Siga o OTD

Tóquio 2020

Brasileiros classificados para a Paralimpíada do ano que vem

Jogos Paralímpicos começam daqui a exato um ano e o Brasil tem 152 vagas. Confira a lista

Brasil rouba cena na Cerimônia de Abertura do Parapan de Lima (Ale Cabral/CPB)

Apesar da pandemia ter bagunçado o calendário do paradesporto mundial, alguns brasileiros já estão classificados e têm vagas garantidas para a Paralimpíada de Tóquio-2020.

De forma oficial, o CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro) não confirma, mas 152 vagas já foram conquistadas pelos brasileiros.

Dessas 152 vagas garantidas por brasileiros para a Paralimpíada de Tóquio-2020, a maioria pertence ao país, no caso ao CPB e às suas respectivas confederações.

A se confirmar

Antes do adiamento dos Jogos para 2021, muitas modalidades tinham brasileiros classificados perto de terem suas vagas confirmadas para a Paralimpíada de Tóquio-2020.

Por hora, o CPB não confirma essas vagas porque os critérios nacionais de convocação das modalidades estão em processo de revisão e nenhuma delas é nominal.

Há de se acrescentar, também, que algumas delas têm como requisito índices mínimos e número de participações em determinados campeonatos. Há também regras que limitam o número em determinadas provas para cada país.

Com o calendário paralímpico incerto, a qualificação ficou bagunçada. As regras foram revisadas em julho de 2020 e podem ser alteradas novamente, conforme os eventos retornem ou não. Os atletas classificados estão atentos às constantes mudanças.

futebol de 5 brasileiros classificados paralimpíada tóquio-2020
Marcio Rodrigues/MPIX/CPB

Vagas brasileiras

Futebol de 5 – 10 vagas

O Brasil tem 10 vagas garantidas e não nominais. A modalidade é dominada pelos brasileiros, que possuem quatro medalhas de ouro paralímpicas. A classificação veio com o título mundial em 2018.

Goalball – 12 vagas

São 12 garantidas e não nominais para Tóquio-2020. Cada uma das equipes, feminina e masculina, vai levar seis paratletas. Os brasileiros conseguiram as vagas através dos mundiais em 2018.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Enquanto os homens se classificaram com título mundial em 2018, as mulheres se garantiram com o bronze.

Leomon - Goalball brasileiros classificados paralimpíada tóquio-2020
Leomon é o melhor jogador de goalball do mundo (Instagram/leomonmorenoficial)

Tênis de mesa – 10 vagas

A modalidade já tem 10 brasileiros garantidos para 2021, cinco via ranking mundial e cinco por conquistas no Parapan de Lima-2019. Todas as 10 são nominais. A confirmação veio da ITTF (Federação Internacional de Tênis de Mesa) .

Os medalhistas em Lima: Joyce Oliveira, Danielle Rauen, Paulo Salmin, Luiz Manara e Carlos Carbinatti. Via ranking mundial: Bruna Alexandre, Cátia Oliveira e Lethícia Lacerda, Israel Stroh e Welder Knaf.

tênis de mesa brasileiras classificação paralimpíada tóquio-2020
Bruna Alexandre, atleta paralímpica do tênis de mesa (Divulgaçã/CBTM.org)

Esse número pode quase dobrar, pois outros mesa-tenistas do país ainda buscam vagas pela seletiva, que ainda não foi remarcada pela federação internacional. Fora que ainda há possibilidade de classificações pelo ranking mundial, em razões de desistências.

Vôlei sentado – 24 vagas

Nos dois naipes, o Brasil está garantido na Paralimpíada de Tóquio-2020. Serão 24 brasileiros no total, 12 no feminino e 12 no masculino. A classificação veio através do Parapan de Lima-2019. No Peru, o masculino levou a vaga com o ouro. No feminino, a prata garantiu a vaga

vôlei sentado brasileiras classificação paralimpíada tóquio-2020
24/08/2019 – Jogos Parapanamericanos Lima 2019 Vôlei Sentado. Brasil X Canadá Comemoração de pontos marcados (Saulo Cruz/EXEMPLUS/CPB)

Atletismo – 36 vagas

No Mundial de Dubai 2019, o Brasil teve 14 medalhistas de ouro, que praticamente garantiram lugares para o país em Tóquio. Petrúcio Ferreira foi o único com duas conquistas.

Petrúcio Ferreira no Mundial de Atletismo Paralímpico em Dubai tóquio
Atleta paralímpico mais rápido do mundo, Petrúcio Ferreira é nome certo em Tóquio (Daniel Zappe/Exemplus/CPB)

Os outros atuais campeões mundiais são: Beth Gomes, Claudiney Batista, Rayane Soares, Júlio César de Oliveira, Thiago Paulino, Daniel Tavares, Thalita Simplício, Jerusa dos Santos, Lucas Prado, Alessandro Rodrigo, João Victor Teixeira e Cícero Valdiran. Todos estão classificados, mas as vagas pertencem ao país.

