Siga o OTD

Salto com vara masculino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Atletismo – salto com vara masculino

Chances do Brasil

Astros do GP Brasil de Atletismo chegam para a competição

Campeão olímpico na Rio 2016, Thiago Braz continua sendo o principal nome do salto com vara masculino e esperança de medalha nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. O problema é que o brasileiro, depois dos Jogos, não conseguiu mais se aproximar da marca de 6,03m saltada por ele no estádio João Havelange par a conquista do inédito e histórico ouro. Em 2017, ele não passou de 5,60m, que deu a ele apenas a 43ª. marca do mundo e, em 2018, seu melhor desempenho foi 5,70m, 21º. lugar do ranking mundial.

Apesar da má fase, no ano passado, apenas sete atletas das Américas ficaram a frente dele, seis americanos e um canadense. Como o regulamento permite apenas dois por país, Thiago Braz, mesmo longe do seu melhor momento, pode entrar na briga por medalha. Agora, para rivalizar com o americano Sam Kendriks (5,96m em 2018) e com o canadense Shawnacy Barber (5,92m em 2018), o brasileiro vai ter que voltar a seus melhores dias. Caso contrário, não terá chance de brigar pelo lugar mais alto do pódio em Lima 2o19.

Quem aparece em melhores condições é Augusto Dutra, que conseguiu a classificação para os Jogos Pan-Americanos Lima 2019 com 5,75m.

Local da competição

Estádio Atlético Pan-Americano

Local: Lima

Capacidade: 12.000 torcedores

A estrela dos Jogos

Pat Manson, dos Estados Unidos, é o grande nome do salto com vara masculino na história dos Jogos Pan-Americanos. O atleta é o único a ter vencido a prova em três edições da competição. Ele foi medalha de ouro em Havana 1991, Mar Del Plata 1995 e Winnipeg 1999, superando dois compatriotas que haviam sido bicampeões: Bob Richards (Buenos Aires 1951 e Cidade do México 1955) e Mike Trully (Caracas 1983 e Indianápolis 1987).

Apesar do sucesso nos Jogos Pan-Americanos, Pat Manson não conseguiu grandes resultados em competições mundiais. Com 5,85m como melhor marca da carreira, seu melhor resultado no Campeonato Mundial foi o sexto lugar em Atenas 1997.

Entre as nações, os Estados Unidos exerce um grande domínio no salto com vara masculino dos Jogos Pan-Americanos. Em 16 edições, os americanos ganharam 12 ouros, nove pratas e cinco bronzes.

Nossos pódios

A única vitória brasileira na história do salto com vara masculino dos Jogos Pan-Americanos aconteceu em casa. Nos Jogos do Rio em 2007, Fábio Gomes da Silva conquistou a medalha de ouro ao saltar 5,40m, deixando para trás o mexicano Giovanni Lanaro, que parou em 5,30m. Em Lima 2019, Thiago Braz vai tentar repetir o feito do compatriota.

Foi a terceira medalha do Brasil no salto com vara masculino dos Jogos Pan-Americanos, mas a única de ouro. Antes dele, o país tinha faturado apenas dois bronzes. Na estreia da competição, em Buenos Aires 1951, Sinibaldo Gerbasi ficou em terceiro lugar com 3,90m. 32 anos depois, em Caracas 1983, Tomás Valdemar Hinthaus, conseguiu a marca de 5,20m para também garantir a terceira colocação.

