Siga o OTD

Iago MOUSSALEM


NASCIMENTO
CUIABÁ/MT
IDADE
22
ALTURA
1,90m
PESO
83kg
OLIMPÍADAS
PANS
CLUBE
PINHEIROS/SP


Um dos nomes para ficar de olho a compor a equipe olímpica da natação brasileira em 2020 é do jovem cuiabano Iago Moussalem Amaral, de apenas 21 anos. Foi na capital mato-grossense e por influencia da sua mãe, professora de educação física, que o atleta começou a dar suas primeiras braçadas no ano de 2005 representando o Sesi-MT.

Foi com o clube que alcançou a participação em seus primeiros campeonatos de grande porte, onde foi campeão regional Petiz I e Petiz II nos 100 costas, respectivamente em 2009 e 2010 e posteriormente vice campeão nacional infantil I nos 200 costas nos campeonatos brasileiros de inverno e de verão, estes disputados em 2011.


No ano seguinte, seguiu o caminho de muitos nadadores brasileiros ao ingressar em equipes paulistas, desta vez o Corinthians. Foi lá que descobriu que também tinha talento para o nado borboleta, modalidade que posteriormente trouxe para o atleta seus principais resultados da carreira até agora. Evoluindo a cada temporada, venceu seus primeiros títulos brasileiros com as medalhas de ouro nos 100 metros borboleta nas duas versões do campeonato nacional da categoria júnior.


Os bons desempenhos o levaram aos Estados Unidos, onde em 2017 começou a estudar e treinar na Universidade Miami Ohio em Oxford. Neste mesmo ano, conquistou suas primeiras finais em campeonatos brasileiros absolutos, onde nadam atletas de todas as categorias, época em que já estava nadando pelo Pinheiros, seu atual clube no Brasil. O ano seguinte pode ser o mais especial da carreira do cuiabano até então.


Iago não só conquistou a medalha de prata na final nacional dos 100 metros borboleta do Troféu Brasil, como ao nadar para o tempo de 52.09s conquistou uma vaga na seleção nacional que disputou o Pan Pacifico, disputado em Tóquio, principal competição para o Brasil na temporada passada. Iago quer voltar a Tóquio no ano que vem, especificamente para a Tokyo Olympic Aquatics Centre, dentre os dias 25 de julho a 06 de agosto, local sede das competições da natação olímpica na capital japonesa.


Para isso, precisará não só atingir os índices olímpicos de suas especialidades (51.96s nos 100 borboleta e 1.56.48s nos 200 borboleta) como também ser um dos dois melhores brasileiros de pelo menos uma das provas ao final do Troféu Brasil de Natação a ser disputado em abril de 2020 no Parque Áquatico Maria Lenk, em critérios já estabelecidos pela confederação brasileira de natação.


Para atingir as marcas, passará a integrar o time da Universidade de Indiana em 2019, onde treinará com o experiente técnico americano Ray Loose. Com as melhores marcas pessoais de 52.09s nos 100 e 1.57.37s nos 200 borboteta, o atleta está bem perto das marcas olímpicas necessárias, mas sabe que no esporte, especialmente na natação, cada centésimo a mais ou a menos pode ser a linha que separa quem está dentro e quem está fora de uma equipe olímpica. Treino e didicação com certeza não vão faltar para esse sempre dedicado nadador.