Siga o OTD

Jogos Olímpicos de Inverno

Brasileiros começam a chegar para os Jogos de Inverno

Christian Dawes/COB

Brasileiros começam a chegar para os Jogos de Inverno

Michel Macedo, do esqui alpino será o primeiro a estrear nos Jogos Olímpicos de Inverno, no dia 13. Equipe de Bobsled chegou na última sexta (02), em Pyeongchang.

 Aos poucos a delegação brasileira que disputará os Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018 ganha forma. Michel Macedo, do esqui alpino, chegou à Vila Olímpica na noite da sexta-feira (02).  Antes dele, apenas a equipe de bobsled dera entrada na Vila. Michel, de 19 anos, disputará sua primeira edição dos Jogos Olímpicos de Inverno e será o primeiro brasileiro a competir, na prova de Combinado, no dia 13, antes de participar de outras três provas. Natural de Fortaleza e residente de Oregon (EUA), o atleta foi Top 15 no Super G nos Jogos Olímpicos da Juventude Lillehammer 2016.

Mesmo com a participação em uma edição da Juventude, o atleta se disse impressionado com a estrutura dos Jogos Olímpicos para adultos. “Aqui o atleta tem tudo o que pode precisa. É tudo muito grande, com uma infraestrutura absurda. Fiquei muito impressionado”, disse Michel. “A ficha ainda está caindo. Tenho a responsabilidade de representar um país inteiro. Vou dar o meu máximo para representar bem o Brasil para que no futuro a gente possa ter uma equipe inteira de esqui alpino nos Jogos Olímpicos”, disse o esquiador.

Michel se destaca desde as categorias de base. Morando nos Estados Unidos, o atleta já subiu ao pódio em 9 provas internacionais e, no último ano, quebrou 4 dos 5 recordes brasileiros da modalidade, se mostrando o atleta mais versátil e completo da história da modalidade no Brasil. Além do Combinado, que soma os tempos de uma descida de Super G com uma de Slalom, em PyeongChang Michel disputará o Super G (dia 15), o Slalom Gigante (18) e o Slalom (22). O Super G é uma prova de velocidade, enquanto Slalom Gigante e Slalom são provas técnicas.

A quantidade de provas não assusta o atleta brasileiro. “Terei um ou dois dias entre as competições. Então vai dar tempo para recuperar e me preparar entre uma prova e outra”, disse Michel.  “Slalom e Slalom Gigante são provas mais técnicas, de grande dificuldade. Historicamente tenho bons resultados no Super G e isso me deixa muito animado para essa prova. Mas eu acho que o meu melhor resultado será no Combinado. Como a prova mistura uma descida de velocidade com uma técnica, penso que tenho as características e o preparo físico para essa prova”, completou o jovem esquiador brasileiro.

Já presente na casa das atletas dos Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018, na Coreia do Sul, a equipe brasileira de bobsled já ocupa a Vila Olímpica da montanha, onde grande parte da delegação brasileira ficará alojada durante os Jogos. Esta é a primeira vez em que o bobsled do Brasil alcançou a vaga no 2-man, além de classificar o 4-man. Edson Bindilatti, em sua quarta participação nos Jogos, será o piloto dos dois trenós. Além de Bindilatti, deram entrada na Vila Odirlei Pessoni, Rafael Souza, Edson Martins, o reserva Erick Vianna e a treinadora da equipe, a americana Shauna Rohbock.

Do dia 9 a 25 de fevereiro, PyeongChang 2018 terá o maior número de atletas na história dos Jogos Olímpicos de Inverno – 2.925, representando 92 Comitês Olímpicos Nacionais. Entre eles, o baiano Edson Bindilatti, de 38 anos, rumo a sua quarta participação olímpica. Para o atleta, a emoção ao entrar na Vila de PyeongChang foi a mesma da estreia, em Salt Lake 2002, quando ainda não tinha a responsabilidade de pilotar o trenó.