A prova

Salto com vara é um evento do atletismo onde os competidores usam uma vara longa e flexível para alcançar maior altura e passar por cima de uma barra ou sarrafo. Competições com varas já eram conhecidas na Grécia Antiga, entre os cretenses e os celtas. Foi introduzido como modalidade olímpica desde os primeiros Jogos em Atenas 1896 para os homens e desde Sydney 2000 para as mulheres.É uma modalidade classificada como um das quatro principais provas de salto no atletismo, junto com o salto em altura, salto em distância e o salto triplo. Sua originalidade está no fato de ser um esporte que requer uma significativa quantidade de equipamento especializado para ser praticado, tornando-o mais caro que os demais, mesmo em nível básico. Vários saltadores de sucesso na prova tem uma base na ginástica, caso da russa Yelena Isinbayeva e da brasileira Fabiana Murer, o que reflete os atributos físicos similares necessários para os dois esportes.A pista de corrida para o salto deve medir no mínimo 45 metros e ao fim dela se encontra o obstáculo, uma barra horizontal de 4,5 m de comprimento, 2,260 kg de peso máximo, sustentada por duas traves laterais que a elevam e apoiam à determinada altura. Exatamente ao fim da pista, ao nível do solo e à frente do obstáculo, existe centrada uma caixa de metal ou madeira, com 1 m de comprimento, 60 cm de largura no início e 15 cm junto ao obstáculo. É nela que o saltador apoia a vara para conseguir a impulsão, realizar o salto e ultrapassar o sarrafo.As mesmas regras do salto em altura são aplicadas à vara; o atleta tem três tentativas para saltar a marca, mas pode se recusar saltar determinada altura preferindo esperar por outra maior. Não conseguindo passar a altura depois de três tentativas na mesma altura ou alturas combinadas, é eliminado. Caso empatem na mesma altura final, o desempate é feito pelo número menor de tentativas para superar a altura imediatamente anterior. Caso continue empatado, é analisado o menor número de tentativas em toda a disputa; ainda um empate, a prova então tem um ou mais saltos de desempate até surgir o vencedor.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro MARCA Medalha de prata MARCA Medalha de bronze MARCA
1951 Bob Richards
EUA
4.50m Jaime Piqueras
Peru
3.90m Sinibaldo Gerbasi
Brasil
3.90 m
1955 Bob Richards
EUA
4.50m Bobby Smith
EUA
4.30m Don Laz
EUA
4.30m
1959 Don Bragg
EUA
4.62m Jim Graham
EUA
4.32m Rolando Cruz
 Porto Rico
4.32m
1963 Dave Tork
EUA
4.90m Henry Wadsworth
EUA
4.75m Rubén Cruz
 Porto Rico
4.30m
1967 Bob Seagren
EUA
4.90m Bob Raftis
Canadá
4.75m Bob Yard
Canadá
4.45m
1971 Jan Johnson
EUA
5.33m David Roberts
EUA
5.20m Bruce Simpson
Canadá
4.90 m
1975 Earl Bell
EUA
5.40m Bruce Simpson
Canadá
5.20m Roberto Moré
Cuba Cuba
5.20m
1979 Bruce Simpson
Canadá
5.15m Greg Woepse
EUA
5.05m Brian Morrissette
 Ilhas Virgens Americanas
4.85m
1983 Mike Tully
EUA
5.45m Jeff Buckingham
EUA
5.25m Tomás Valdemar Hintnaus
Brasil
5.20m
1987 Mike Tully
EUA
5.71m Rubén Camino
Cuba Cuba
5.50m Scott Davis
EUA
5.30m
1991 Pat Manson
EUA
5.50m Doug Wood
Canadá
5.35m Ángel Luis García
EUA
5.20m
1995 Pat Manson
EUA
5,75m Bill Deering
EUA
5,60m Alberto Manzano
Cuba Cuba
5,40m
1999 Pat Manson
EUA
5,60m Scott Hennig
EUA
5,55m Jason Pearce
Canadá
5,30m
2003 Toby Stevenson
EUA
5,45m Russ Buller
EUA
5,40m Dominic Johnson
 Santa Lúcia
5,40m
2007 Fábio Gomes da Silva
Brasil
5,40m Giovanni Lanaro
 México
5,30m Germán Chiaraviglio
Argentina
5,20m
2011 Lázaro Borges
Cuba Cuba
5,80m Jeremy Scott
EUA
5,60m Giovanni Lanaro
 México
5,50m
2015 Shawnacy Barber
Canadá
5.80 m Germán Chiaraviglio
Argentina
5.75m Jake Blankenship
EUA
Mark Hollis

EUA
5.40 m

Quadro de Medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  EUA 13 10 5 28
2  Canadá 2 3 3 8
3  Cuba 1 1 2 4
4  Brasil 1 0 2 3
5  Argentina 0 1 1 2
 México 0 1 1 2
7  Peru 0 1 0 1
8  Ilhas Virgens Americanas 0 0 1 1
 Santa Lúcia 0 0 1 1

