Siga o OTD

Jogos Olímpicos de Inverno

Brasil perde da Suíça na despedida do curling em Lausanne

Seleção perdeu por 10 a 2 e deixa os Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude com cinco derrotas. Dia teve também biatlo, monobob e skeleton

Curling do Brasil em Lausanne 2020
(Valter França/COB/arquivo)

A seleção brasileira mista de curling perdeu por 10 a 2 para a Suíça nesta terça (14), pela fase de classificação dos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude Lausanne 2020. Foi a quinta e derradeira partida do Brasil, que se despede da competição sem vitórias, na 24ª e última colocação geral.

As anfitriãs abriram 3 a 0 nos dois primeiros períodos, o Brasil descontou um no terceiro, mas no quarto e no quinto os suíços fizeram sete pontos. No sexto e último a seleção, formada por Vitor Melo, Leticia Cid, Michael Velve e Gabriela Farias, marcou o último ponto do time em Lausanne 2020.

A Suíça se classificou como a campeã do Grupo B e agora enfrenta a Rússia nas quartas de final. A Alemanha, que passou em segundo, enfrenta a Nova Zelândia. Canadá contra Japão e Itália versus Noruega são os dois outros duelos no mata-mata do curling.

+ INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Mais Brasil em Lausanne 2020

No biatlo, a brasileira Taynara da Silva terminou na 94º e última colocação nos seis quilômetros feminino, dentre as atletas que iniciaram a prova. Outras três inscritas não participaram.

+ Biatlo e Curling têm superação como grande marca em Lausanne

Taynara terminou a prova em 28min55s, dez minutos cravados após a campeã Alena Mokhova, da Rússia, vencer e ficar com a medalha de ouro. A prata foi para sua compatriota Anastasiia Zenova, com 18min57s, e o bronze ficou com a austríaca Anna Andexer, com 19min01s.

O Brasil competiu também no monobob e no skeleton em Lausanne 2020, ambos em baterias de treinos oficiais.

Gustavo Ferreira fez quatro descidas dividias em dois blocos. No primeiro terminou em 11º lugar com o tempo de 1min13s49 obtido na segunda descida. A primeira da série foi parecida, com 1min13s84. Ele foi um pouco melhor no segundo bloco, terminando em décimo com 1min13s38 marcado na terceira bateria. Na quarta ele fez 1min14s39.

No skeleton, Lucas Carvalho desceu duas vezes, nas baterias três e quatro, e marcou o melhor tempo na primeira do dia. Marcou 1min22s08 contra 1min22s19 da seguinte.

Mais em Jogos Olímpicos de Inverno