Siga o OTD

Flávio Canto e David Moura durante a inauguração do Instituto Reação em Cuiabá - banco BV

Coronavírus

Pandemia breca Instituto Reação, que reage contra a fome

Sem poder dar aulas presenciais de judô, Instituto Reação de Cuiabá, comandado por David Moura, entra no combate à fome em meio à pandemia

Flávio Canto e David Moura durante a inauguração do Instituto Reação em Cuiabá (Marcello Zambrana)

Pandemia breca Instituto Reação, que reage contra a fome

“Foi um balde de água fria.” Logo após inaugurar o Instituto Reação em Cuiabá (MT), David Moura viu seu sonho ser fechado provisoriamente por causa da pandemia.

Em atividade desde o ano 2000 no Rio de Janeiro, com destaque para a Rocinha, o instituto inaugurou no início de março o primeiro polo fora da capital fluminense, em uma escola municipal na cidade de Cuiabá, terra do também judoca David Moura.

“Não chegou a dar três semanas de aula e tivemos que fechar por causa do coronavírus. Mas o judô nos ensina. É cair e levantar, sempre”, reforça David Moura.

+ SIGA O OTD NO FACEBOOKINSTAGRAMTWITTER E YOUTUBE

E a melhor forma possível de reagir diante da pandemia foi arregaçar as mangas e ajudar as famílias que mais precisam. Com a campanha ‘Ippon no Corona’, em parceria com o BV, o Instituto Reação vai atendar as famílias que estão inscritas no projeto.

Reação contra a fome

Ver essa foto no Instagram

Hoje, 13,6 milhões de pessoas vivem em favelas no Brasil. A precariedade nas condições básicas de moradia e saneamento básico, e o trabalho informal, colocam a população de baixa renda em situação muito mais delicada diante da pandemia. Até que essa situação se normalize muitos vão precisar de toda ajuda possível. E nós te convidamos a reagir conosco e a fazer parte da nossa campanha #IpponNoCorona! Todas as doações serão convertidas numa cesta básica digital. Na primeira fase, entregaremos às famílias dos nossos 2 mil alunos, cartões que poderão ser usados como alimentação e refeição, para que elas montem suas cestas de necessidades básicas. Dessa forma, diminuímos o risco de contágio e preservamos o isolamento social, tão importante neste momento. Na segunda fase, partiremos para outras famílias e comunidades. Acesse o link, conheça os detalhes e saiba como ajudar: https://institutoreacao.abraceumacausa.com.br/ Link na bio

Uma publicação compartilhada por Flávio Canto (@flaviocanto) em

Na primeira fase, as famílias dos dois mil alunos receberão cartões que poderão ser usados como alimentação e refeição, para que elas montem suas cestas de necessidades básicas. Dessa forma, diminuindo o risco de contágio e preservando o isolamento social, tão importante neste momento.

+ Perpetuação de mestres da lição de Kano leva judô adiante

Na segunda fase, partiremos para outras famílias e comunidades que não estão. “Não podemos abandonar essas pessoas. São elas que constroem com a gente o Reação.” Qualquer um pode participar. As doações serão feitas pela plataforma digital “Abrace uma Causa”. Para cada R$ 1 doado por pessoa física, o banco BV doará a mesma quantia, até o total de R$ 10 milhões.

“A gente estava organizado entregas de alimentos para as famílias, mas a logística estava bem ruim com a pandemia. Como que a gente vai ajudar se estamos nos expondo e expondo essas família?. Com o cartão magnético ficou tudo mais fácil para todos.

Mas e as aulas de judô?

“Seguem online, não vamos abandonar nossos alunos. Os senseis seguem dando as aulas. Legal que a molecada está respondendo bem. Estão gravando os treinos, a interação está bem positiva.”

Flávio Canto e David Moura na inauguração do Instituto Reação Cuiabá (Facebook/institutoreação)

Obviamente, que as aulas online não são a mesma coisa que as presenciais, mas a conexão virtual mantém os laços com o judô e toda sua filosofia. “É a resposta que podemos dar agora. Eu mesmo devo dar alguma aula em algum momento”, completa David Moura.

+ Diretor ajuda a transformar lixão em polo do judô

Entretanto, está claro para o judoca que o crucial no momento é dar condições para que as famílias não passem fome e o judô é só um caminho para atingi-las. “A nossa responsabilidade segue a mesma, só que com métodos diferentes.”

O sonho olímpico segue

Junto com o trabalho à frente do Instituto Reação de Cuiabá, David Moura, em meio à pandemia, não deixa de treinar com o pensamento em Tóquio 2020.

“Sei que sou privilegiado. Estou conseguindo treinar, minha rotina segue quase a mesmo, dentro do possível. Só não tenho parceiros disponíveis o tempo todo. Mas todos estão treinando do jeito que dá.”

David Moura coordena o Instituto Reação de Cuiabá em meio à pandemia
Judoca David Moura coordena o Instituto Reação de Cuiabá

David Moura está na corrida olímpica, é o atual número dois do Brasil na categoria acima de 100 kg. Rafael Silva está em vantagem e só um deles vai representar o país em Tóquio 2020.

Ao mesmo tempo que não está viajando e competindo por causa da pandemia, o judoca não vacila e admite que está gostando de ficar em casa. “A gente vive uma rotina de viajar muito, ficar em casa está sendo uma benção, estou conseguindo treinar e ficar com a família. De novo, sei que sou privilegiado. Mas está sendo um período de recarga importante.”

Mais em Coronavírus