Siga o OTD

Caratê Brasil Filipe Alberto

Caratê

Brasil fecha Pré-Olímpico de caratê sem classificados para Tóquio

Filipe Alberto e Brenda Pereira caem na terceira rodada e Brasil encerra Pré-Olímpico sem representante no caratê

(Instagram/Reprodução)

Brasil fecha Pré-Olímpico de caratê sem classificados para Tóquio

O Brasil segue sem nenhum atleta de caratê confirmado para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Neste domingo (13), no Pré-Olímpico de Caratê, disputado em Paris, na França, mais dois caratecas brasileiros ficaram pelo caminho. Filipe Medeiros (+75kg) e Brenda Pereira (+61kg) perderam na terceira rodada e não tem mais chances de classificação.

Brenda Pereira começou o evento com dois triunfos incontestáveis diante da bielorrussa Maryia Aliakseyeva (5-0) e senegalesa Amina Dione Maman (5-0). Na fase seguinte, a brasileira acabou superada pela egípcia Feryal Abdelaziz (5-0). Já que a algoz chegou à decisão do torneio do chaveamento, Brenda ainda teve a chance de participar da repescagem, porém foi superada pela romena Claudia Ionita (1-0).

+ Brasil conquista o bronze por equipes mistas no fechamento do Mundial

Entre os homens, Filipe Medeiros também teve um início promissor, com triunfos diante de Sulaiman Almulla, dos Emirados Árabes Unidos, (3-3), e o equatoriano Franklin Mina (2-1). No entanto, o atleta perdeu para o tunisiano Thmaeur Slimani (6-2) em seu terceiro confronto. Como o tunisiano acabou caindo nas semifinais, Filipe ficou de fora da repescagem e deu adeus ao torneio.

Esperança de vaga com Kumizaki

Sendo disputado desde a última sexta-feira (11), o Pré-Olímpico de Caratê distribui três vagas olímpicas para cada uma das categorias. O Brasil não conseguiu emplacar nenhuma classificado e deve não ter representantes nos Jogos de Tóquio. A única possibilidade passa por Valéria Kumizaki, por conta da vaga continental.

O Pré-Olímpico dará três vagas para Tóquio por categoria, que se somarão às quatro vagas diretas pelo ranking. Ainda assim, sobram 12 vagas no total (máximo de três por categoria), que levarão em conta o desempenho continental dos atletas.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Ou seja, são levados em consideração, por exemplo, os resultados dos Jogos Europeu e Pan-Americano realizados no ano passado em Minsk (Belarus) e Lima (Peru), respectivamente. Desta maneira, os medalhistas de ouro dos jogos continentais que ainda não estiverem classificados pelo ranking ou pelo Pré-Olímpico ganham uma vaga. Caso, por exemplo, da brasileira Valéria Kumizaki, campeã do Pan de Lima 2019.

Mais em Caratê