“Parece que é a primeira vez que entro em uma Vila Olímpica, de tanta emoção. Chegar aqui é o que um atleta mais almeja e eu sei que sempre posso aprender coisas diferentes e evoluir. Estar em uma Olimpíada é uma sensação indescritível”, disse o piloto brasileiro, que já conhece a pista de PyeongChang. “Nós estivemos aqui em março do ano passado, na última etapa da Copa do Mundo, e isso é um fator muito positivo. Essa foi a primeira vez que tivemos a possibilidade de treinar antes em uma pista dos Jogos Olímpicos. Tirando a Coreia, temos o mesmo número de descida do que as principais equipes do mundo”, explicou o brasileiro.

Oriundo do decatlo, Edson fez parte da primeira equipe brasileira de bobsled em Jogos Olímpicos, em 2002. Depois participou também de Turim 2006 e Sochi 2014. “Eu passei por todas as etapas da evolução do bobsled no Brasil. Hoje já temos uma história na modalidade, com três participações olímpicas e estamos indo para a quarta. Antes o Brasil vinha apenas participar, hoje temos objetivos maiores. É uma modalidade que milésimos de segundo fazem a diferença, mas o time está bem preparado para alcançar uma boa colocação”, afirmou Bindilatti, que terá Edson Martins na equipe do 2-man.

Se Bindilatti chegou à sua quarta Vila Olímpica, o carioca Rafael Souza, de 21 anos, é um estreante. Oriundo do atletismo, Rafael foi descoberto em uma seletiva da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo e não teve dúvidas em trocar de modalidade. Ao chegar à Vila, o atleta se disse encantado com o primeiro contato com os Aros Olímpicos. “Foi mágico chegar aqui. Quando desci do ônibus e botei o pé na Vila percebi que finalmente cheguei onde queria, ao lugar em que sempre sonhei estar”, disse o atleta, que não tinha muita ideia do que iria encontrar. “O pessoal tinha me explicado um pouco, mas só aqui que eu entendi. Tem salão de jogos, refeitório aberto 24 horas e sala de musculação. Estou achando tudo maravilhoso”, afirmou o novato.

O bobsled é uma das últimas modalidades a entrar em competição em PyeongChang. As provas do 2-man serão realizadas nos dias 18 e 19 e as do 4-man nos dias 23 e 24 (no horário de Brasília).  Antes disso as equipes participam de várias sessões de treinamento e reconhecimento da pista.

Delegação nos Jogos Olímpicos de Inverno

O Brasil disputará os Jogos Olímpicos de Inverno PyeongChang 2018 com uma delegação formada por nove atletas e o reserva do bobsled. O Time Brasil competirá em cinco modalidades: esqui alpino, esqui cross country, snowboard, bobsled e patinação artística.  Além da equipe de bobsled, delegação brasileira será formada por Isadora Williams (patinação artística); Michel Macedo (esqui alpino); Jaqueline Mourão e Victor Santos (esqui cross country); e Isabel Clark (snowboard).

A delegação brasileira utilizará as duas Vilas Olímpicas dos Jogos: Gangneung, na costa, e a vila de PyeongChang, na montanha. Isadora Williams ficará na Vila de Gangneung, na costa, próxima a instalação onde competirá – a Gangneung Ice Arena. Já o restante da delegação ficará alojada na vila de PyeongChang, na montanha, onde serão realizadas as competições de bobsled, esqui alpino e cross country, além do snowboard.

História – A primeira participação brasileira em uma edição de Jogos Olímpicos de Inverno aconteceu em Albertville, em 1992. Desde então, o Time Brasil esteve presente em todas as edições da competição. A maior delegação brasileira de inverno até hoje disputou os Jogos de Sochi 2014 com 13 atletas em sete modalidades (esqui alpino, esqui cross country, snowboard cross, esqui aéreo, biatlo, bobsled e patinação artística).

Mais em Jogos Olímpicos de Inverno