Siga o OTD

Atletismo

Yohansson se aposenta das pistas e concorre a vice do CPB

Com 25 medalhas nas principais competições e 15 anos no esporte paralímpico, Yohansson do Nascimento pendura as sapatilhas para “retribuir tudo que recebeu do esporte paralímpico”

Yohansson sorrindo após correr os 100m (Marcio Rodrigues/MPIXC)

Um dos currículos mais vencedores da história do esporte paralímpico do país vai dar adeus às pistas. Aos 33 anos, Yohansson do Nascimento já estava classificado para sua quarta Paralimpíada em Tóquio-2020, mas optou por se aposentar do atletismo e encarar um novo desafio. Ele será candidato a vice-presidente do CPB (Comitê Paralímpico do Brasil).

“Uma decisão muito difícil pra tomar como atleta, porque como todos sabem eu tenho índice para Tóquio. No Mundial do ano passado, eu fiz a a melhor marca da minha vida nos 100m. Conquistei aquele pódio fantástico ao lado do Petrúcio e do Washington e eu sabia que estar me candidatando à vice-presidência do CPB, eu teria que abrir mão dessa minha vaga e desse meu sonho de estar indo em busca de mais medalhas;” contou com exclusividade ao Olimpíada Todo Dia.

Com 15 anos no esporte, Yohansson tem 25 medalhas nas principais competições: 6 em Jogos Paralímpicos, 11 em Campeonatos Mundiais e 8 em Jogos Parapan-Americanos. A opção é uma tentativa de retribuir o que o esporte te trouxe como atleta.

“Essa decisão foi tomada porque do mesmo jeito que eu tive a oportunidade de iniciar o esporte em 2005, o esporte me ofereceu tantas coisas, tantas oportunidades, pude melhorar minha vida, ajudar muitos atletas a ingressar no esporte. A saber o caminho que ele tinha que trilhar. E, se tudo der certo, nessa votação, como vice presidente eu vou poder ajudar não só os atletas da minha modalidade, do atletismo, mas atletas do Brasil inteiro.”

Inspiração para os atletas

Yohansson do Nascimento sempre é citado pelos colegas como inspiração ou, também, como suporte no treino em busca de melhores resultados. Quem convive com o atleta, fala da personalidade de “aconselhador” e, agora, ele quer ampliar isso dentro do esporte paralímpico.

“De pessoas que nem conheceram ainda o esporte paralímpico, que eles tenham essa mesma oportunidade que eu tive de tudo que o esporte me proporcionou. Agora, eu quero retribuir tudo isso que eu recebi do esporte paralímpico. Quero fazer com que o esporte se propague cada vez mais de norte a sul, de leste a oeste, que as crianças com deficiência saibam da oportunidade que eles podem ter no esporte paralímpico. Não necessariamente que ele vai se tornar um campeão, mas que ele saiba também, que o esporte pode ser uma grande ferramenta de transformação e mudança de vida,” conclui.

Como a notícia foi recebida?

“Estou bem feliz porque tive um feedback muito bom de vários atletas, de diferentes modalidades. Todos eles me aconselharam. Todos eles me apoiaram nessa decisão. Sabe que desde sempre eu quis ver a melhoria de cada atleta de todas as modalidades. Então eles me apoiaram justamente por esse motivo, que eu posso fazer muito pelo esporte paralímpico, agora, fora das pistas,” contou.

Futuro

esporte paralímpico - aposenta Yohansson
Yohansson com seu filho Yan (Reprodução/Instagram)

Deixar as pistas não quer dizer parar de treinar totalmente. “Não tem como deixar de treinar. Independente do resultado das eleições no dia 30, eu continuarei praticando atividade física, frequentando as pistas, o que vai mudar vai ser só o ritmo de treino, que vai dar uma diminuída.”

Yohansson resolveu parar, mas já tem claro o balanço do que foram os anos representando o Brasil nas pistas: “O balanço que eu faço é de uma carreira vitoriosa. Eu consegui ganhar todas as medalhas possíveis. Foi uma carreira vitoriosa. Então eu fico satisfeito em tudo que eu fiz. E ainda sabendo que mesmo que eu quisesse continuar no próximo ano eu tinha muita chance de conquistar mais um pódio e melhorar a marca nos 100m.”

A eleição será realizada no dia 30 de novembro, no CPB. Mizael Conrado é candidato único ao cargo de presidente. Yohansson Nascimento concorre com Ivaldo Brandão Vieira para vice. E há oito nomes indicados para o Conselho Fiscal.

Confira a nota no site oficial sobre a eleição:

A Comissão Eleitoral do Comitê Paralímpico Brasileiro divulga nesta sexta-feira (16), o resultado e a homologação das inscrições para eleição dos cargos da diretoria executiva e conselho fiscal da entidade.

A Assembleia Geral de Eleição será realizada em 30 de novembro, de forma presencial, no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, localizado à Rodovia dos Imigrantes, KM 11,5, São Paulo (SP). 

Esta será a primeira eleição na história do movimento paralímpico brasileiro que a Assembleia será composta por, no mínimo, um terço de atletas. O colégio eleitoral do Comitê Paralímpico Brasileiro é composto por 20 delegados com direito a voto, segmentados por confederações filiadas e atletas. 

Os eleitos tomarão posse em janeiro de 2021 e o mandato se encerrará em dezembro de 2024.

Confira aqui o documento com a homologação das inscrições. 

Mais em Atletismo