Siga o OTD

Retrospectiva 2020

Esportes

Retrospectiva 2020: feitos que marcaram o esporte internacional

O ano vai chegando ao fim e o Olimpíada Todo Dia relembra alguns dos fatos marcantes na retrospectiva 2020 do esporte internacional

(Getty Images)

Retrospectiva 2020: feitos que marcaram o esporte internacional

Dezembro vai chegando ao fim e o Olimpíada Todo Dia relembra alguns dos fatos mais importantes do esporte internacional na Retrospectiva 2020. O movimento Black Lives Matter na NBA, os recordes no atletismo e no triatlo, a volta por cima na natação e o acidente de Zanardi estão entre os fatos a serem recordados. 

O marco na NBA

A pandemia do coronavírus mudou o mundo e o esporte de uma maneira geral. Uma das ligas a terem casos em atletas durante a realização das partidas, a NBA tomou a atitude de paralisar a temporada e retomar as partidas em uma “bolha” na Disney. 

Apesar disso, o maior marco da temporada da NBA ainda estava por vir. Após a série de manifestações públicas pelos Estados Unidos, por conta da morte de Breonna Taylor e George Floyd, os jogadores decidiram agir. De uma forma que ainda não havia sido vista na liga, atletas, franquias e a NBA organizaram e apoiaram uma série de manifestações durante as partidas em apoio ao movimento “Black Lives Matter”. 

Sueco voador 

O mundo do atletismo viu um novo fenômeno nascer. O sueco Armand Duplantis foi o “triturador de recordes do ano”. Com 21 anos, o atleta do salto com vara quebrou o recorde mundial, indoor e outdoor, se tornou a primeira pessoa do planeta a superar o 6,18 m na modalidade e é o grande nome para a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

A venezuelana que saltou para a história 

Se Duplantis mostrou ao mundo que era possível saltar mais alto, Yulimar Rojas, da Venezuela, comprovou que as mulheres podem ir mais longe. Em fevereiro, a atleta do salto triplo estabeleceu o novo recorde mundial indoor da modalidade, com 15,43 m. 

Retrospectiva 2020
(Kai Pfafenbach)

O gigante perdeu 

Um dos maiores nomes do judô na história perdeu depois de quase 10 anos. O bicampeão olímpico francês Teddy Riner, tido por alguns como o único judoca invencível por alguns anos, foi derrotado em 2020. Antes da pandemia da Covid-19, Riner foi superado por Kokoro Kageura, do Japão, e viu a série de 154 vitórias seguidas cair. Após o revés Teddy assumiu que 2020 foi o ano mais difícil de sua carreira. 

Retrospectiva 2020
(Emanuele di Feliciantonio)

Vitória fora das piscinas

Rikako Ikee já é uma campeã. A jovem japonesa de 20 anos teve uma a maior conquista de sua vida em um ano sem tantas competições. Em 2020, a nadadora do Japão superou a leucemia e voltou a competir. Como símbolo para esse renascimento, a atleta carregou a tocha olímpica de Tóquio. 

Zanardi renasce mais uma vez 

Um dos maiores nomes do paradesporto mundial, Alessandro Zanardi assustou o mundo paralímpico em 2020. Em junho, o bicampeão paralímpico sofreu um acidente quando disputava uma prova exibição na Itália e ficou em estado grave durante alguns dias. Recentemente o italiano teve um avanço em seu estado de saúde e passou a responder alguns questionamentos com sinais.

Alessandro Zanardi - Zanardi acidente
Zanardi é bicampeão paralímpico (Instagram/zanardiofficial)

Djokovid” 

Apesar da grande maioria das competições terem sido canceladas ou paralisadas, teve um episódio que foi na contramão e marcou 2020. Líder do ranking mundial da ATP, Novak Djokovic organizou um torneio exibição de tênis.

Sem respeitar as orientações médicas de distanciamento social, uso de máscara e com a presença de público, o Adria Tour chamou a atenção do mundo esportivo, recebeu diversas críticas e foi encerrado após alguns atletas, dentre eles o próprio Djokovic, testarem positivo para o coronavírus.

Mais em Esportes