AGENDA DO DIA

ago 17 01:00 Evento Teste de Vela - Tóquio 2020 Laser 7º lugar após duas regatas Robert Scheidt ago 17 01:00 Evento Teste de Vela - Tóquio 2020 Finn 12º lugar após duas regatas Jorge Zarif ago 17 01:00 Evento Teste de Vela - Tóquio 2020 470 masculino 21º lugar após duas regatas Geison Mendes/Gustavo Thiesen ago 17 01:00 Evento Teste de Vela - Tóquio 2020 Nacra 17 13º lugar após três regatas Samuel Albrecht/Gabriela Nicolino ago 17 01:10 Evento Teste de Vela - Tóquio 2020 470 feminino 6º lugar após duas regatas Fernanda Oliveira/Ana Barbachan ago 17 02:00 Evento Teste de Vela - Tóquio 2020 RS:X feminino 11º lugar após três regatas Patrícia Freitas ago 17 02:00 Mundial de Escalada Velocidade feminina – Classificação 73º Lugar Bianca Castro ago 17 02:00 Mundial de Escalada Velocidade masculino 78º e 43º César Grosso, Felipe Ho ago 17 02:00 Mundial de Escalada Velocidade feminina – Classificação 63º Lugar Thaís Makino ago 17 03:00 Evento Teste de Vela - Tóquio 2020 49er FX 2º lugar após três regatas Martine Grael e Kahena Kunze ago 17 05:30 Etapa de Moscou do Circuito Mundial de vôlei de praia Nicolai/Lupo 1 Alison/Álvaro Filho 2 ago 17 06:30 Etapa de Moscou do Circuito Mundial de vôlei de praia Talita/Taiana 2 Menegatti/Orsi 1 ago 17 06:30 Etapa de Moscou do Circuito Mundial de vôlei de praia Ana Patrícia/Rebecca 0 Sweat/Walsh 2 ago 17 07:30 Etapa de Moscou do Circuito Mundial de vôlei de praia Bruno Schmidt/Evandro 1 Guto/Saymon 2 ago 17 08:00 Supercampeonato Brasileiro de taekwondo Adulto Feminino ago 17 10:00 Future Series do Brasil de badminton Artur Pomoceno (BRA) 2 Donnians Oliveira (BRA) 1 ago 17 11:00 Paulista de Futebol Feminino - Grupo 3 Sao José 1 Palmeiras 2 ago 17 11:00 Campeonato Brasileiro Sub-17 de futebol masculino - Final Flamengo 2 Corinthians 1 ago 17 11:00 Supercampeonato Brasileiro de taekwondo Adulto Masculino ago 17 11:50 Etapa de Moscou do Circuito Mundial de vôlei de praia Alison/Álvaro Filho (BRA) 2 Thole/Wickler 0 ago 17 13:00 Torneio de Lyon de basquete masculino Brasil 80 Montenegro 69 ago 17 13:05 Etapa de Moscou do Circuito Mundial de vôlei de praia Talita/Taiana (BRA) 2 Walsh/Sweat 0 ago 17 14:00 Paulista de handebol masculino - Primeira Fase Handebol Franca São Carlos ago 17 14:00 Amistoso de futebol masculino Sub-17 Brasil 3 Chile 1 ago 17 14:00 Brasileiro de futebol feminino - Quartas de Final Internacional 1 Flamengo 1 ago 17 14:20 Etapa de Moscou do Circuito Mundial de vôlei de praia Samoilovs/Smedins 2 Guto/Saymon (BRA) 1 ago 17 15:00 Campeonato Paulista de Basquete Masculino - Primeira Fase Basquete Osasco 70 Mogi das Cruzes 76 ago 17 16:30 Masters 1000 de Cincinnati Juan Cabal (COL)/Robert Farah (COL) 2 Bruno Soares (BRA)/Mate Pavic (CRO) 0 ago 17 17:00 Campeonato Paulista de Basquete Masculino - Primeira Fase América 75 Liga Sorocabana 72 ago 17 18:00 Paulista de handebol masculino - Primeira Fase Taubaté/FAB/UNITAU 24 Pinheiros 21 ago 17 19:00 Campeonato Paulista de Basquete Masculino - Primeira Fase Pinheiros Franca Basquete ago 17 19:15 Sul-Americano Sub-21 de basquete masculino - Disputa de terceiro lugar Chile Uruguai ago 17 20:00 Evento-Teste de triatlo - Tóquio 2020 Revezamento misto Brasil ago 17 20:30 NWSL Orlando Pride Utah Royals ago 17 21:30 Sul-Americano Sub-21 de basquete masculino - Final Brasil Argentina ago 17 23:30 NWSL Portland Thorns Washington Spirit