Siga o OTD

Thiagus Petrus Handebol Manoel Oliveira Presidente Atletas Política

Handebol

‘Vão ter que nos escutar por bem ou por mal’, afirma Petrus

Um dos fundadores do grupo ‘Atletas pelo Handebol’, o jogador do Barcelona e da seleção brasileira se posicionou sobre assuntos extra quadra

Thiagus Petrus quer contribuir politicamente pensando no futuro do handebol brasileiro (Pedro Ramos/rededoesporte.gov.br)

‘Vão ter que nos escutar por bem ou por mal’, afirma Petrus

Thiagus Petrus nasceu no dia 25 de janeiro de 1989, ano em que Manoel Luiz Oliveira assumiu como presidente da CBHb (Confederação Brasileira de Handebol). Com 31 anos, o jogador da seleção brasileira e do Barcelona tem se destacado em quadra e fora dela. Além de estar entre os melhores atletas de defesa da atualidade, ele lidera seus companheiros de esporte com o objetivo de influenciar na política da modalidade.

+ Definidos os times e o formato da próxima Champions League

Em uma live no Instagram do Olimpíada Todo Dia (OTD), Petrus comentou sobre o momento político, se posicionando contra à volta do presidente, e a fundação do grupo ‘Atletas pelo Handebol’, movimento que lidera junto com Duda Amorim, Babi Arenhart e Felipe Borges. Os quatro atletas possuem um histórico de sucesso com a camisa do Brasil e uma carreira internacional vitoriosa por clubes relevantes da Europa.

Campanha contra Manoel

“É um movimento que criamos em 2017, quando começamos a campanha para que Manoel renunciasse. Com a campanha, nós vimos a força que temos. Queremos devolver um pouco do que o handebol nos proporcionou e poder ajudar os atletas em diversos âmbitos. É um movimento que já tem bastante gente, mas nós encabeçamos pela nosso independência política e porque não precisamos dar satisfação para ninguém”, afirmou Petrus.

Ele foi assertivo quando questionado sobre a volta de Manoel ao cargo. “Achei bem ruim, mas a Justiça determinou que fosse assim. No ano que vem teremos eleição e poderemos tentar colocar outro presidente. Ele falou que não vai tentar se reeleger e espero que seja verdade. Um terço do colégio eleitoral pertence aos atletas e acho isso importante, pois se dependesse das federações nunca teríamos esse poder. Vão ter que nos escutar por bem ou por mal”, destacou.

+ Campeã mundial, brasileira é punida por 16 meses por doping

Eleição da Comissão de Atletas

Começou nesta segunda-feira (22) a eleição para a Comissão de Atletas da CBHb. A votação vai até 3 de julho e todos os jogadores que participaram das principais competições nacionais estão aptos a escolherem seus candidatos prediletos.

+ Alexandra Nascimento fecha com novo time e jogará com Deonise

Cada atleta terá direito de até 16 votos e dividi-los da seguinte forma: quatro em atividade do handebol feminino, quatro em atividade do handebol masculino, três em atividade do handebol de areia feminino, três em atividade do handebol de areia masculino, um ex-atleta entre as mulheres e um ex-atleta entre os homens.

+ Bruna de Paula é eleita melhor armadora e MVP na França

“Estou como candidato e quero defender os direitos dos atletas e pensar no que for melhor para eles. Isso é importante para a modalidade e saberemos quais atletas teremos que cobrar. Vamos brigar para colocar no poder uma pessoa idônea e que trabalhe pensando nos interesses do handebol. Queremos melhorar as condições para os atletas que jogam no Brasil, já que a Liga Nacional é ruim e temos poucas competições”, ressaltou Petrus.

Contribuir, mas longe da presidência

A eleição para presidente da CBHb está marcada para fevereiro de 2021. Porém, segundo Petrus, o atual mandatário da entidade está querendo antecipar o pleito. Manoel Oliveira assumiu o cargo em 1989 e, neste período, ficou afastado por 23 meses, de abril de 2018 até março de 2020, por uma decisão judicial com acusações de irregularidades no uso de convênios públicos.

Petrus não pensa em ser presidente, mas quer contribuir com a política do handebol. “Penso em ajudar o handebol, mas não como presidente. Não tenho paciência com política. Não gosto porque falo o que penso e muitos acham isso errado. Precisamos de uma pessoa que pense só no Handebol e não em interesses pessoais”, disse.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NOINSTAGRAM E NO FACEBOOK

“Converso bastante com a Duda e estamos nesse movimento porque não queremos que tenha só uma Duda e um Thiagus. Temos potencial humano e só precisamos dar oportunidades para esses atletas”, concluiu Petrus, que foi medalha de ouro com a seleção brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Toronto-2015 e participou dos Jogos Olímpicos Rio-2016.

Mais em Handebol