Siga o OTD

Isaquias Queiroz live flaTv canoagem de velocidade

Canoagem Velocidade

Isaquias Queiroz mira homenagear falecido técnico em 2020

canoísta baiano espera conquistar duas medalhas em Tóquio e dedicá-las ao seu técnico, falecido em 2018

Isaquias Queiroz mira homenagear falecido técnico em 2020

2019 tinha tudo para ser um ano complicado para canoísta Isaquias Quieroz.

Isso porque, no final de 2018, Isaquias perdeu seu técnico Jesus Morlán para uma batalha contra o câncer. Morlán foi o homem que revolucionou a canoagem no país e que ajudou Isaquias a conquistar 3 medalhas nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Morlán, entretanto, exercia um papel mais importante do que o de treinador para Isaquias: o papel de pai, como o próprio canoísta declarou.

Mesmo tendo que lidar com o luto e não tendo os conselhos do maior técnico da história, Isaquias Queiroz mostrou porque é um dos maiores atletas brasileiros e honrou o nome de seu falecido treinador. No Campeonato Mundial de Canoagem Velocidade, realizado em agosto deste ano na cidade de Sgezed, na Hungria, o baiano conquistou duas medalhas. Um bronze ao lado de Erlon Souza no C2 1000m e o ouro na prova do C1 1000m.

Em entrevista ao Olimpíada Todo Dia, Isaquias comentou sobre o ano de 2019 e também sobre o título mundial.

“O ano de 2019 foi maravilhoso. Com um ouro e um bronze no mundial. E teve também um sabor especial. Principalmente porque foi um ano depois do falecimento do meu treinador, Jesus Morlán. Eu sempre falo que ele não está mais aqui fisicamente com a gente, mas espiritualmente sim. E [ o C1 1000m] era uma prova que ele queria muito ganhar”, disse o atleta.

Já assegurado nas Olimpíadas de Tóquio, Isaquias Queiroz já tem seu objetivo traçado. O atleta fez questão, novamente, de relembrar seu eterno treinador:

” Meu objetivo agora é ganhar a décima medalha. não a minha, mas a décima medalha do Jesus Morlán [ que já conquistou 8 medalhas olímpicas, 3 com Isaquias e 5 com o atleta espanhol David Cal]. Esse era o sonho dele e estamos treinando para isso. Aí depois eu vou pensar em ganhar minha sétima medalha olímpica individual na canoagem,” declarou o multicampeão.

Se conseguir duas medalhas nas Olimpíadas de Tóquio, Isaquias Quieroz se tornará o atleta olímpico com mais medalhas na história do Brasil ao lado dos velejadores Robert Scheidt e Torben Grael. A meta de Jesus Morlán quando vivo era fazer Isaquias conquistar 7 medalhas olímpicas. As três do Rio de Janeiro, duas em Tóquio e mais duas em Paris, em 2024.

Mais em Canoagem Velocidade