Fora as 35 vagas obtidas pelo no Mundial de Dubai, uma outra foi conquistada na Maratona de Londres.

Natação – 35 vagas

Maria Carolina Santiago, Daniel Dias, Wendell Belarmino e Edênia Garcia foram ouro no Mundial de Londres 2019. Cecília Araújo, Phelipe Rodrigues e Joana Silva foram prata. Os sete garantiram vagas ao país.

O restante veio via desempenho entre o período entre outubro de 2018 e janeiro de 2020.

Assim como no atletismo, todas as vagas são do país e não nominais.

Destaques femininos Paralimpíada
Maria Carolina Santiago com o ouro no Mundial de Londres 2019 (Alê Cabral)

Bocha – 9 vagas

Foram classificados atletas para as disputas por equipes BC1/BC2 e pares BC3 e pares BC4. O Brasil também garantiu uma vaga no individual de cada classe, totalizando nove. Também são do país. Uma eventual via ranking mundial será nominal.

Evani Calado, atleta da bocha paralímpica vaga
Evani Calado, atleta da bocha paralímpica (Alê Cabral/CPB)

Tiro com arco – 1 vaga

Jane Karla, do arco composto, garantiu uma vaga para o Brasil através do Mundial de 2019, onde terminou na sexta posição.

Jane Karla é um destaque femininos para a Paralimpíada de Tóquio
Jane Karla é um destaque femininos para a Paralimpíada de Tóquio (Divulgação/Nissan)

Ciclismo – 3 vagas

Lauro Chaman garantiu uma vaga para o Brasil no ciclismo de estrada e, automaticamente, uma no de pista. Jady Malavazzi garantiu uma no ciclismo de estrada para o país no hand bike, que não existe no ciclismo de pista. As vagas são do país.

lauro chaman tóquio vaga classificado
Chaman foi prata no Mundial de 2018 (Divulgação/CPB)

Canoagem – 4 vagas

No Mundial, os seis primeiros colocados em cada uma das nove provas que serão disputadas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio garantiram vaga na competição. Seguindo este critério, Luís Carlos Cardoso, Debora Raiza Ribeiro, Fernando Rufino e Caio Ribeiro conquistaram as vagas do país.

Caio Ribeiro, um dos classificados para Tóquio vaga
Caio Ribeiro, um dos classificados para Tóquio (Rodolfo Vilela/ rededoesporte.gov.br)

Remo – 3 vagas

O Brasil conquistou três vagas para a Paralimpíada no Campeonato Mundial de Remo e Remo Paralímpico 2019. Todas pertencem ao país.

Renê Pereira no Mundial de Remo da Áustria vaga
Renê Pereira em ação no Mundial de 2019 (FISA Igor Meijer)

As vagas do remo paralímpico nos Jogos do ano que vem foram para o Double Skiff Misto PR2 (PR2 Mix2x), conquistada por Josiane Lima e Michel Pessanha, e para o Single Skiff Masculino PR1 (PR1 M1x), com Renê Pereira.

Tiro – 1 vaga

Alexandre Galgani faturou a medalha de prata na etapa de Al Ain da Copa Mundo de Tiro Esportivo, nos Emirados Árabes Unidos, e a vaga para o Brasil em 2021.

Alexandre Galgani - Paralimpíada de Tóquio - Coronavírus - Tiro Esportivo vaga
Galgani foi primeiro brasileiro individual a garantir vaga na Paralimpíada de Tóquio (Divulgação)

Parataekwondo – 3 vagas

A vaga da lutadora Débora Menezes (+58kg) veio após ficar em segundo lugar no ranking mundial ao término de janeiro 2019, período usado para qualificação direta pelo ranking.

débora menezes classificação paralimpíada vaga
Débora Menezes, do parataekwondo (Divulgação/Worldtaekwondo)

Já no Pan-Americano de parataekwondo 2019, Silvana Fernandes (58 kg) e Nathan Torquato (61 kg) foram ouro e também garantiram vaga. As três pertencem ao país.

Hipismo – 1 vaga

A vaga brasileira é no adestramento paraequestre. Rodolpho Riskalla conseguiu essa vaga para o país ao conquistar a prata nos Jogos Equestres Mundiais de 2018.

riskalla paraequestre tóquio
Melhor cavaleiro paraequestre, Riskalla é um dos brasileiros que garantiu vaga par ao país em Tóquio (Divulgação/CPB)

Mais uma vez, a vaga pertence ao país e não ao cavaleiro. Mas Riskalla, que já liderou o ranking da modalidade, deve ser o representante brasileiro em Tóquio.

Mais em Tóquio 2020