que não competiu neste sábado.

O Desafio CPB/CBAt é organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), com o objetivo de difundir e desenvolver a prática da modalidade no país. Nesta etapa, houve a participação de cerca de 300 atletas, sendo 120 paralímpicos e 180 olímpicos, para competir em provas de pista (100m, 200m, 400m, 800m, 1.500m, 5.000m, e saltos em distância, triplo e em altura) e provas de campo (arremesso de peso e lançamentos de dardo, disco, club e martelo).

*Com informações do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

Paulistano de 22 anos. Jornalista formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Estou no Olimpíada Todo Dia desde 2022. Cobri os Jogos Mundiais Universitários de Chengdu e os Jogos Pan-Americanos de Santiago-2023.

Mais em Paralimpíada Todo Dia